Fechar
Publicidade

Segunda-Feira, 9 de Dezembro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Setecidades

setecidades@dgabc.com.br | 4435-8319

Contran amplia prazo para implantação de simuladores

 Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra

Candidatos terão até junho para tirar habilitação sem passar por aulas no equipamento


Fábio Munhoz
Do Diário do Grande ABC

13/02/2014 | 07:00


O Contran (Conselho Nacional de Trânsito) prorrogou até o dia 30 de junho o prazo para que as autoescolas adotem simuladores eletrônicos de direção. O Denatran (Departamento Nacional de Trânsito) publicou ontem no Diário Oficial da União a resolução que altera a data para início da obrigatoriedade do método de treinamento aos novos condutores de veículos automotores.

 

Pela proposta original, os alunos deverão passar por cinco aulas no equipamento. O objetivo da máquina é treinar o candidato para diferentes tipos de situações, inclusive as que exigem mais habilidade do motorista. Entre os tipos de eventos possíveis de serem criados estão tempestades e até o consumo de bebidas alcoólicas. Sempre que o piloto comete alguma infração de trânsito, um aviso é emitido. Após a finalização do passeio virtual, laudo é emitido ao instrutor com lista de todos os erros ocorridos durante o processo de aprendizagem na máquina.

A implantação do sistema esbarrou em dois problemas: a demora na aquisição dos simuladores pelas autoescolas e a elevação do preço cobrado aos alunos. A estimativa é de que a habilitação fique, em média, 15% mais cara. O custo do aparelho é um dos fatores que faz com que os reajustes sejam aplicados. Cada um é vendido entre R$ 35 mil e R$ 40 mil.

O presidente do Sindicato das Autoescolas do Estado, José Guedes Pereira, comemorou o adiamento. “Acho até que ele (Contran) demorou para decidir sobre isso. Eles sabiam que não havia aparelhos suficientes no País para que os Centros de Formação de Condutores adquirissem. Existem apenas quatro empresas homologadas para fabricar os simuladores. Então, a cada encomenda, demora até que seja feita a entrega”, comenta. Ele considera que junho é um prazo adequado para adaptação.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Contran amplia prazo para implantação de simuladores

Candidatos terão até junho para tirar habilitação sem passar por aulas no equipamento

Fábio Munhoz
Do Diário do Grande ABC

13/02/2014 | 07:00


O Contran (Conselho Nacional de Trânsito) prorrogou até o dia 30 de junho o prazo para que as autoescolas adotem simuladores eletrônicos de direção. O Denatran (Departamento Nacional de Trânsito) publicou ontem no Diário Oficial da União a resolução que altera a data para início da obrigatoriedade do método de treinamento aos novos condutores de veículos automotores.

 

Pela proposta original, os alunos deverão passar por cinco aulas no equipamento. O objetivo da máquina é treinar o candidato para diferentes tipos de situações, inclusive as que exigem mais habilidade do motorista. Entre os tipos de eventos possíveis de serem criados estão tempestades e até o consumo de bebidas alcoólicas. Sempre que o piloto comete alguma infração de trânsito, um aviso é emitido. Após a finalização do passeio virtual, laudo é emitido ao instrutor com lista de todos os erros ocorridos durante o processo de aprendizagem na máquina.

A implantação do sistema esbarrou em dois problemas: a demora na aquisição dos simuladores pelas autoescolas e a elevação do preço cobrado aos alunos. A estimativa é de que a habilitação fique, em média, 15% mais cara. O custo do aparelho é um dos fatores que faz com que os reajustes sejam aplicados. Cada um é vendido entre R$ 35 mil e R$ 40 mil.

O presidente do Sindicato das Autoescolas do Estado, José Guedes Pereira, comemorou o adiamento. “Acho até que ele (Contran) demorou para decidir sobre isso. Eles sabiam que não havia aparelhos suficientes no País para que os Centros de Formação de Condutores adquirissem. Existem apenas quatro empresas homologadas para fabricar os simuladores. Então, a cada encomenda, demora até que seja feita a entrega”, comenta. Ele considera que junho é um prazo adequado para adaptação.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;