Fechar
Publicidade

Segunda-Feira, 29 de Novembro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

politica@dgabc.com.br | 4435-8391

Aidan promete forte
oposição a Grana

Com possível ida ao PSDB, prefeito de Sto.André levantaria
bandeira contrária ao modelo petista a partir do ano que vem


Fábio Martins
Do Diário do Grande ABC

02/11/2012 | 06:57


Sem alcançar a reeleição, o prefeito de Santo André, Aidan Ravin (PTB), sustentou que exercerá forte fiscalização sobre o governo Carlos Grana (PT), a partir de 2013, mesmo sem antecipar seu futuro político. Dando continuidade às acusações feitas durante a campanha, o petebista aproveitou para alfinetar o ex-concorrente ao afirmar que "mora na cidade" e por isso fará vigia perante as ações petistas em sua sucessão. "O que me prejudicar, prejudicar o grupo, a gente vai estar em cima."

Por todo o segundo turno, Aidan bateu na tecla de o petista ser "forasteiro". Segundo o prefeito, a prova era que Grana disputou a eleição de 2010 para deputado estadual, declarando uma residência em Ribeirão Pires no Imposto de Renda. "Eu não, diferente dele, nasci, moro e constitui família em Santo André", justificou. Incomodado com as declarações recorrentes, Grana rebateu as afirmações no período, afirmando que viveu e foi criado na Vila Palmares e hoje reside na Vila Bastos.

Com a derrota domingo nas urnas, o prefeito tem chance real de migrar para o PSDB, um dos únicos partidos na cidade que, apesar de declínio eleitoral - sem garantir, por exemplo, representatividade na Câmara pela primeira vez na história -, manterão posição oposicionista ao PT, com discurso de oxigenação dos quadros. Aidan pretende, inicialmente, encerrar o mandato no Executivo, no fim de dezembro, para posteriormente acertar sua situação. "Quero primeiro arredondar tudo e depois a gente conversar sobre isso."

Embora evite falar do futuro, Aidan prevê, com esse discurso, levantar a bandeira da oposição, o que parece cada vez mais complicado dentro do PTB em razão do desgaste eleitoral. O chefe do Executivo integra as fileiras petebistas desde 2007. Com possível migração para o lado tucano, ele poderia liderar frente a começar pela eleição de 2014. Cogita-se, inclusive, a formação de dobrada entre Aidan (deputado estadual) e o secretário estadual de Meio Ambiente, Bruno Covas (PSDB, para federal).

A ida ao PSDB contém pontos positivos e negativos. O tucanato prevê aumentar o recall eleitoral com Aidan, sem grupo no PTB. Em contrapartida, ele traria a rejeição obtida nos quatro anos de governo.

Aidan ponderou que não conseguiu ter a percepção dos erros cometidos (na administração ou na campanha), que culminaram no insucesso diante do petista, mesmo Grana sendo nome desconhecido na política andreense antes do pleito. "Vamos sentar e definir isso. Agora não dá para falar."

Para Aidan, a campanha petebista jogou limpo, diferentemente do PT. "Não estou menosprezando a vitória do adversário, mas houve um monte de coisas que sabemos que aconteceu. De qualquer forma, missão cumprida, fiz a minha parte, vou sair de cabeça erguida."  (colaborou Rogério Santos)

 

 



Quer receber em primeira mão as notícias das sete cidades do Grande ABC?

Entre no nosso grupo de WhatsApp. 
Clique aqui.
 

Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.


Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;