Fechar
Publicidade

Domingo, 5 de Dezembro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

economia@dgabc.com.br | 4435-8057

Região gera
15.276 empregos
até novembro

Denis Maciel/10.06.2008/DGABC Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra

Saldo de empregos com carteira assinada
supera em 9,19% o montante registrado em 2012


Pedro Souza
Do Diário do Grande ABC

21/12/2013 | 07:00


O saldo de emprego formal no Grande ABC aumentou 9,19% entre janeiro e novembro em relação ao mesmo período do ano passado. Foram gerados 15.276 postos nos 11 meses. Em 2012, o registro era de 13.990.

As oportunidades no setor de serviços tiveram destaque, tendo em vista que são a maioria. Foram criadas 10.382 vagas no segmento no acumulado do ano. Em seguida, aparece o comércio, com saldo de 3.243 vagas. Logo atrás estão a construção civil, com ampliação dos registros em 1.177, e a indústria, com acréscimo de 1.098 empregos.

Os 15.276 postos de trabalho refletem a diferença entre as 346.824 admissões corridas entre janeiro e novembro e as 331.548 dispensas realizadas no mesmo período.

O MTE (Ministério do Trabalho e Emprego) divulgou as informações ontem, por meio do Caged (Cadastro Geral de Empregados e Desempregados). As estatísticas consideram apenas os trabalhadores empregados com carteira de trabalho assinada.

Para o professor de Economia da Universidade Metodista de São Paulo Sandro Maskio, que também é coordenador do Observatório Econômico da instituição de ensino, o aumento do saldo de vagas total é relevante. “Os dados mostram que estão em linha com a redução da taxa de desemprego da região.”

Na quinta-feira o Seade/Dieese informou, por meio da PED (Pesquisa de Emprego e Desemprego da Região), que a taxa de desemprego do Grande ABC caiu pela quarta vez consecutiva em novembro, para 8,7%. Este foi o segundo menor percentual para o mês da série histórica, iniciada em 1999, e também o mais baixo do ano. A estimativa é de que no mês passado 1,286 milhão de pessoas estavam ocupadas e 122 mil desempregadas.

Apesar da relação, cada uma das pesquisas possui metodologias diferentes. No caso do Caged, todas as empresas são obrigadas a enviar os dados de admissões e demissões ao MTE, que capta, porém, apenas trabalhadores com registro em carteira. No caso da PED, a coleta é domiciliar, por amostragem, e é elaborada estatisticamente por média trimestral, considerando também aqueles que não têm carteira assinada ou são autônomos.

Maskio pontuou ainda que o resultado é uma retomada da desaceleração vista no ano passado. Para se ter ideia, em 2011 inteiro foram criadas 30.509 vagas na região e, em 2012, o saldo era de 13.990.

MENSAL - Em novembro, o Grande ABC teve acréscimo de 1.367 postos de trabalho. Serviços, como tem ocorrido na maioria dos meses, puxou o resultado com saldo de 1.686 empregos.

O setor de comércio aparece em seguida com o incremento de 902 vagas. E a construção civil, por sua vez, com 627 contratados.

No sentido oposto aos demais setores, a indústria da transformação teve decréscimo de 1.662 postos. Além da competição desleal com importados, que vem prejudicando principalmente as autopeças, Maskio explica que é normal que o segmento demita nesta época do ano. O comércio já foi abastecido e os novos projetos só vão começar a aparecer no ano seguinte, o que geralmente demanda reforço na mão de obra.



Quer receber em primeira mão as notícias das sete cidades do Grande ABC?

Entre no nosso grupo de WhatsApp. 
Clique aqui.
 

Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.


Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;