Fechar
Publicidade

Quinta-Feira, 20 de Fevereiro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Esportes

esportes@dgabc.com.br | 4435-8384

Pierre admite: ‘Palmeiras é o time a ser batido no Paulista’



21/03/2008 | 07:04


Para o técnico Vanderlei Luxemburgo, o Palmeiras ainda é um time em formação, longe do potencial desejado. Para os adversários que ainda vão encará-lo no Paulistão (Paulista, Portuguesa, São Caetano e Barueri), pode ser considerado um time perigoso, com um meio-de-campo capaz de decidir o resultado do jogo. São os efeitos do placar elástico de 4 a 1 sobre o São Paulo.

 De Jundiaí, o treinador já recebeu a informação de que o adversário de amanhã montará um ferrolho no setor de marcação, com três volantes, dois zagueiros e dois laterais preocupados com a defesa. Furar esse bloqueio será o grande desafio palmeirense em busca da vitória.

 O volante Pierre foi claro em suas palavras. “O Palmeiras é a equipe ser batida hoje, mesmo não estando em primeiro lugar na tabela”, disse o jogador.

 A preocupação de Luxemburgo nem é tanta com o poder de fogo da sua equipe. Ele acha que os homens de meio e do ataque são capazes de furar qualquer esquema defensivo tendo paciência. O alerta que o treinador faz é com a arbitragem. Ele teme a conivência dos árbitros ao antijogo, faltoso em excesso.

 “A arbitragem precisa estar atenta a isso. Já sei que o Paulista jogará com três volantes. E passei isso a eles. Cabe à arbitragem punir o antijogo. Temos de esperar para ver se essa marcação será no futebol ou fora dele”, afirmou Luxemburgo.


Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Pierre admite: ‘Palmeiras é o time a ser batido no Paulista’


21/03/2008 | 07:04


Para o técnico Vanderlei Luxemburgo, o Palmeiras ainda é um time em formação, longe do potencial desejado. Para os adversários que ainda vão encará-lo no Paulistão (Paulista, Portuguesa, São Caetano e Barueri), pode ser considerado um time perigoso, com um meio-de-campo capaz de decidir o resultado do jogo. São os efeitos do placar elástico de 4 a 1 sobre o São Paulo.

 De Jundiaí, o treinador já recebeu a informação de que o adversário de amanhã montará um ferrolho no setor de marcação, com três volantes, dois zagueiros e dois laterais preocupados com a defesa. Furar esse bloqueio será o grande desafio palmeirense em busca da vitória.

 O volante Pierre foi claro em suas palavras. “O Palmeiras é a equipe ser batida hoje, mesmo não estando em primeiro lugar na tabela”, disse o jogador.

 A preocupação de Luxemburgo nem é tanta com o poder de fogo da sua equipe. Ele acha que os homens de meio e do ataque são capazes de furar qualquer esquema defensivo tendo paciência. O alerta que o treinador faz é com a arbitragem. Ele teme a conivência dos árbitros ao antijogo, faltoso em excesso.

 “A arbitragem precisa estar atenta a isso. Já sei que o Paulista jogará com três volantes. E passei isso a eles. Cabe à arbitragem punir o antijogo. Temos de esperar para ver se essa marcação será no futebol ou fora dele”, afirmou Luxemburgo.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;