Fechar
Publicidade

Quinta-Feira, 29 de Julho

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Setecidades

setecidades@dgabc.com.br | 4435-8319

Seja verde sem ser um 'ecochato'


Bruno Ribeiro
Do Diário do Grande ABC

06/01/2008 | 07:05


Consumo responsável e aquecimento global foram expressões com destaque na mídia em 2007. Pesquisas científicas apontaram, mais uma vez, o desmatamento e a fabricação de produtos de plástico sem posterior reaproveitamento (entre outras ações) como vilões de um planeta cada vez mais sujo e perigosamente quente.

Por isso, não faltou gente disposta a falar sobre como deveríamos mudar radicalmente nossos hábitos para salvar o planeta. São os chamados ecochatos. “Está cheio de gente disposta a criticar as sacolas de supermercado e as embalagens em geral como vilões ambientais. As embalagens são necessárias. Sem elas, os produtos seriam danificados e os alimentos estragariam”, diz o engenheiro químico Miguel Bahiense, diretor do Instituto do PVC (poli cloreto de vinila).

Ele diz que não é preciso abandonar as sacolas plásticas, por exemplo. Para ele, as pessoas precisam só aprender a usá-las. “Têm de colocar mais produtos por sacolinha, saber fazer um consumo qualitativo, e não quantitativo”, opina Bahiense.

E esse consumo vale para todos os setores. Nilton Seuaciuc, da diretoria metropolitana da Sabesp (Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo), afirma que o consumo médio per capita de água na Grande São Paulo fica entre 200 e 250 litros por dia. A OMS (Organização Mundial da Saúde) recomenda praticamente a metade: 120 litros.

Na maior parte do planeta, vive-se perfeitamente gastando menos. No Brasil, por conta da propalada abundância de recursos naturais e por razões culturais, as pessoas insistem em lavar a calçada com muita água. E não é a água reaproveitada da lavagem de roupas, como manda o manual dos bons modos ecológicos, mas sim água de primeiro uso, tratada.

Sem pegar no pé de ninguém, fazendo a sua parte, é possível diminuir a culpa por não cuidar do planeta como ele merece. Basta adotar hábitos simples no cotidiano. Veja abaixo como ser consciente sem se tornar um ecochato.

CUIDE DO LIXO - Separe as embalagens secas do lixo orgânico e, nas cidades sem coleta porta-a-porta, procure o posto de reciclagem mais próximo para entregar o material reutilizável (latas, vidro, madeira, papelão e papel). Não jogue lixo nos rios ou no chão – isso causa enchentes. Quando for se desfazer de algum produto eletrônico, como TVs e computadores, procure doá-los ou vendê-los para um comércio de usados. Baterias de celulares e outras, além de pilhas, devem ser entregues no local onde foram compradas.

COMPRE MADEIRA COM CERTIFICADO - Economizar água e energia, separar lixo e se locomover de ônibus requerem mudança de hábitos às vezes um pouco complicadas para certas pessoas. Mas quando o assunto é madeira, é tudo muito fácil, afinal, não se compra uma cama todo dia. Por isso, adquira móveis com certificação ambiental – a madeira vem de áreas onde há reflorestamento. O que é bom para manter as florestas e ajudar a combater o efeito estufa. As árvores em crescimento retiram mais CO² da atmosfera do que uma planta adulta.

ECONOMIZE ÁGUA - Árvores em crescimento são a forma mais eficiente de limpar o ar. Durante a fotossíntese, as plantas tiram do ar o CO², emitido quando dirigimos um carro ou usamos energia elétrica. Mas não se pode sair por aí plantando árvores na rua – isso é papel do poder público. No entanto, nada impede que se plante uma muda no quintal de casa, em um apartamento térreo ou na empresa onde se trabalha. Sem ser um ecochato, sugira sorrindo ao síndico ou para alguém do seu trabalho a adotar essa idéia.

PLANTE ÁRVORES - Desligue a torneira ao escovar os dentes, ao barbear-se, ao lavar a louça e a roupa. Reutilize a água da roupa para lavar o quintal e em outras atividades que não requerem água de primeiro uso. Não lave o carro todo final de semana. Lembre-se sempre que, na maior parte do mundo, as pessoas gastam metade da água usada pelos habitantes da nossa região metropolitana para viver. Conserte vazamentos assim que forem detectados (inclusive torneiras que pingam). Tome banhos rápidos.

USE TRANSPORTE PÚBLICO - Até 2010, o governo do Estado promete várias mudanças no transporte público da Grande São Paulo. Metrô até a Vila Prudente (bairro da Capital próximo à região), trem expresso no Grande ABC e corredores de ônibus espalhados por toda a Região Metropolitana. Aproveite isso. Os carros atrasam nossa vida (literalmente, por conta do trânsito cada vez maior). Além disso, em um ano utilizando ônibus, você poluirá o ar nove vezes menos do que se locomovendo em um carro a gasolina no mesmo período.

(Colaborou Adriana Gomes)



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.


Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;