Fechar
Publicidade

Segunda-Feira, 29 de Novembro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

esportes@dgabc.com.br | 4435-8384

FPF: erro em nova polêmica com o clube



23/01/2009 | 07:00


Antes da estreia são-paulina no Paulistão, na quarta-feira, contra o Ituano, no Morumbi, o quarto árbitro Raphael Claus tentou impedir a escalação de Rogério Ceni, alegando uma eventual suspensão referente ao Estadual do ano passado. O São Paulo, então, precisou entrar em contato com a FPF (Federação Paulista de Futebol), momentos antes da partida, para corrigir o erro e poder escalar o goleiro.

Ontem, ao ser questionada pelo episódio, a FPF admitiu que houve equívoco. "Houve problemas técnicos que já foram solucionados", respondeu a entidade, por meio de sua assessoria de imprensa.

O quarto árbitro queria tirar Rogério Ceni por causa de um terceiro cartão amarelo que o goleiro recebeu no último jogo do Paulistão do ano passado. Ele, de fato, recebeu o cartão, ao contrário do que disse depois do empate com o Ituano.

Mas suspensões por terceiro cartão amarelo não são consideradas para o campeonato seguinte, diferentemente de quando um atleta é expulso ou recebe outro tipo de punição.

Rogério Ceni levou três cartões amarelos no Paulistão de 2008. O primeiro na quarta rodada, contra o Corinthians, e os outros dois contra o Palmeiras - um na 15ª rodada e outro na semifinal, último jogo do São Paulo no torneio.

A confusão foi o bastante para que o capitão são-paulino saísse do jogo criticando a Federação Paulista. "Neste Paulista vai ter muita explicação para o São Paulo", disse Ceni.

O técnico Muricy Ramalho também falou sobre o episódio. "Eles se enganaram em Brasília (no ano passado) e se enganaram novamente hoje (quarta-feira)", disparou o treinador, em referência ao episódio da mudança de árbitro na última rodada do Brasileirão.

A FPF adotou o silêncio e não quis comentar as declarações de Rogério Ceni e Muricy. Assim como a diretoria são-paulina, que preferiu dar o assunto como encerrado. Mas o clima entre a entidade e o clube não é bom.

Primeiro foi o caso Wagner Tardelli, na última rodada do Brasileirão de 2008. Na ocasião, o árbitro foi afastado da partida do São Paulo contra o Goiás depois que a FPF denunciou suposta tentativa de suborno. O clube então rompeu publicamente com a entidade.

Outra motivo de polêmica entre a FPF e o São Paulo foi o Guia Oficial do Paulistão de 2009, que publicou o rebaixamento são-paulino em 1991. A entidade foi obrigada a publicar nota oficial ‘culpando' o jornalista e historiador Rodolfo Kussarev pelo erro.



Quer receber em primeira mão as notícias das sete cidades do Grande ABC?

Entre no nosso grupo de WhatsApp. 
Clique aqui.
 

Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.


Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;