Fechar
Publicidade

Terça-Feira, 22 de Outubro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Esportes

esportes@dgabc.com.br | 4435-8384

Rivaldo estreia 80% contra
Timão, revela preparador

Carlos Pacheco trabalhou com o jogador em duas ocasiões:
no biênio 1996/1997, pelo Palmeiras, em 2011, no Mogi Mirim


Marco Borba
Do Diário do Grande ABC

02/02/2013 | 07:00


Rivaldo deve estrear contra o Corinthians, dia 9, pelo Paulistão, com cerca de 80% da condição física considerada ideal para um atleta. A estimativa é do preparador físico do São Caetano, Carlos Pacheco, que tem acompanhado de perto o trabalho de condicionamento do meia.

"Nenhum jogador em início de temporada começa um torneio com 100%. Isso se adquire com a sequência de jogos", explicou Pacheco, que trabalhou com Rivaldo em duas ocasiões: no biênio 1996/1997, pelo Palmeiras, e no início de 2011, no Mogi Mirim.

Na equipe do Interior, porém, a convivência foi rápida, porque assim que chegou a documentação do Exterior - o meia defendeu o Bunyodkor, do Uzbequistão, em 2010 -, Rivaldo se transferiu para o São Paulo para disputar o Paulistão.

Segundo Pacheco, a carga de atividades aplicada ao atleta é diferente da direcionada aos mais jovens. "Estamos falando de um jogador de 40 anos. Mas a dedicação do Rivaldo é a mesma de sempre. E todo o trabalho é baseado no que nos é passado pelos fisiologistas", destacou.

De acordo com o fisiologista Felipe Fernandes, o trabalho de avaliação física é dividido em duas etapas. Na primeira, é analisada a composição corporal, para se medir a quantidade de gordura do organismo e, assim, determinar o peso ideal. Na segunda, é feita bateria de treinos físicos para que o atleta atinja o equilíbrio muscular. Em um dos testes, chamado limiar anaeróbico, é medida a quantidade de oxigênio que cada jogador absorve.

"Feitas estas avaliações, determinamos a carga que deve ser aplicada a cada atleta. A do Rivaldo é diferente, até porque com o passar do tempo o metabolismo desacelera e, com isso, a pessoa perde, por exemplo, potência e resistência musculares", disse Fernades. Amanhã, o time enfrenta o São Bernardo.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Rivaldo estreia 80% contra
Timão, revela preparador

Carlos Pacheco trabalhou com o jogador em duas ocasiões:
no biênio 1996/1997, pelo Palmeiras, em 2011, no Mogi Mirim

Marco Borba
Do Diário do Grande ABC

02/02/2013 | 07:00


Rivaldo deve estrear contra o Corinthians, dia 9, pelo Paulistão, com cerca de 80% da condição física considerada ideal para um atleta. A estimativa é do preparador físico do São Caetano, Carlos Pacheco, que tem acompanhado de perto o trabalho de condicionamento do meia.

"Nenhum jogador em início de temporada começa um torneio com 100%. Isso se adquire com a sequência de jogos", explicou Pacheco, que trabalhou com Rivaldo em duas ocasiões: no biênio 1996/1997, pelo Palmeiras, e no início de 2011, no Mogi Mirim.

Na equipe do Interior, porém, a convivência foi rápida, porque assim que chegou a documentação do Exterior - o meia defendeu o Bunyodkor, do Uzbequistão, em 2010 -, Rivaldo se transferiu para o São Paulo para disputar o Paulistão.

Segundo Pacheco, a carga de atividades aplicada ao atleta é diferente da direcionada aos mais jovens. "Estamos falando de um jogador de 40 anos. Mas a dedicação do Rivaldo é a mesma de sempre. E todo o trabalho é baseado no que nos é passado pelos fisiologistas", destacou.

De acordo com o fisiologista Felipe Fernandes, o trabalho de avaliação física é dividido em duas etapas. Na primeira, é analisada a composição corporal, para se medir a quantidade de gordura do organismo e, assim, determinar o peso ideal. Na segunda, é feita bateria de treinos físicos para que o atleta atinja o equilíbrio muscular. Em um dos testes, chamado limiar anaeróbico, é medida a quantidade de oxigênio que cada jogador absorve.

"Feitas estas avaliações, determinamos a carga que deve ser aplicada a cada atleta. A do Rivaldo é diferente, até porque com o passar do tempo o metabolismo desacelera e, com isso, a pessoa perde, por exemplo, potência e resistência musculares", disse Fernades. Amanhã, o time enfrenta o São Bernardo.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;