Fechar
Publicidade

Domingo, 23 de Fevereiro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Política

politica@dgabc.com.br | 4435-8391

Avaliação ótima ou boa do governo Dilma sobe para 35%



03/07/2014 | 03:06


A aprovação do governo Dilma Rousseff (PT), medida pela soma das avaliações "ótimo" e "bom" do governo, ficou em 35%. Em junho, o porcentual era de 33%. Em março do ano passado, antes dos protestos de rua, Dilma chegou a registrar 65% de aprovação entre os eleitores. Segundo a pesquisa, 26% classificam o atual governo como "ruim" ou "péssimo" e 38%, como "regular". Na pesquisa anterior, 28% consideravam o governo "ruim" ou "péssimo" e 38%, "regular".

O levantamento do Datafolha foi feito entre os dias 1º e 2 de julho com 2.857 pessoas em 177 municípios do País. A pesquisa foi registrada no TSE sob o protocolo BR-00194/2014 e tem margem de erro máxima de 2 pontos porcentuais e nível de confiança de 95%.

Copa do Mundo

Segundo o levantamento, a Copa do Mundo é apontada como um dos fatores para a melhora do cenário do governo Dilma. A proporção de brasileiros que apoiam o evento no Brasil passou para 63%, de 51% em junho. Já o orgulho em sediar o Mundial saltou de 45% para 60%.

Sobre os impactos que a Copa traz para o País, os brasileiros se mostram divididos: 46% consideram que o evento traz mais prejuízos dos que benefícios, enquanto 45% veem mais benefícios do que prejuízos. Outros 9% não responderam.

A pesquisa também perguntou sobre as vaias que a presidente Dilma Rousseff recebeu na abertura do Mundial, na Arena Itaquerão, no último dia 12 de junho. Para 76%, os torcedores que xingaram a presidente agiram mal. Outros 17% acreditam que a ação foi correta. Por fim, os entrevistados responderam sobre os protestos durante a Copa do Mundo e 65% creem que as manifestações são uma vergonha para o País.

Expectativas

A pesquisa Datafolha também perguntou aos entrevistados quais são suas expectativas para o futuro da economia do País. Do total, 30% estão otimistas e acreditam que a situação econômica vai melhorar, ante 26% do mês anterior. Outros 36% (32% em junho) disseram que a economia vai se manter como está e 29% acham que vai piorar, contra 36% do último levantamento.

Questionados sobre a inflação, 58% dos entrevistados disseram acreditar que os preços vão aumentar, 27% esperam que o índice de preços se mantenha estável. Apenas 9% estão otimistas e veem uma possível queda na inflação. Em relação ao último levantamento, os números melhoraram: 64% acreditava em uma alta dos preços, 21% apostava na estabilidade e 7% diziam que a inflação cairia.

Sobre o desemprego, 43% dos entrevistados afirmam que deve aumentar, 31% acham que vai permanecer estável e 21% acreditam em uma queda no número de pessoas sem trabalho.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Avaliação ótima ou boa do governo Dilma sobe para 35%


03/07/2014 | 03:06


A aprovação do governo Dilma Rousseff (PT), medida pela soma das avaliações "ótimo" e "bom" do governo, ficou em 35%. Em junho, o porcentual era de 33%. Em março do ano passado, antes dos protestos de rua, Dilma chegou a registrar 65% de aprovação entre os eleitores. Segundo a pesquisa, 26% classificam o atual governo como "ruim" ou "péssimo" e 38%, como "regular". Na pesquisa anterior, 28% consideravam o governo "ruim" ou "péssimo" e 38%, "regular".

O levantamento do Datafolha foi feito entre os dias 1º e 2 de julho com 2.857 pessoas em 177 municípios do País. A pesquisa foi registrada no TSE sob o protocolo BR-00194/2014 e tem margem de erro máxima de 2 pontos porcentuais e nível de confiança de 95%.

Copa do Mundo

Segundo o levantamento, a Copa do Mundo é apontada como um dos fatores para a melhora do cenário do governo Dilma. A proporção de brasileiros que apoiam o evento no Brasil passou para 63%, de 51% em junho. Já o orgulho em sediar o Mundial saltou de 45% para 60%.

Sobre os impactos que a Copa traz para o País, os brasileiros se mostram divididos: 46% consideram que o evento traz mais prejuízos dos que benefícios, enquanto 45% veem mais benefícios do que prejuízos. Outros 9% não responderam.

A pesquisa também perguntou sobre as vaias que a presidente Dilma Rousseff recebeu na abertura do Mundial, na Arena Itaquerão, no último dia 12 de junho. Para 76%, os torcedores que xingaram a presidente agiram mal. Outros 17% acreditam que a ação foi correta. Por fim, os entrevistados responderam sobre os protestos durante a Copa do Mundo e 65% creem que as manifestações são uma vergonha para o País.

Expectativas

A pesquisa Datafolha também perguntou aos entrevistados quais são suas expectativas para o futuro da economia do País. Do total, 30% estão otimistas e acreditam que a situação econômica vai melhorar, ante 26% do mês anterior. Outros 36% (32% em junho) disseram que a economia vai se manter como está e 29% acham que vai piorar, contra 36% do último levantamento.

Questionados sobre a inflação, 58% dos entrevistados disseram acreditar que os preços vão aumentar, 27% esperam que o índice de preços se mantenha estável. Apenas 9% estão otimistas e veem uma possível queda na inflação. Em relação ao último levantamento, os números melhoraram: 64% acreditava em uma alta dos preços, 21% apostava na estabilidade e 7% diziam que a inflação cairia.

Sobre o desemprego, 43% dos entrevistados afirmam que deve aumentar, 31% acham que vai permanecer estável e 21% acreditam em uma queda no número de pessoas sem trabalho.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;