Fechar
Publicidade

Sexta-Feira, 22 de Novembro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Política

politica@dgabc.com.br | 4435-8391

Donisete reivindica ajuda do Estado em reunião com tucano


Bruno Coelho
Do Diário do Grande ABC

28/02/2013 | 07:00


Em busca de reivindicações junto ao governo do Estado, o prefeito de Mauá, Donisete Braga (PT), se reuniu com o secretário-chefe da Casa Civil do Palácio dos Bandeirantes, Edson Aparecido (PSDB), em restaurante em São Paulo. O gestor municipal solicitou ajuda ao tucano para a interlocução junto ao governador Geraldo Alckmin (PSDB) para a divisão do custeio do Hospital de Clínicas Doutor Radamés Nardini e implantação do Poupatempo na cidade.

"Tive uma boa conversa. Ele (Edson Aparecido) vai se encontrar com o governador (Geraldo Alckmin) para, enfim, termos uma sinalização sobre o Nardini e (implantação) do Poupatempo", salientou Donisete.

Apesar do ar informal, o encontro foi mais um passo dado por Donisete para ter canal direto com Alckmin. Durante campanha eleitoral em Mauá, o petista teve como bandeiras a estadualização do Nardini, implantação do IML (Instituto Médico-Legal) e delegacia seccional no município. Ao assumir o Executivo, o prefeito entrou na briga pela unidade do Poupatempo.

Edson Aparecido não garantiu atendimento às demandas solicitadas por Donisete, afirmando que primeiro terá de articular com os secretários Giovanni Guido Cerri (Saúde) e Davi Zaia (PPS, Gestão Pública) para verificar a viabilidade das reivindicações do Nardini e Poupatempo, respectivamente. "Depois dos desdobramentos com os secretários, podemos aprofundar sobre essas possibilidades. Mas não há nada concreto", avaliou.

No começo deste mês, Donisete se reuniu com Cerri para tratar sobre o hospital, após aceitar a divisão do custeio. O prefeito alega que a Prefeitura gata R$ 72 milhões anualmente para manter em funcionamento um equipamento que atende a pacientes de outras regiões do Estado, com o advento do Rodoanel. O secretário estadual de Saúde deixou a promessa da realização de um estudo de impacto financeiro para acatar a proposta.

Enquanto isso, o caminho pelo Poupatempo parece mais fácil para Donisete, com apoio do deputado estadual Alex Manente (PPS), pessoa próxima a Zaia. Atualmente, o município briga com Diadema pela implantação do equipamento, mas é favorito.

 

 



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Donisete reivindica ajuda do Estado em reunião com tucano

Bruno Coelho
Do Diário do Grande ABC

28/02/2013 | 07:00


Em busca de reivindicações junto ao governo do Estado, o prefeito de Mauá, Donisete Braga (PT), se reuniu com o secretário-chefe da Casa Civil do Palácio dos Bandeirantes, Edson Aparecido (PSDB), em restaurante em São Paulo. O gestor municipal solicitou ajuda ao tucano para a interlocução junto ao governador Geraldo Alckmin (PSDB) para a divisão do custeio do Hospital de Clínicas Doutor Radamés Nardini e implantação do Poupatempo na cidade.

"Tive uma boa conversa. Ele (Edson Aparecido) vai se encontrar com o governador (Geraldo Alckmin) para, enfim, termos uma sinalização sobre o Nardini e (implantação) do Poupatempo", salientou Donisete.

Apesar do ar informal, o encontro foi mais um passo dado por Donisete para ter canal direto com Alckmin. Durante campanha eleitoral em Mauá, o petista teve como bandeiras a estadualização do Nardini, implantação do IML (Instituto Médico-Legal) e delegacia seccional no município. Ao assumir o Executivo, o prefeito entrou na briga pela unidade do Poupatempo.

Edson Aparecido não garantiu atendimento às demandas solicitadas por Donisete, afirmando que primeiro terá de articular com os secretários Giovanni Guido Cerri (Saúde) e Davi Zaia (PPS, Gestão Pública) para verificar a viabilidade das reivindicações do Nardini e Poupatempo, respectivamente. "Depois dos desdobramentos com os secretários, podemos aprofundar sobre essas possibilidades. Mas não há nada concreto", avaliou.

No começo deste mês, Donisete se reuniu com Cerri para tratar sobre o hospital, após aceitar a divisão do custeio. O prefeito alega que a Prefeitura gata R$ 72 milhões anualmente para manter em funcionamento um equipamento que atende a pacientes de outras regiões do Estado, com o advento do Rodoanel. O secretário estadual de Saúde deixou a promessa da realização de um estudo de impacto financeiro para acatar a proposta.

Enquanto isso, o caminho pelo Poupatempo parece mais fácil para Donisete, com apoio do deputado estadual Alex Manente (PPS), pessoa próxima a Zaia. Atualmente, o município briga com Diadema pela implantação do equipamento, mas é favorito.

 

 

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;