Fechar
Publicidade

Domingo, 20 de Outubro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Política

politica@dgabc.com.br | 4435-8391

Maranhão indica terreno perto da Índio Tibiriçá para UPA


Cynthia Tavares
Do Diário do Grande ABC

02/02/2013 | 07:34


O prefeito de Rio Grande da Serra, Gabriel Maranhão (PSDB), já escolheu terreno para construção da UPA (Unidade de Pronto Atendimento 24 horas). A área que será oferecida fica na Avenida dos Autonomistas, no Centro.

O tucano aguarda a visita do ministro da Saúde, Alexandre Padilha, para vistoriar o espaço nos próximos dias. O chefe do Executivo de São Bernardo, Luiz Marinho (PT), realizou a interlocução da análise durante o encontro de prefeitos realizado em Brasília na semana passada.

Maranhão esteve na Capital Federal, mas não conseguiu conversar com Padilha - o ministro estava em Santa Maria, no Rio Grande do Sul, para prestar atendimento às vítimas do incêndio na boate Kiss, que matou 236 pessoas.

O prefeito afirmou que irá entrar com pedido das licenças ambientais para adiantar o processo de liberação da área e, dessa forma, agilizar a construção, que seria bancada pela União. "Tenho levantamento topográfico do local e estou preparando a documentação para dar entrada nas autorizações estaduais nas próximas semanas", disse.

O prefeito de Rio Grande destacou que o terreno fica próximo à Rodovia Índio Tibiriçá (SP-031) e poderia receber vítimas dos acidentes que acontecem na via, conhecida como ‘estrada da morte'. "A UPA ficará num local estratégico e poderia realizar o atendimento de urgência aos acidentados", avaliou o tucano.

Maranhão analisou que diante da conjuntura de atendimento somada à interlocução de Luiz Marinho, a UPA fica perto da realidade. "Ganhamos um direcionamento agora. Se o ministro vier será muito bom para acertamos pontos da nossa discussão", ressaltou o prefeito.

A instalação do equipamento na cidade foi questionada por conta da resolução 2.648 do Ministério da Saúde, de novembro de 2011. O texto afirma que a UPA só pode ser construída em municípios com mais de 50 mil habitantes. Segundo o IBGE, Rio Grande possui 45.014 moradores.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Maranhão indica terreno perto da Índio Tibiriçá para UPA

Cynthia Tavares
Do Diário do Grande ABC

02/02/2013 | 07:34


O prefeito de Rio Grande da Serra, Gabriel Maranhão (PSDB), já escolheu terreno para construção da UPA (Unidade de Pronto Atendimento 24 horas). A área que será oferecida fica na Avenida dos Autonomistas, no Centro.

O tucano aguarda a visita do ministro da Saúde, Alexandre Padilha, para vistoriar o espaço nos próximos dias. O chefe do Executivo de São Bernardo, Luiz Marinho (PT), realizou a interlocução da análise durante o encontro de prefeitos realizado em Brasília na semana passada.

Maranhão esteve na Capital Federal, mas não conseguiu conversar com Padilha - o ministro estava em Santa Maria, no Rio Grande do Sul, para prestar atendimento às vítimas do incêndio na boate Kiss, que matou 236 pessoas.

O prefeito afirmou que irá entrar com pedido das licenças ambientais para adiantar o processo de liberação da área e, dessa forma, agilizar a construção, que seria bancada pela União. "Tenho levantamento topográfico do local e estou preparando a documentação para dar entrada nas autorizações estaduais nas próximas semanas", disse.

O prefeito de Rio Grande destacou que o terreno fica próximo à Rodovia Índio Tibiriçá (SP-031) e poderia receber vítimas dos acidentes que acontecem na via, conhecida como ‘estrada da morte'. "A UPA ficará num local estratégico e poderia realizar o atendimento de urgência aos acidentados", avaliou o tucano.

Maranhão analisou que diante da conjuntura de atendimento somada à interlocução de Luiz Marinho, a UPA fica perto da realidade. "Ganhamos um direcionamento agora. Se o ministro vier será muito bom para acertamos pontos da nossa discussão", ressaltou o prefeito.

A instalação do equipamento na cidade foi questionada por conta da resolução 2.648 do Ministério da Saúde, de novembro de 2011. O texto afirma que a UPA só pode ser construída em municípios com mais de 50 mil habitantes. Segundo o IBGE, Rio Grande possui 45.014 moradores.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;