Fechar
Publicidade

Segunda-Feira, 21 de Janeiro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Cultura & Lazer

cultura@dgabc.com.br | 4435-8364

A Grande Família se
despede após 14 anos

Ellen Soares/Globo Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra

Os Silva dizem adeus à televisão na próxima
quinta-feira, mas família pode voltar em filme


Miriam Gimenes
do Diário do Grande ABC

08/09/2014 | 07:07


Exatos 4.914 dias separam o primeiro capítulo do derradeiro de A Grande Família. Durante 14 anos, a série, exibida semanalmente na Rede Globo, divertiu o público, abordou temas polêmicos, perdeu integrante – o saudoso Rogério Cardoso (Seu Floriano) –, concorreu a prêmios e virou filme. Mas, chegou a hora de dizer tchau e os Silva se despedem da televisão brasileira na próxima quinta-feira.

Encerrar um trabalho de mais de uma década não é fácil. Ainda mais quando se trata da série mais longa da televisão brasileira – que teve sua primeira versão nos anos 1970 – e com sucesso de audiência. Mas o diretor-geral Luis Felipe Sá conta que foi uma decisão conjunta da equipe. “É um desejo do elenco de experimentar outros desafios e parar ainda na crista da onda.” Segundo ele, o sucesso durante todo esse período se deu por ser uma comédia inteligente e popular, com poder de crítica aos costumes, com princípios éticos elevados e afetividade como motores principais dos personagens.

Para o capítulo de adeus – que o público já degustou algumas cenas na última quinta –, Sá promete comédia com a maestria habitual. No time escalado, além do tradicional elenco, só tem feras: Tony Ramos será Lineu, Glória Pires a Nenê, Lázaro Ramos o Agostinho, Deborah Secco a Bebel, Marcelo Adnet o Tuco, Alexandre Borges o Paulão, Luana Piovani a Lurdinha, Rufino o Florianinho e Daniel Filho o diretor da Globo. Para os fãs da sériea há esperança. “A Grande Família teve a primeira versão nos anos 1970, a segunda nas décadas de 2000 e 2010. Quem sabe não vem uma terceira em breve? Ou um segundo filme?”, diz Sá. Só o tempo dirá.

ACABOU
O ator e cantor Marcos Oliveira, que interpretou o Beiçola, diz ter sido um prazer trabalhar em A Grande Família, mas confessa que agora sente gosto de liberdade. “O mercado é assim: quando se fica muito tempo interpretando um personagem acham que não é capaz de fazer outra coisa. Todos acham que sou o Beiçola, então é uma libertação.” Oliveira, que nasceu e cresceu em Santo André – inclusive estava na inauguração do Teatro Conchita de Moraes e se apresentou no Municipal à época da Ditadura Militar – pretende fazer shows cantando clássicos da Música Popular Brasileira. Na trilha estão Noel Rosa, Cartola, Ary Barroso, Dorival Caymmi, entre outros. 



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

A Grande Família se
despede após 14 anos

Os Silva dizem adeus à televisão na próxima
quinta-feira, mas família pode voltar em filme

Miriam Gimenes
do Diário do Grande ABC

08/09/2014 | 07:07


Exatos 4.914 dias separam o primeiro capítulo do derradeiro de A Grande Família. Durante 14 anos, a série, exibida semanalmente na Rede Globo, divertiu o público, abordou temas polêmicos, perdeu integrante – o saudoso Rogério Cardoso (Seu Floriano) –, concorreu a prêmios e virou filme. Mas, chegou a hora de dizer tchau e os Silva se despedem da televisão brasileira na próxima quinta-feira.

Encerrar um trabalho de mais de uma década não é fácil. Ainda mais quando se trata da série mais longa da televisão brasileira – que teve sua primeira versão nos anos 1970 – e com sucesso de audiência. Mas o diretor-geral Luis Felipe Sá conta que foi uma decisão conjunta da equipe. “É um desejo do elenco de experimentar outros desafios e parar ainda na crista da onda.” Segundo ele, o sucesso durante todo esse período se deu por ser uma comédia inteligente e popular, com poder de crítica aos costumes, com princípios éticos elevados e afetividade como motores principais dos personagens.

Para o capítulo de adeus – que o público já degustou algumas cenas na última quinta –, Sá promete comédia com a maestria habitual. No time escalado, além do tradicional elenco, só tem feras: Tony Ramos será Lineu, Glória Pires a Nenê, Lázaro Ramos o Agostinho, Deborah Secco a Bebel, Marcelo Adnet o Tuco, Alexandre Borges o Paulão, Luana Piovani a Lurdinha, Rufino o Florianinho e Daniel Filho o diretor da Globo. Para os fãs da sériea há esperança. “A Grande Família teve a primeira versão nos anos 1970, a segunda nas décadas de 2000 e 2010. Quem sabe não vem uma terceira em breve? Ou um segundo filme?”, diz Sá. Só o tempo dirá.

ACABOU
O ator e cantor Marcos Oliveira, que interpretou o Beiçola, diz ter sido um prazer trabalhar em A Grande Família, mas confessa que agora sente gosto de liberdade. “O mercado é assim: quando se fica muito tempo interpretando um personagem acham que não é capaz de fazer outra coisa. Todos acham que sou o Beiçola, então é uma libertação.” Oliveira, que nasceu e cresceu em Santo André – inclusive estava na inauguração do Teatro Conchita de Moraes e se apresentou no Municipal à época da Ditadura Militar – pretende fazer shows cantando clássicos da Música Popular Brasileira. Na trilha estão Noel Rosa, Cartola, Ary Barroso, Dorival Caymmi, entre outros. 

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;