Fechar
Publicidade

Quinta-Feira, 4 de Junho

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Turismo

turismo@dgabc.com.br | 4435-8367

O que fazer quando a bagagem se perde?


Gustavo Cipriano
Especial para o Diário

14/08/2014 | 07:00


 Perder a mala no aeroporto é uma das maiores preocupações, principalmente porque esse tipo de dor de cabeça é comum. Muitas vezes, a bagagem acaba extraviando e embarcando para outro destino. Se a mala não aparecer na esteira, a primeira dica é não se desesperar e procurar o funcionário da companhia aérea do seu voo. Caso não haja ninguém, vá ao setor de bagagens perdidas (lost luggage).

De acordo com a TAM, o procedimento deve ser feito antes de sair da sala de desembarque. “O funcionário analisará a ocorrência, que será registrada no Relatório de Irregularidade de Bagagem (RIB), Uma cópia é fornecida ao passageiro.” Por isso, é importante guardar os cartões de embarque e comprovante da bagagem despachada. A partir daí é só esperar. Segundo a Gol, o prazo é de, em média, 30 dias. Caso a bagagem não seja localizada nesse prazo, a empresa encaminha a reclamação para a central de indenizações e o passageiro é ressarcido.

Na hora de organizar as malas, portanto, faça lista com tudo o que lembrar e, se possível, fotografe a bagagem aberta. Outra dica é carregar os itens de mais valor na bagagem de mão. A Gol orienta a levar na mala que vai com o passageiro computadores, máquinas fotográficas, celulares, dinheiro, além de uma muda de roupa. “Lembramos que todo cliente tem a opção de declarar os valores atribuídos à sua bagagem antes do embarque.”

RODOVIÁRIA
Quase não se perde bagagens nas viagens de ônibus. Mesmo assim, vale identificar as malas corretamente e ficar atento. “Principalmente nos feriados, encontramos muitos objetos no setor de achados e perdidos. Uma simples etiqueta com a identificação certa facilita o nosso trabalho”, comentou Juliana Menezes, porta-voz da Socicam, empresa responsável pelas rodoviárias do Tietê, Jabaquara e Barra Funda, em São Paulo.

E há itens perdidos de todos os tipos nas rodoviárias. Na lista estão cadeiras de rodas, muletas e bicicletas. Até fogão já chegou a ser abandonado por algum viajante. “No fim do ano, boa parte das pessoas viaja ao Nordeste e, às vezes, quer levar um presente para alguém. Só que quando chegam na rodoviária se deparam com excesso de bagagem e acabam tendo de largar alguns itens”, contou a porta-voz.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

O que fazer quando a bagagem se perde?

Gustavo Cipriano
Especial para o Diário

14/08/2014 | 07:00


 Perder a mala no aeroporto é uma das maiores preocupações, principalmente porque esse tipo de dor de cabeça é comum. Muitas vezes, a bagagem acaba extraviando e embarcando para outro destino. Se a mala não aparecer na esteira, a primeira dica é não se desesperar e procurar o funcionário da companhia aérea do seu voo. Caso não haja ninguém, vá ao setor de bagagens perdidas (lost luggage).

De acordo com a TAM, o procedimento deve ser feito antes de sair da sala de desembarque. “O funcionário analisará a ocorrência, que será registrada no Relatório de Irregularidade de Bagagem (RIB), Uma cópia é fornecida ao passageiro.” Por isso, é importante guardar os cartões de embarque e comprovante da bagagem despachada. A partir daí é só esperar. Segundo a Gol, o prazo é de, em média, 30 dias. Caso a bagagem não seja localizada nesse prazo, a empresa encaminha a reclamação para a central de indenizações e o passageiro é ressarcido.

Na hora de organizar as malas, portanto, faça lista com tudo o que lembrar e, se possível, fotografe a bagagem aberta. Outra dica é carregar os itens de mais valor na bagagem de mão. A Gol orienta a levar na mala que vai com o passageiro computadores, máquinas fotográficas, celulares, dinheiro, além de uma muda de roupa. “Lembramos que todo cliente tem a opção de declarar os valores atribuídos à sua bagagem antes do embarque.”

RODOVIÁRIA
Quase não se perde bagagens nas viagens de ônibus. Mesmo assim, vale identificar as malas corretamente e ficar atento. “Principalmente nos feriados, encontramos muitos objetos no setor de achados e perdidos. Uma simples etiqueta com a identificação certa facilita o nosso trabalho”, comentou Juliana Menezes, porta-voz da Socicam, empresa responsável pelas rodoviárias do Tietê, Jabaquara e Barra Funda, em São Paulo.

E há itens perdidos de todos os tipos nas rodoviárias. Na lista estão cadeiras de rodas, muletas e bicicletas. Até fogão já chegou a ser abandonado por algum viajante. “No fim do ano, boa parte das pessoas viaja ao Nordeste e, às vezes, quer levar um presente para alguém. Só que quando chegam na rodoviária se deparam com excesso de bagagem e acabam tendo de largar alguns itens”, contou a porta-voz.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;