Fechar
Publicidade

Sexta-Feira, 3 de Dezembro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

esportes@dgabc.com.br | 4435-8384

Marc Wilmots já pensa na Argentina

Treinador belga praticamente não fala sobre jogo contra os Estados Unidos, já visando o duelo das quartas de final


Dérek Bittencourt
Enviado a Salvador

02/07/2014 | 07:00


A Bélgica conquistou a classificação após muito tentar superar o goleiro Tim Howard. A vaga veio apenas na prorrogação, com os Estados Unidos buscando o empate até o fim. Apesar de todos esses ingredientes, a maior parte da coletiva de imprensa do técnico Marc Wilmots foi para falar sobre o próximo adversário dos belgas, a Argentina, sábado, em Brasília.

E não foram os jornalistas quem incitaram o treinador a dar início ao assunto. Pelo contrário. Logo em sua primeira resposta o ex-jogador já falou das suas projeções. “Merecemos ganhar e já estou focalizando as quartas de final contra a Argentina. Temos pouco tempo para nos preparar”, afirmou Wilmots, de maneira bastante direta.

O comandante, inclusive, foi além e destacou que há pontos fracos no próximo adversário, apesar de destacar as qualidades pelo que viu dos argentinos até agora. “Vi três zagueiros que jogam muito bem. Têm Messi, Di María... Mas também há falta de equilíbrio na equipe. Não somos favoritos, mas queremos ganhar e chegar até a final. Podem ter certeza que vamos jogar bem. Queremos ver o que vão fazer para nos atrapalhar. Tenho tudo preparado na minha cabeça. Não vamos ficar de olho só no Messi, mas observar a Argentina como um todo”, disse Wilmots.

Um pouco ríspido em algumas respostas, o técnico terminou a coletiva com a frase que utilizou para motivar seu time. “Falei que tem dois voos saindo amanhã (hoje), um para casa e outro para Brasília. Eles querem ir para Brasília”, concluiu.

Klinsmann cita aprendizado para os Estados Unidos

A eliminação norte-americana nas oitavas de final da Copa do Mundo frente à Bélgica, ontem, foi lamentada pelo técnico Jürgen Klinsmann durante a coletiva de imprensa. No entanto, o treinador tratou de exaltar a postura aguerrida do grupo e falou que o alto nível apresentado por seus comandados serve de aprendizado às competições futuras, como a Olimpíada do Rio de Janeiro e a Copa América nos Estados Unidos, ambas em 2016.

“Foi um jogo extremo e estamos orgulhosos da nossa equipe e dos nossos jogadores, que deram o máximo de si. O país está orgulhoso deles. Temos de engolir essa eliminação e, apesar de um pouco chateados, seguir adiante”, destacou Klinsmann. “Estou empolgado com novos jogadores que estão surgindo e temos de preparar o ciclo olímpico, no Rio de Janeiro, daqui a dois anos. Também teremos a Copa América nos Estados Unidos daqui a dois anos. Além disso, torcida do futebol está aumentando e a Liga (norte-americana, a MLS) está ficando mais forte.”

Na visão do goleiro Tim Howard, o time se despede com atuações brigadoras não só ontem, como anteriormente. “Tivemos uma perfomance valente. Dói, perder sempre dói. Mas penso que jogamos muito bem. Passamos no grupo da morte com boas atuações. Esperamos estar de volta em quatro anos para mais”, concluiu o camisa 1.



Quer receber em primeira mão as notícias das sete cidades do Grande ABC?

Entre no nosso grupo de WhatsApp. 
Clique aqui.
 

Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.


Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;