Fechar
Publicidade

Sexta-Feira, 21 de Setembro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Economia

soraiapedrozo@dgabc.com.br | 4435-8057

Empresa oferece solução para manter pessoas conectadas

Andréa Iseki/DGABC Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra

Com carregador portátil de celular, Carrega+, de São Caetano, ganha prêmio da Fiesp


Yara Ferraz

26/05/2014 | 07:07


Quem já não se viu na situação de precisar usar o celular, mas a carga da bateria acabou? Nesse mundo moderno, em que as pessoas procuram estar sempre conectadas, seja para acessar as redes sociais, fazer pesquisas na internet, tirar fotos ou simplesmente telefonar, esse aparelho móvel virou praticamente peça do vestuário.

Pensando nisso, dois jovens recém-saídos da universidade resolveram abrir empresa para ajudar consumidores e empresários a se manterem com a conexão por mais tempo. Surgia, em 2013, a Carrega+, que tem sede em São Caetano, e foi criada por dois sócios, Junior Valverde, 25 anos, que é formado em Marketing, e Carlos Paschoal, 24, administrador de empresas, para oferecer, por meio da venda e locação, carregadores portáteis de bateria de celular.

Valverde cita que tinha rede de amigos e, um dia, propôs a eles montar empresa em sociedade. Um deles era Paschoal, que abraçou a ideia, e durante conversas, em um restaurante, para pensar no que seria o empreendimento, a bateria do celular de Valverde acabou. Nessa hora, perceberam que havia ali um nicho a ser explorado.

O empreendimento levou quase um ano de preparação, pesquisa e desenvolvimento dos produtos. E, em parceria com outra empresa, a Powersafe, que comercializa baterias, a Carrega+ obteve condições de projetar (os desenhos são enviados para indústria na China) e produzir, para atender a demanda.

A empresa entrou em fase de operação comercial no início deste ano, mas já tem várias frentes de atuação: comercializa, por meio do site, pequenos carregadores ao consumidor final (o mini, que sai ao custo de R$ 59,90), faz a locação de equipamentos com maior capacidade para eventos corporativos (o Unit, que sai por diárias de R$ 11,90) e outros ainda mais robustos, que podem ficar até 22 horas sem conexão com fonte de energia para feiras de negócios (o Box, que tem diária de R$ 70).

Além disso, também capta patrocínios para colocar os dispositivos em restaurantes, com a logomarca das companhias. O foco inicial, neste último caso, são estabelecimentos preocupados em oferecer bom atendimento aos clientes, como, por exemplo, os listados na seção Comer & Beber, da revista Veja. Atualmente, um equipamento da empresa está em testes no L’Entrecôte de Paris, em São Paulo, e o alvo é atender os 460 estabelecimentos avaliados por essa publicação.

Os sócios têm metas ambiciosas. Em um ano, esperam faturar R$ 10 milhões, e, em três anos, chegar a R$ 60 milhões. E, apesar do pouco tempo de comercialização, os resultados têm aparecido rapidamente. “Já vendemos mais de 4.000 produtos ao consumidor e, incluindo os brindes (para empresas), já chegamos a 12 mil”, diz Valverde. Mas ele acrescenta que a empresa pode atender demanda bem maior. “Se precisarmos fazer 100 mil, temos condições”, cita.

PRÊMIO - Ao oferecer solução para um problema da vida moderna, a Carrega+ foi destaque em concurso Acelera Startup, da Fiesp, ficando com a segunda colocação, entre mais de 1.000 inscritos. Foi também apontada como a melhor ideia da disputa.

O evento contou com a presença de mais de 50 investidores-anjo, com o montante disponível para investir cerca de R$ 500 bilhões. Somando as três edições anteriores, a iniciativa da Fiesp já gerou aportes de mais de R$ 1 milhão às empresas iniciantes vencedoras. O concurso, além de ajudar a tornar a empresa de São Caetano conhecida, abriu boas possibilidades de apoio para impulsionar os negócios. “Já temos quatro reuniões marcadas com investidores”, afirma. 



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.


Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados