Fechar
Publicidade

Sábado, 16 de Outubro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Esportes

esportes@dgabc.com.br | 4435-8384

Argentinos planejam invadir o Maracanã

Como a maioria dos ‘hermanos’ não tem ingresso, saída seria forçar entrada; polícia prepara maior operação da história do Rio


Dérek Bittencourt
Do Diário do Grande ABC

13/07/2014 | 07:00


 O grande número de argentinos no Rio de Janeiro tem sido bem controlado pelo policiamento a partir de a chegada em massa à capital fluminense, desde a quinta-feira. Alocados principalmente em três pontos (Terreirão do Samba, Sambódromo e Praia de Copacabana), a maioria dos aproximadamente 100 mil vizinhos hermanos que viajaram à Cidade Maravilhosa não tem ingressos, cenário que desenha um possível problema: uma tentativa de invasão – literal – ao Estádio do Maracanã.

A exemplo do que fizeram aproximadamente 100 chilenos antes do jogo contra a Espanha, os argentinos admitem a possibilidade de, mesmo sem os bilhetes, tentar em grande número de pessoas furar os bloqueios realizados pelos policiais a dois quilômetros do estádio, superar os portões e se misturar àqueles que têm entrada. Segundo alguns hermanos hospedados em barracas no Terreirão do Samba que, obviamente não se identificaram, o plano é assistir ao jogo “a qualquer custo”, afinal não se contentariam em vê-lo na Fan Fest, em Copacabana, que tem entrada gratuita. Quando comparados à ação dos chilenos, os sul-americanos riram. “Eles foram poucos perto do que a gente planeja”, disse outro, em meio a risadas e goles de cerveja.

Para tentar coibir qualquer tipo de ação, foi anunciada a maior operação policial da história do Rio de Janeiro, com trabalho em conjunto de 9.300 homens do Ministério da Defesa, 800 da Força Nacional, 1.000 do Departamento de Polícia Federal, 800 da Polícia Rodoviária Federal, 505 da Polícia Civil, 10 mil da Polícia Militar, 1.750 do Corpo de Bombeiros, 1.032 da Guarda Municipal e 600 da CET-Rio. Assim, no total serão 25.787 homens.

Segundo o secretário de Segurança do Rio, José Mariano Beltrame, “esse número de homens dará segurança para os turistas, chefes de Estado, torcedores e à população. Temos que ter um grande aporte para não sermos pegos de surpresa em nenhuma adversidade.”
Na parte do trânsito, algumas vias próximas ao Maracanã foram bloqueadas às 23h de ontem e outras serão a partir das 6h de hoje. Já a recomendação é para que os bares sejam fechados duas horas antes da cerimônia de encerramento, marcada para iniciar às 14h20.

Projeção aponta expectativa de quase 75 mil pessoas na final - Em projeção feita pela Fifa e apresentada ontem, a expectativa é que entre 74.300 e 74.738 torcedores estejam presentes ao Estádio do Maracanã hoje para acompanhar a final da Copa do Mundo entre Alemanha e Argentina. Dessa totalidade, os brasileiros possuem 12.984 ingressos; argentinos 4.461; enquanto os alemães têm 4.066 – o restante é de torcedores de outros países.

Ontem, no entorno do Maracanã e na orla de Copacabana, ainda eram muitos os estrangeiros das mais diversas nacionalidades (não só as envolvidas na decisão) em busca de ingressos. Mas além de poucas ofertas, as que surgiam saíam a preços estratosféricos, o que assustava aqueles que buscavam bilhetes.

TURISMO
Segundo dados da Polícia Federal divulgados ontem, por sites especializados, a Copa do Mundo no Brasil superou o número de turistas esperados para acompanhar o evento. Inicialmente, a expectativa era de que 600 mil pessoas viajassem ao País, mas a realidade foi além disso, com aproximadamente 692 mil estrangeiros de 206 nacionalidades.

Os números são referentes à entrada de gringos no mês de junho. Destes, 101 mil chegaram procedentes da Argentina, 44 mil do Chile, 41 mil da Colômbia e 34 mil do México. Tais condições, além da proximidade dos países do continente americano, têm ligação com o desempenho dessas seleções. Todas elas avançaram na primeira fase do Mundial.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.


Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;