Fechar
Publicidade

Segunda-Feira, 18 de Outubro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

|

Bipolaridade política


Beto Silva
Do Diário do Grande ABC

23/05/2014 | 07:00


A maioria dos políticos mostra-se bipolar no sentido da gestão pública. Sobre a mesma questão, ora decide uma coisa, ora outra; ora critica, ora elogia; ora bate, ora assopra. Quem convive de perto com os homens do poder sabe bem do que estou falando. Um dos mais recentes exemplos ocorreu com o prefeito de São Bernardo, Luiz Marinho (PT). No início de maio, com sua gestão, principalmente a Secretaria de Educação, ser alvo de várias investigações do Ministério Público, o petista afirmou que a instituição “tem feito monte de asneiras ultimamente”. Menos de dois meses depois, o chefe do Executivo prestigiou, na semana passada, a posse de Márcio Elias Rosa como procurador-geral de Justiça do Estado de São Paulo, cargo máximo da promotoria paulista. Marinho era uma das 500 autoridades presentes ao evento, que teve o governador Geraldo Alckmin (PSDB) e o prefeito da Capital, Fernando Haddad (PT), na mesa principal. Ficou na galeria superior do Theatro Municipal de São Paulo. Longe do comandante da instituição a qual debochou semanas antes. Diante da presença do gestor são-bernardense na cerimônia, ficou uma pergunta no ar: se ele vê o MP com descrédito, o que teria ido fazer na solenidade? Coisas da bipolaridade da política.

Campeões
Em São Caetano, Gilberto Costa (PEN) ainda não digeriu as palavras do capitão da Polícia Militar Robinson Castropil (sem partido), comandante da corporação local. O policial subiu o tom e descartou dobrar com o ex-vereador, que reagiu. “Sou campeão de votos na cidade (mais votado da história, com 5.883 adesões, em 2008). E ele é o campeão de violência”, diz Gilberto, referindo-se à sensação de insegurança.

Esporte em luto – 1
Morreu ontem Antonio José dos Santos, o Toninho dos Esportes, de São Caetano. Ele estava internado na UTI do Hospital Beneficência Portuguesa, em recuperação de AVC (Acidente Vascular Cerebral) sofrido dia 8 de março. Toninho era figura política conhecida da cidade, fazia um informativo e mantinha um comércio de artigos religiosos no bairro Fundação.

Esporte em luto – 2
Toninho dos Esportes foi diretor de Esportes da Prefeitura no governo Raimundo da Cunha Leite (MDB-1977 a 1983). Iniciou a popularidade do Esporte são-caetanense – hoje referência mundial – ao faturar Jogos Abertos e Regionais. Conquistou a admiração e respeito de amigos e adversários. Era leitor assíduo do Diário e também personagens de reportagens do jornal.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.


Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;