Fechar
Publicidade

Terça-Feira, 10 de Dezembro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Política

politica@dgabc.com.br | 4435-8391

Maria Inês culpa FHC por falta de recursos na sua gestão


Erica Martin
Do DIário do Grande ABC

04/09/2012 | 06:32


O nome do ex-presidente da República Fernando Henrique Cardoso (PSDB) é citado com frequência nos discursos feitos pela candidata do PT ao Paço de Ribeirão Pires, Maria Inês Soares. Para a prefeiturável, o período em que o sociólogo comandou o País (entre 1995 e 2002) foi desfavorável para o desenvolvimento local e também para a sua gestão - a petista administrou a cidade entre 1997 e 2004.

"A política do governo Fernando Henrique não era aberta para parcerias municipais. A participação dos municípios no bolo orçamentário era por meio das emendas parlamentares. Não tinha como pleitear recursos, não existiam muitos programas federais", analisou.

Maria Inês afirmou que teve dificuldades para executar projetos na cidade, como por exemplo a pavimentação de ruas e o investimento em obras de infraestrutura. "Não tínhamos recursos externos, era apenas recurso do Orçamento municipal".

A fala sobre a dificuldade enfrentada na época em que o tucano esteve à frente do Palácio do Planalto também foi replicada pela ministra do Planejamento, Miriam Belchior, que esteve em Ribeirão Pires no sábado. Ela mencionou que as obras contra enchente, encabeçadas por Maria Inês, foram feitas sem recurso estadual nem federal, já que "na ocasião não se valorizava os projetos municipais". A representante do governo federal ainda destacou que o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) foi quem criou o ministério das Cidades (em 2003) para ajudar os municípios a enfrentarem seus problemas estruturais.

A postulante Maria Inês justifica que diante do crescimento do Orçamento de Ribeirão - previsto para R$ 231 milhões, em 2013, e das condições econômicas mais favoráveis ao brasileiro - será possível alavancar as obras municipais, caso ela seja eleita. "Agora que o Brasil cresceu, melhorou e está distribuindo renda, nosso Orçamento municipal cresceu três vezes (em relação à época em que foi prefeita). Além disso, hoje todos os municípios podem ter (recurso) é só apresentar o projeto."



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Maria Inês culpa FHC por falta de recursos na sua gestão

Erica Martin
Do DIário do Grande ABC

04/09/2012 | 06:32


O nome do ex-presidente da República Fernando Henrique Cardoso (PSDB) é citado com frequência nos discursos feitos pela candidata do PT ao Paço de Ribeirão Pires, Maria Inês Soares. Para a prefeiturável, o período em que o sociólogo comandou o País (entre 1995 e 2002) foi desfavorável para o desenvolvimento local e também para a sua gestão - a petista administrou a cidade entre 1997 e 2004.

"A política do governo Fernando Henrique não era aberta para parcerias municipais. A participação dos municípios no bolo orçamentário era por meio das emendas parlamentares. Não tinha como pleitear recursos, não existiam muitos programas federais", analisou.

Maria Inês afirmou que teve dificuldades para executar projetos na cidade, como por exemplo a pavimentação de ruas e o investimento em obras de infraestrutura. "Não tínhamos recursos externos, era apenas recurso do Orçamento municipal".

A fala sobre a dificuldade enfrentada na época em que o tucano esteve à frente do Palácio do Planalto também foi replicada pela ministra do Planejamento, Miriam Belchior, que esteve em Ribeirão Pires no sábado. Ela mencionou que as obras contra enchente, encabeçadas por Maria Inês, foram feitas sem recurso estadual nem federal, já que "na ocasião não se valorizava os projetos municipais". A representante do governo federal ainda destacou que o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) foi quem criou o ministério das Cidades (em 2003) para ajudar os municípios a enfrentarem seus problemas estruturais.

A postulante Maria Inês justifica que diante do crescimento do Orçamento de Ribeirão - previsto para R$ 231 milhões, em 2013, e das condições econômicas mais favoráveis ao brasileiro - será possível alavancar as obras municipais, caso ela seja eleita. "Agora que o Brasil cresceu, melhorou e está distribuindo renda, nosso Orçamento municipal cresceu três vezes (em relação à época em que foi prefeita). Além disso, hoje todos os municípios podem ter (recurso) é só apresentar o projeto."

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;