Fechar
Publicidade

Terça-Feira, 30 de Novembro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

internacional@dgabc.com.br | 4435-8301

Argentina compara situação na Crimeia a Ilhas Malvinas

Divulgação Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra

Em 2013 os habitantes da ilha decidiram com 99,8% de aprovação a permanência no território britânico



20/03/2014 | 01:17


A presidente da Argentina, Cristina Kirchner, declarou que os esforços para preservar a integridade territorial da Ucrânia após o referendo da Crimeia são dificultados pela hipocrisia dos EUA e da Grã-Bretanha.

Em discurso em Paris, Kirchner comparou o referendo na Crimeia ao ocorrido nas Ilhas Malvinas em 2013, quando a população local preferiu seguir como parte do território britânico.

A presidente da Argentina disse que para preservar a paz no mundo e o direito internacional não podem haver dois padrões distintos nas tomadas de decisões. "Não se pode estar de acordo com a integridade territorial na Crimeia e estar em desacordo com a integridade territorial das Malvinas na Argentina", afirmou.

Ainda que a maioria dos países latino-americanos apoiem a posição argentina nas Malvinas, os habitantes da ilha decidiram com 99,8% de aprovação a permanência no território britânico.

Kirchner lembrou que a Crimeia foi parte da União Soviética e que os argumentos do Ocidente perderam força por não haver apoiado a intenção da Argentina de anexar as Ilhas Malvinas.

A presidente insistiu que os países deixem de agir de acordo com os interesses dos mais fortes e pediu uma mudança de postura. "Por isso apoiamos a integridade territorial, por isso votamos como votamos no Conselho de Segurança (contra o referendo na Crimeia), mas pedimos que todos sejam coerentes e façam exatamente o mesmo", afirmou. Fonte: Associated Press.



Quer receber em primeira mão as notícias das sete cidades do Grande ABC?

Entre no nosso grupo de WhatsApp. 
Clique aqui.
 

Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.


Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;