Fechar
Publicidade

Quinta-Feira, 2 de Dezembro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

setecidades@dgabc.com.br | 4435-8319

Estudantes da rede pública da região farão viagem à Europa

Denis Maciel/DGABC Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra

Melhores alunos de centros de idiomas passarão por intercâmbio em novembro; oito jovens do Grande ABC serão contemplados


Natália Fernandjes
do Diário do Grande ABC

25/05/2014 | 07:02


Oito estudantes da rede estadual de ensino do Grande ABC terão oportunidade de viajar para a Europa e praticar o idioma aprendido em curso ofertado nos cinco CELs (Centros de Estudo de Línguas) da região nas férias do fim do ano. Os jovens integram lista de 219 alunos do Estado que participarão da segunda edição do Prêmio Intercâmbio Internacional da Secretaria da Educação do Estado de São Paulo.

A rede estadual na região conta com 288 mil alunos, sendo que 3.108 estão matriculados em CELs existentes em Mauá, Ribeirão Pires, Santo André, São Bernardo e São Caetano. As aulas são realizadas no contraturno escolar de segunda-feira a sábado e têm carga horária de 14 horas mensais. Espanha, França ou Inglaterra será o destino dos selecionados pelo programa de mérito estudantil.

Para participar, os estudantes precisam ter frequência mínima de 75% nas aulas, alcançar média 7 no ensino regular e passar por duas avaliações, uma em Português e outra no idioma cursado. O intercâmbio terá duração de 20 dias. Neste período, os jovens ficam hospedados em casas de famílias e participam de curso intensivo de idiomas e de passeios culturais monitorados. A secretaria é responsável por todas as despesas: curso, passagem, trâmite para a emissão de documentação, acomodação e refeição.

Um dos beneficiados é o jovem Geovani Dantas Batista, 15 anos. Ele cursa o 2º ano do Ensino Médio na EE Professora Maria da Conceição Moura Branco, em São Caetano, e está no último ano do curso de espanhol ofertado pelo CEL da EE Dona Idalina Macedo Costa Sodré, na mesma cidade. “Além da ansiedade para que a viagem chegue logo, fica um certo orgulho da gente mesmo”, revela Batista.

Estudioso, o aluno lembra que quase não conseguiu se inscrever no processo seletivo para o programa de intercâmbio. “Já estava desistindo porque não estava dando certo no meu computador, mas a coordenadora do CEL me ajudou e fez a inscrição para mim”, diz. A expectativa é para que a viagem contribua para melhora do conhecimento do Espanhol, incremento do currículo e também crescimento pessoal.

Na primeira edição do intercâmbio, realizado em janeiro, 356 estudantes do Estado, sendo 27 do Grande ABC, puderam conhecer a Argentina, França e Inglaterra. O aluno do 3º ano da EE Jardim Arco- Iris, Victor Pinheiro, 17, foi um dos beneficiados. O morador do bairro Serraria, em Diadema, cursou Espanhol por três anos no CEL da EE Professor Amadeo Olivério, no bairro Rudge Ramos, em São Bernardo, e ficou 20 dias em Buenos Aires.

“Não esperava que iria aprender tão bem o idioma, nem que teria essa experiência de conhecer um país diferente”, comenta Pinheiro. O jovem espera que a oportunidade, somada ao conhecimento de um segundo idioma, sirva para alavancar sua carreira. Ele trabalha na parte administrativa de uma multinacional e tem planos de cursar faculdade de Administração e, posteriormente, de Engenharia Civil.

O programa de intercâmbio ofertado pela Secretaria da Educação do Estado foi criado no ano passado como forma de comemoração pelos 25 anos de atuação dos 229 CELs existentes em toda a rede. A expectativa da coordena dora dos centros de línguas, Valéria Tarantello, é que a oferta de destinos atual seja ampliada para beneficiar estudantes dos sete idiomas oferecidos: espanhol, francês, mandarim, japonês, alemão e inglês.

Atualmente, 100 mil alunos estudam idiomas de forma gratuita em todo o Estado. Na região, é possível se matricular em aulas de inglês, espanhol, francês, italiano e alemão. Com exceção do curso de Inglês, que tem duração de um ano, os demais duram três anos.

“O projeto nasceu como forma de estimular a interação entre os países do Mercosul, na década de 1980. O idioma é mais do que um instrumento de comunicação”, observa Valéria. De acordo com a coordenadora, o intercâmbio é oportunidade de os jovens colocarem em prática os conhecimentos adquiridos no curso e conhecer a cultura de outro país. 



Quer receber em primeira mão as notícias das sete cidades do Grande ABC?

Entre no nosso grupo de WhatsApp. 
Clique aqui.
 

Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.


Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;