Fechar
Publicidade

Domingo, 28 de Novembro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

setecidades@dgabc.com.br | 4435-8319

Netos também mudam atitudes dos mais velhos

Arquivo Pessoal Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra

Caroline Garcia
Do Diário OnLine

26/07/2014 | 07:00


Depois dos pais, avós os são personagens principais quando o assunto é educação dos netos. São ainda aqueles que mimam e que fazem as comidas mais gostosas. Por outro lado, os mais velhos também mudam a rotina e até o comportamento com a chegada dos mais novinhos.

“Aprendi a gostar de novo de ir ao cinema, teatro e passear no shopping”, disse Maria Luisa Lopes Demarchi, 73 anos, de São Bernardo. Ou apenas “nona” para os quatro netos, entre 2 e 23 anos. “Cada um que chegou deixou minha vida mais alegre. As crianças hoje são minha razão de viver.”

Depois de ela e o marido terem criado as três filhas, Maria Luisa reaprendeu a inventar brincadeiras. “Participei de atividades de escola, fui em festinhas, levei em parques e até cartão de Playland eu tinha.”

Uma das netas, a estudante Ana Carolina Mesquita, 16, não imagina sua criação sem a presença dos avós. “Frequento a casa deles desde que eu nasci. Além de me transmitirem uma sensação de paz e conforto, me ensinaram e me ensinam muita coisa.”

A avó também não consegue passar muito tempo longe dos netos. “Um deles foi fazer um curso em Nova York e eu tinha que conversar com ele um dia sim, outro não, senão tinha um troço”, contou “nona”.

Apesar de morar com dois de seus seis netos, Gilda Santos Lopes, 73, de São Bernardo, também não costuma passar muito tempo longe de casa. “A gente não se separa e tem até crise de ciúmes entre os netos por acharem que eu gosto mais das duas. Tento explicar que é diferente porque elas moram comigo, então, a liberdade acaba sendo diferente também.”

Para Gilda, que também tem um bisneto de 6 anos, dar palpite na criação é mais fácil quando os netos são por parte de filha do que do filho. “A nora acaba indo mais para o lado da mãe dela e pode não gostar se dermos algum palpite. Já com a filha, tentamos transmitir com mais facilidade tudo o que sabemos.”

Tecnologia batendo na porta

Celulares, computadores, tablets e internet são relativamente novos. Realidade que não fazia parte, até agora, da vida dos avós. Os netos, mais conectados, são, geralmente, os responsáveis por transmitirem esse conhecimento. Mas, às vezes, não é uma tarefa fácil.

Maria Luisa ou "nona" com os quatro netos 

É bem complicado ensinar questões tecnológicas aos meus avós. É necessário muita paciência, pois normalmente demoram para aprender, e é preciso ensinar pouco a pouco”, contou Ana Carolina. Já Maria Luisa, afirma que eles têm paciência. “Vou fuçando e perguntando, mas já sei mexer em e-mail, Facebook e Whatsapp.”

Na casa da família Lopes, o aprendizado ainda está em passos lentos. “Não é que a gente não tenha paciência, mas minha avó acha que é complicado e que tem muita informação para a cabeça dela. Ela já sabe fazer ligação no celular, mas ensinar como manda mensagem está difícil”, disse a neta Stefanie Lopes, 14.

Data

O Dia dos Avós, comemorado neste sábado, é de origem bíblica. A data serve como homenagem a Santa Ana e São Joaquim, pais de Maria, e portanto, avós de Jesus. São considerados padroeiros dos avós.



Quer receber em primeira mão as notícias das sete cidades do Grande ABC?

Entre no nosso grupo de WhatsApp. 
Clique aqui.
 

Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.


Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;