Fechar
Publicidade

Segunda-Feira, 19 de Outubro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Internacional

internacional@dgabc.com.br | 4435-8301

EUA quer acordo na Irlanda do Norte



30/12/2013 | 05:37


A Casa Branca insistiu que os líderes envolvidos nas negociações de paz na Irlanda do Norte se comprometam a chegar a um acordo, porque os negociadores falharam na missão. A porta-voz da Casa Branca Caitlin Hayden afirmou que negociações entre várias partes atingiram uma conjuntura crítica. Ela reforçou que o objetivo continua sendo o de um acordo até o fim do ano.

Hayden afirmou que os EUA estão confiantes que um acordo pode ser alcançado se todos os lados tiverem a vontade política para tal. Seis meses de negociações deveriam ter resultado em um acordo até o Natal, e agora o enviado dos EUA, Richard Haass, deu um prazo para um acordo até hoje.

As negociações dependem da oposição católica às marchas protestantes, o direito de cada lado hastear suas bandeiras preferidas e como honrar aqueles que morreram em décadas de conflitos. Fonte: Associated Press.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

EUA quer acordo na Irlanda do Norte


30/12/2013 | 05:37


A Casa Branca insistiu que os líderes envolvidos nas negociações de paz na Irlanda do Norte se comprometam a chegar a um acordo, porque os negociadores falharam na missão. A porta-voz da Casa Branca Caitlin Hayden afirmou que negociações entre várias partes atingiram uma conjuntura crítica. Ela reforçou que o objetivo continua sendo o de um acordo até o fim do ano.

Hayden afirmou que os EUA estão confiantes que um acordo pode ser alcançado se todos os lados tiverem a vontade política para tal. Seis meses de negociações deveriam ter resultado em um acordo até o Natal, e agora o enviado dos EUA, Richard Haass, deu um prazo para um acordo até hoje.

As negociações dependem da oposição católica às marchas protestantes, o direito de cada lado hastear suas bandeiras preferidas e como honrar aqueles que morreram em décadas de conflitos. Fonte: Associated Press.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;