Fechar
Publicidade

Terça-Feira, 22 de Outubro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Esportes

esportes@dgabc.com.br | 4435-8384

Fui pego de surpresa, diz técnico sobre demissão

Ricardo Trida/DGABC Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra

Thiago Postigo Silva
Do Diário do Grande ABC

02/02/2013 | 07:00


Terminou ontem a segunda passagem do técnico Luciano Dias pelo São Bernardo. Campeão da Série A-2 do Paulista de 2012 pelo clube, ele não resistiu à derrota por 3 a 0 para o Palmeiras na quinta-feira, quando a equipe chegou à quarta rodada sem vitória na elite estadual e caiu para a 20ª e última colocação, com apenas um ponto. Diante da difícil situação, a diretoria preferiu dispensá-lo. O nome do substituto não foi anunciado (leia abaixo).

Além da derrota para Palmeiras, o Tigre havia sido superado por Botafogo (2 a 0) - também fora de casa - e Santos (3 a 1), no 1º de Maio. O único ponto conquistado foi diante do Guarani (0 a 0), em Campinas.

"Fui pego de surpresa e não esperava (pela saída). Sabíamos que o início da competição era complicado, mas agora tínhamos um jogo em casa (contra o São Caetano, amanhã). Caso perdêssemos essa partida, daí seria justificável minha saída. Mas sabemos que faz parte do futebol", lamentou Luciano Dias.

Segundo a diretoria, o principal motivo da demissão foi o comportamento da equipe, especialmente na derrota (3 a 0) diante do Palmeiras.

"O time em alguns momentos estava desorganizado e tomamos três gols absurdos, em erros de posicionamento. Acende uma luz quanto à sequência da competição", explicou o presidente do São Bernardo, Luiz Fernando Teixeira. "Já sabíamos que a nossa tabela era complicada no início do campeonato e alertei a torcida de que poderíamos ter resultados ruins. Mas o problema foi a equipe, que não estava bem", completou.

Sobre o duelo contra o Verdão, Dias justificou as alterações com Luciano Mandi e Kleber nas vagas de Bady e Michael. "Mandi e o Kleber não enfrentam o São Caetano (por motivo de contrato) e o Bady está pendurado. Pensamos em poupar o Bady e também o Michael contra o Palmeiras. Era uma estratégia", explicou.

Apesar da demissão, tanto o treinador quanto o diretor de Futebol do Tigre, Edgard Montemor, asseguraram que o clube deixou as portas abertas a um possível retorno.

 

Clube trabalha com nomes de três treinadores

 

Com a saída de Luciano Dias, o São Bernardo iniciou ainda ontem a procura por outro treinador. A diretoria trabalha com três nomes, mas preferiu não revelá-los.

"O que posso falar é que um tem renome nacional e outros dois conhecem muito bem a Série A-1 (do Paulista)", destacou o presidente do Tigre, Luiz Fernando Teixeira. "O perfil que buscamos tem profundo conhecimento da divisão para trazer uma história vitoriosa", completou.

A diretoria também ressaltou que os técnicos Luís Carlos Martins, que pediu demissão nesta semana do Oeste, e Ruy Scarpino - ambos já comandaram o São Bernardo - não estão na pauta. Emerson Leão, que esteve no São Caetano em 2011, também está descartado. "Será um nome novo para o São Bernardo. Só isso que posso falar", destacou o diretor de futebol, Edgard Montemor.

Já Teixeira explicou que a agremiação não tem pressa em anunciar o treinador. "Podemos fechar hoje (ontem) à noite, assim como na semana que vem. Não vamos trazer qualquer nome ao São Bernardo, mas, sim, um que ajude a equipe a reagir", explicou.

Enquanto não há o anúncio do novo contratado, Edson Boaro será o comandante do São Bernardo.

"Mesmo que anunciemos neste fim de semana, nenhum técnico gosta de dirigir a equipe logo de cara. Prefere esperar e assistir à partida", explicou Teixeira. "E confiamos no Boaro. Ele é o supervisor do futebol e sempre fez essa função (de interino). Trabalha assim desde 2009, quando o Lelo (então treinador) deixou o São Bernardo", recordou o presidente.

Boaro, porém, não teve sorte nos dois últimos anos que dirigiu a equipe. Logo quando assumiu em 2011 e 2012, o São Bernardo saiu derrotado de campo.

 

Polícia repete esquema de segurança

 

A Polícia Militar revelou ontem que o esquema de segurança para o dérbi entre São Bernardo e São Caetano, amanhã, no Estádio 1º de Maio, será parecido com o do confronto diante do Santos, que abriu o Campeonato Paulista. A única diferença é que a polícia vai trabalhar com menos oficiais.

"Devemos mandar cerca de 150 policiais porque a torcida do São Caetano é menor que a do Santos (naquele jogo foram aproximadamente 300). Mas o restante será igual", revelou o major Carlos Alberto, que fez o mesmo pedido aos torcedores: "Que todos possam chegar cedo ao 1º de Maio, assim como aconteceu diante do Santos. Temos de adquirir esse costume", completou.

 

INGRESSOS
Os bilhetes para o clássico continuam à venda hoje. Os valores são R$ 40 (R$ 20, meia-entrada) para a arquibancada geral e R$ 60 (R$ 30, meia-entrada) para a social.

Os ingressos são comercializados no Digol Sports (Shopping Marechal Plaza); Adega do Dino (Rua Jundiaí, 254, Baeta Neves); A Esportiva (Shopping Metrópole); Carbon Up (Avenida Luiz Pequini, 965, Santa Terezinha) e A Elite Sport (Rua Marechal Deodoro, 1.406, Centro). Para a torcida do São Caetano, são vendidos apenas na loja A Esportiva.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Fui pego de surpresa, diz técnico sobre demissão

Thiago Postigo Silva
Do Diário do Grande ABC

02/02/2013 | 07:00


Terminou ontem a segunda passagem do técnico Luciano Dias pelo São Bernardo. Campeão da Série A-2 do Paulista de 2012 pelo clube, ele não resistiu à derrota por 3 a 0 para o Palmeiras na quinta-feira, quando a equipe chegou à quarta rodada sem vitória na elite estadual e caiu para a 20ª e última colocação, com apenas um ponto. Diante da difícil situação, a diretoria preferiu dispensá-lo. O nome do substituto não foi anunciado (leia abaixo).

Além da derrota para Palmeiras, o Tigre havia sido superado por Botafogo (2 a 0) - também fora de casa - e Santos (3 a 1), no 1º de Maio. O único ponto conquistado foi diante do Guarani (0 a 0), em Campinas.

"Fui pego de surpresa e não esperava (pela saída). Sabíamos que o início da competição era complicado, mas agora tínhamos um jogo em casa (contra o São Caetano, amanhã). Caso perdêssemos essa partida, daí seria justificável minha saída. Mas sabemos que faz parte do futebol", lamentou Luciano Dias.

Segundo a diretoria, o principal motivo da demissão foi o comportamento da equipe, especialmente na derrota (3 a 0) diante do Palmeiras.

"O time em alguns momentos estava desorganizado e tomamos três gols absurdos, em erros de posicionamento. Acende uma luz quanto à sequência da competição", explicou o presidente do São Bernardo, Luiz Fernando Teixeira. "Já sabíamos que a nossa tabela era complicada no início do campeonato e alertei a torcida de que poderíamos ter resultados ruins. Mas o problema foi a equipe, que não estava bem", completou.

Sobre o duelo contra o Verdão, Dias justificou as alterações com Luciano Mandi e Kleber nas vagas de Bady e Michael. "Mandi e o Kleber não enfrentam o São Caetano (por motivo de contrato) e o Bady está pendurado. Pensamos em poupar o Bady e também o Michael contra o Palmeiras. Era uma estratégia", explicou.

Apesar da demissão, tanto o treinador quanto o diretor de Futebol do Tigre, Edgard Montemor, asseguraram que o clube deixou as portas abertas a um possível retorno.

 

Clube trabalha com nomes de três treinadores

 

Com a saída de Luciano Dias, o São Bernardo iniciou ainda ontem a procura por outro treinador. A diretoria trabalha com três nomes, mas preferiu não revelá-los.

"O que posso falar é que um tem renome nacional e outros dois conhecem muito bem a Série A-1 (do Paulista)", destacou o presidente do Tigre, Luiz Fernando Teixeira. "O perfil que buscamos tem profundo conhecimento da divisão para trazer uma história vitoriosa", completou.

A diretoria também ressaltou que os técnicos Luís Carlos Martins, que pediu demissão nesta semana do Oeste, e Ruy Scarpino - ambos já comandaram o São Bernardo - não estão na pauta. Emerson Leão, que esteve no São Caetano em 2011, também está descartado. "Será um nome novo para o São Bernardo. Só isso que posso falar", destacou o diretor de futebol, Edgard Montemor.

Já Teixeira explicou que a agremiação não tem pressa em anunciar o treinador. "Podemos fechar hoje (ontem) à noite, assim como na semana que vem. Não vamos trazer qualquer nome ao São Bernardo, mas, sim, um que ajude a equipe a reagir", explicou.

Enquanto não há o anúncio do novo contratado, Edson Boaro será o comandante do São Bernardo.

"Mesmo que anunciemos neste fim de semana, nenhum técnico gosta de dirigir a equipe logo de cara. Prefere esperar e assistir à partida", explicou Teixeira. "E confiamos no Boaro. Ele é o supervisor do futebol e sempre fez essa função (de interino). Trabalha assim desde 2009, quando o Lelo (então treinador) deixou o São Bernardo", recordou o presidente.

Boaro, porém, não teve sorte nos dois últimos anos que dirigiu a equipe. Logo quando assumiu em 2011 e 2012, o São Bernardo saiu derrotado de campo.

 

Polícia repete esquema de segurança

 

A Polícia Militar revelou ontem que o esquema de segurança para o dérbi entre São Bernardo e São Caetano, amanhã, no Estádio 1º de Maio, será parecido com o do confronto diante do Santos, que abriu o Campeonato Paulista. A única diferença é que a polícia vai trabalhar com menos oficiais.

"Devemos mandar cerca de 150 policiais porque a torcida do São Caetano é menor que a do Santos (naquele jogo foram aproximadamente 300). Mas o restante será igual", revelou o major Carlos Alberto, que fez o mesmo pedido aos torcedores: "Que todos possam chegar cedo ao 1º de Maio, assim como aconteceu diante do Santos. Temos de adquirir esse costume", completou.

 

INGRESSOS
Os bilhetes para o clássico continuam à venda hoje. Os valores são R$ 40 (R$ 20, meia-entrada) para a arquibancada geral e R$ 60 (R$ 30, meia-entrada) para a social.

Os ingressos são comercializados no Digol Sports (Shopping Marechal Plaza); Adega do Dino (Rua Jundiaí, 254, Baeta Neves); A Esportiva (Shopping Metrópole); Carbon Up (Avenida Luiz Pequini, 965, Santa Terezinha) e A Elite Sport (Rua Marechal Deodoro, 1.406, Centro). Para a torcida do São Caetano, são vendidos apenas na loja A Esportiva.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;