Fechar
Publicidade

Sexta-Feira, 15 de Novembro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Política

politica@dgabc.com.br | 4435-8391

Julgamento de José Augusto é adiado pela terceira vez


Raphael Rocha
Do Diário do Grande ABC

22/02/2013 | 06:47


 

O ministro Ari Pargendler, do STJ (Superior Tribunal de Justiça), adiou pela terceira vez o julgamento do recurso feito pelo ex-prefeito e secretário de Saúde de Diadema, José Augusto da Silva Ramos (PSDB), contra a condenação em segunda instância por improbidade administrativa.

O processo retornou à mesa do magistrado ontem, mas não foi apreciado por falta de tempo. A sessão da primeira turma, na qual o caso está alocado, tem duração de duas horas, período em que o recurso não foi citado. O texto volta à pauta do STJ na terça-feira.

José Augusto foi condenado pelo concurso público para contratação de médicos em sua administração, em 1992. Ele foi aprovado na seleção. O Ministério Público e TJ-SP (Tribunal de Justiça de São Paulo) pediram multa, cassação dos direitos políticos e proibição ao tucano de exercer cargos públicos.

 

 



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Julgamento de José Augusto é adiado pela terceira vez

Raphael Rocha
Do Diário do Grande ABC

22/02/2013 | 06:47


 

O ministro Ari Pargendler, do STJ (Superior Tribunal de Justiça), adiou pela terceira vez o julgamento do recurso feito pelo ex-prefeito e secretário de Saúde de Diadema, José Augusto da Silva Ramos (PSDB), contra a condenação em segunda instância por improbidade administrativa.

O processo retornou à mesa do magistrado ontem, mas não foi apreciado por falta de tempo. A sessão da primeira turma, na qual o caso está alocado, tem duração de duas horas, período em que o recurso não foi citado. O texto volta à pauta do STJ na terça-feira.

José Augusto foi condenado pelo concurso público para contratação de médicos em sua administração, em 1992. Ele foi aprovado na seleção. O Ministério Público e TJ-SP (Tribunal de Justiça de São Paulo) pediram multa, cassação dos direitos políticos e proibição ao tucano de exercer cargos públicos.

 

 

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;