Fechar
Publicidade

Sexta-Feira, 3 de Julho

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Setecidades

setecidades@dgabc.com.br | 4435-8319

Bilhete Único é usado em 6,6% das viagens

Nario Barbosa/DGABC Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra

Criado há um ano, sistema possibilitou integração temporal para cerca de 4,2 milhões de passageiros das linhas municipais


Fábio Munhoz
Do Diário do Grande ABC

14/06/2014 | 07:00


Em um ano de funcionamento, o Bilhete Único Andreense possibilitou que pouco mais de 4,2 milhões de passageiros do sistema municipal de Transporte de Santo André realizassem integração temporal entre linhas sem pagamento adicional de tarifa. O número equivale a cerca de 6,6% dos 64,3 milhões de usuários transportados desde junho do ano passado.

Segundo o prefeito Carlos Grana (PT), as integrações apresentam crescimento mensal. Somente em maio foram cerca de 7,5% de conexões gratuitas com o uso do tíquete eletrônico. Quando o sistema foi lançado, a meta anunciada pela Prefeitura era chegar a 7% até o fim do ano. O chefe do Executivo espera crescimento ainda maior depois que algumas medidas previstas forem implementadas.

Entre as ações planejadas está a elaboração de pesquisa de origem e destino, que irá traçar panorama completo da demanda pelo serviço na cidade. “À medida que outras etapas forem concluídas, esse número pode aumentar. Ainda não tivemos nenhuma mudança em linhas”, comenta o prefeito. O estudo deverá ser finalizado até dezembro.

Grana avalia que também causarão impactos no Transporte municipal intervenções como a construção da Linha 18-Bronze do Metrô (Tamanduateí-Djalma Dutra) e a reforma de estações da Linha 10-Turquesa (Brás-Rio Grande da Serra) da CPTM (Companhia Paulista de Trens Metropolitanos).

O secretário de Mobilidade Urbana, Obras e Serviços Públicos, Paulinho Serra (PSD), adianta que uma das mudanças que deverão ser feitas depois da conclusão da pesquisa será a diminuição na quantidade de linhas que percorrem a região central. “Entre 600 e 700 ônibus entram no Centro todos diariamente.” A possibilidade da integração gratuita exclui a necessidade de o coletivo sair de bairros periféricos e chegar até a porção central da cidade. Com isso, o trânsito deve ganhar mais fluidez.

Outra intervenção apontada pelo prefeito como capaz de diminuir o número de passageiros que passam pelo Centro é a abertura de estação da CPTM (Companhia Paulista de Trens Metropolitanos) nas proximidades de onde funcionou, até 2006, a parada Pirelli. A criação de mais uma plataforma de embarque e desembarque na Linha 10 foi prometida pelo governador Geraldo Alckmin (PSDB) em outubro do ano passado e já foi confirmada pela CPTM, mas ainda não há data para que a obra saia do papel. “Com a reabertura, o pessoal da Vila Luzita poderá pegar o trem nessa estação, sem ter de se dirigir para a região central”, destaca o secretário. O terminal de ônibus do bairro tem demanda de 50 mil usuários por dia.

RENOVAÇÃO

Paulinho salienta que, desde o início do ano passado, 87 ônibus zero-quilômetro foram colocados em circulação, entre renovação e ampliação da frota. O número equivale a cerca de 20% dos 404 coletivos municipais que circulam pela cidade atualmente. O secretário salienta que todos os veículos que integram o sistema têm idade inferior a cinco anos.

O titular da Pasta afirma também que já foram instalados painéis informativos em 30 abrigos de ônibus. A meta é chegar a 100 locais até o fim do ano.

Aplicativo irá mostrar localização do ônibus

A Aesa (Associação das Empresas do Sistema de Transporte de Santo André) contratou serviço para desenvolvimento de aplicativo para smartphone que irá mostrar a localização dos ônibus municipais em tempo real. O mecanismo funcionará por meio de tecnologia GPS. A previsão é de que o software entre em funcionamento em 90 dias.

Segundo o gerente-geral da Aesa, Luiz Marcondes de Freitas Júnior, o serviço custará em torno de R$ 700 mil a R$ 800 mil por ano. O aplicativo estará disponível para as plataformas Android, Windows Phone e iOS. Todas as linhas municipais serão monitoradas pelo aplicativo.

Marcondes explica que o programa deverá funcionar por meio da localização informada pelo usuário. “O passageiro irá colocar o número do ponto em que está e a linha que utiliza”. No entanto, o software ainda está em fase de desenvolvimento e poderá ser aperfeiçoado conforme a necessidade.

A associação estuda também a compra de painéis eletrônicos para serem colocados em abrigos e terminais. Os equipamentos mostrarão o tempo estimado para que os coletivos cheguem ao ponto de embarque, sistema semelhante ao adotado em alguns locais da Capital. A quantidade de painéis e a localização dos aparelhos serão definidas pela SA Trans, empresa que gerencia o Transporte público na cidade.

SÃO CAETANO

Na quarta-feira, o prefeito de São Caetano, Paulo Pinheiro (PMDB), anunciou o início do funcionamento de aplicativo que também mostrará a localização dos coletivos da cidade. A informação também pode ser consultada pelo site www.cittabus.com.br e em painel no Terminal Nicolau Delic, no Centro. A ação não teve custos para a Prefeitura.

Usuários aprovam modelo e apontam estímulo ao Transporte público

Passageiros do sistema municipal de Transporte de Santo André aprovam o funcionamento do Bilhete Único Andreense e avaliam que a medida estimula os munícipes a deixarem o carro em casa e utilizarem os ônibus como meio de deslocamento.

“Tudo que é feito pela Mobilidade Urbana é válido. O Bilhete Único é importante, mas deve ser acompanhado de outras melhorias, como a diminuição do tempo de espera pelo ônibus”, comenta a analista de recursos humanos Jennifer Oblitas, 24 anos.

Em dias úteis, o analista contábil Diego Massa, 25, utiliza o vale-transporte fornecido pela empresa onde trabalha para se locomover. No entanto, reconhece que o tíquete eletrônico é importante para diminuir o número de automóveis em circulação. “Para São Paulo, por exemplo, eu ia sempre de carro. Mas depois que fiz o Bilhete Único passei a utilizar somente o Transporte público.”

Já o analista de sistemas Alex de Paula Morales, 30, ainda não fez cadastro no sistema. No entanto, elogia a medida. “O fato de pagar só uma passagem compensa muito e com certeza atrai usuários”, opina.

Em dias úteis, o passageiros que tiver o Bilhete Único pode utilizar três linhas municipais em uma hora e meia pagando apenas uma tarifa. Já aos fins de semana e feriados, o tempo para baldeação sem custos adicionais sobe para duas horas. 



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Bilhete Único é usado em 6,6% das viagens

Criado há um ano, sistema possibilitou integração temporal para cerca de 4,2 milhões de passageiros das linhas municipais

Fábio Munhoz
Do Diário do Grande ABC

14/06/2014 | 07:00


Em um ano de funcionamento, o Bilhete Único Andreense possibilitou que pouco mais de 4,2 milhões de passageiros do sistema municipal de Transporte de Santo André realizassem integração temporal entre linhas sem pagamento adicional de tarifa. O número equivale a cerca de 6,6% dos 64,3 milhões de usuários transportados desde junho do ano passado.

Segundo o prefeito Carlos Grana (PT), as integrações apresentam crescimento mensal. Somente em maio foram cerca de 7,5% de conexões gratuitas com o uso do tíquete eletrônico. Quando o sistema foi lançado, a meta anunciada pela Prefeitura era chegar a 7% até o fim do ano. O chefe do Executivo espera crescimento ainda maior depois que algumas medidas previstas forem implementadas.

Entre as ações planejadas está a elaboração de pesquisa de origem e destino, que irá traçar panorama completo da demanda pelo serviço na cidade. “À medida que outras etapas forem concluídas, esse número pode aumentar. Ainda não tivemos nenhuma mudança em linhas”, comenta o prefeito. O estudo deverá ser finalizado até dezembro.

Grana avalia que também causarão impactos no Transporte municipal intervenções como a construção da Linha 18-Bronze do Metrô (Tamanduateí-Djalma Dutra) e a reforma de estações da Linha 10-Turquesa (Brás-Rio Grande da Serra) da CPTM (Companhia Paulista de Trens Metropolitanos).

O secretário de Mobilidade Urbana, Obras e Serviços Públicos, Paulinho Serra (PSD), adianta que uma das mudanças que deverão ser feitas depois da conclusão da pesquisa será a diminuição na quantidade de linhas que percorrem a região central. “Entre 600 e 700 ônibus entram no Centro todos diariamente.” A possibilidade da integração gratuita exclui a necessidade de o coletivo sair de bairros periféricos e chegar até a porção central da cidade. Com isso, o trânsito deve ganhar mais fluidez.

Outra intervenção apontada pelo prefeito como capaz de diminuir o número de passageiros que passam pelo Centro é a abertura de estação da CPTM (Companhia Paulista de Trens Metropolitanos) nas proximidades de onde funcionou, até 2006, a parada Pirelli. A criação de mais uma plataforma de embarque e desembarque na Linha 10 foi prometida pelo governador Geraldo Alckmin (PSDB) em outubro do ano passado e já foi confirmada pela CPTM, mas ainda não há data para que a obra saia do papel. “Com a reabertura, o pessoal da Vila Luzita poderá pegar o trem nessa estação, sem ter de se dirigir para a região central”, destaca o secretário. O terminal de ônibus do bairro tem demanda de 50 mil usuários por dia.

RENOVAÇÃO

Paulinho salienta que, desde o início do ano passado, 87 ônibus zero-quilômetro foram colocados em circulação, entre renovação e ampliação da frota. O número equivale a cerca de 20% dos 404 coletivos municipais que circulam pela cidade atualmente. O secretário salienta que todos os veículos que integram o sistema têm idade inferior a cinco anos.

O titular da Pasta afirma também que já foram instalados painéis informativos em 30 abrigos de ônibus. A meta é chegar a 100 locais até o fim do ano.

Aplicativo irá mostrar localização do ônibus

A Aesa (Associação das Empresas do Sistema de Transporte de Santo André) contratou serviço para desenvolvimento de aplicativo para smartphone que irá mostrar a localização dos ônibus municipais em tempo real. O mecanismo funcionará por meio de tecnologia GPS. A previsão é de que o software entre em funcionamento em 90 dias.

Segundo o gerente-geral da Aesa, Luiz Marcondes de Freitas Júnior, o serviço custará em torno de R$ 700 mil a R$ 800 mil por ano. O aplicativo estará disponível para as plataformas Android, Windows Phone e iOS. Todas as linhas municipais serão monitoradas pelo aplicativo.

Marcondes explica que o programa deverá funcionar por meio da localização informada pelo usuário. “O passageiro irá colocar o número do ponto em que está e a linha que utiliza”. No entanto, o software ainda está em fase de desenvolvimento e poderá ser aperfeiçoado conforme a necessidade.

A associação estuda também a compra de painéis eletrônicos para serem colocados em abrigos e terminais. Os equipamentos mostrarão o tempo estimado para que os coletivos cheguem ao ponto de embarque, sistema semelhante ao adotado em alguns locais da Capital. A quantidade de painéis e a localização dos aparelhos serão definidas pela SA Trans, empresa que gerencia o Transporte público na cidade.

SÃO CAETANO

Na quarta-feira, o prefeito de São Caetano, Paulo Pinheiro (PMDB), anunciou o início do funcionamento de aplicativo que também mostrará a localização dos coletivos da cidade. A informação também pode ser consultada pelo site www.cittabus.com.br e em painel no Terminal Nicolau Delic, no Centro. A ação não teve custos para a Prefeitura.

Usuários aprovam modelo e apontam estímulo ao Transporte público

Passageiros do sistema municipal de Transporte de Santo André aprovam o funcionamento do Bilhete Único Andreense e avaliam que a medida estimula os munícipes a deixarem o carro em casa e utilizarem os ônibus como meio de deslocamento.

“Tudo que é feito pela Mobilidade Urbana é válido. O Bilhete Único é importante, mas deve ser acompanhado de outras melhorias, como a diminuição do tempo de espera pelo ônibus”, comenta a analista de recursos humanos Jennifer Oblitas, 24 anos.

Em dias úteis, o analista contábil Diego Massa, 25, utiliza o vale-transporte fornecido pela empresa onde trabalha para se locomover. No entanto, reconhece que o tíquete eletrônico é importante para diminuir o número de automóveis em circulação. “Para São Paulo, por exemplo, eu ia sempre de carro. Mas depois que fiz o Bilhete Único passei a utilizar somente o Transporte público.”

Já o analista de sistemas Alex de Paula Morales, 30, ainda não fez cadastro no sistema. No entanto, elogia a medida. “O fato de pagar só uma passagem compensa muito e com certeza atrai usuários”, opina.

Em dias úteis, o passageiros que tiver o Bilhete Único pode utilizar três linhas municipais em uma hora e meia pagando apenas uma tarifa. Já aos fins de semana e feriados, o tempo para baldeação sem custos adicionais sobe para duas horas. 

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;