Fechar
Publicidade

Segunda-Feira, 21 de Junho

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Economia

economia@dgabc.com.br | 4435-8057

Chovem queixas do INSS


Cristiane Bomfim
Do Diário do Grande ABC

03/03/2008 | 07:05


Atendimento ruim e análise descuidada dos exames médicos antes de dar alta são as principais reclamações dos beneficiários do INSS (Instituto Nacional de Seguridade Social) por parte dos beneficiários que perderam o auxílio-doença. Apesar das doenças e laudos médicos particulares que comprovam a incapacidade de retornar ao trabalho, ao passar pelos peritos do Instituto os beneficiários têm o pedido de auxílio doença negado.

Este é o caso do mecânico hidráulico Murilo Alves da Silva, 54 anos, e da cozinheira Norma Aparecida Zavanella, 47 anos. Ambos tiveram seus pedidos de auxílio-doença cancelados pelo INSS.

“É um absurdo, a gente passa por humilhações, o perito não examina e joga os laudos médicos dentro da gaveta sem olhar”, reclama Norma. Ela, que recebia o benefício desde julho de 2004, teve o pedido negado por três vezes consecutivas. A última recusa do INSS foi na segunda quinzena de fevereiro. “Tenho problema no braço e na perna direita. Não consigo carregar peso. Se pudesse, trabalharia”, desabafa.

Já Murilo recorreu ao auxílio-doença no início de 2005 por problema na coluna. Em julho de 2007, apesar de ser considerado por médicos particulares inapto a exercer a profissão, perdeu o direito ao benefício. “Eles só negam. Não se preocupam com os exames e se a gente tem condições de retornar ao trabalho”, diz.

Procurado pela reportagem, o INSS respondeu em nota que a função dos peritos é “analisar as condições de saúde do trabalhador para verificar se ele está ou não em condições de exercer sua atividade profissional”. E completou: “Não é tarefa do perito médico do INSS cuidar da saúde geral do trabalhador, mas sim se certificar de que existe incapacidade ou não para o trabalho.” Por último, o instituto explicou que em cada unidade de atendimento existe o Controle Operacional, formado por peritos que trabalham a avaliação da qualidade e resultado das perícias.

Sobre os casos de Norma Aparecida Zavanella e Murilo Alves da Silva, o INSS disse que foi constatado pelos peritos que a incapacidade de retornar ao trabalho havia cessado.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.


Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;