Fechar
Publicidade

Domingo, 8 de Dezembro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Setecidades

setecidades@dgabc.com.br | 4435-8319

PM e escolas de Mauá
se unem contra crimes

André Henriques/DGABC Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra

Ronda Escolar do município registra um aumento de
11% no número de casos ocorridos apenas neste ano


Natália Fernandjes
Do Diário do Grande ABC

30/11/2013 | 07:00


A aproximação entre PM (Polícia Militar) e comunidade escolar será o instrumento utilizado na tentativa de diminuir as ocorrências de violência na área de abrangência da Diretoria de Ensino de Mauá, responsável também pelas escolas de Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra. Dados divulgados pelo 30º Batalhão da PM indicam que, entre 2012 e 2013, houve alta de 11% no número de casos como furto de celulares, agressões entre alunos e ameaças a professores nas cerca de 130 unidades de ensino – entre municipais, estaduais e privadas.

Na visão do comandante do 30º Batalhão da PM, o tenente-coronel Paulo Barthasar Junior, o número de ocorrências pode não traduzir a realidade, tendo em vista a existência de casos subnotificados. Entre as quatro companhias de polícia que atendem Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra, foram registrados 331 episódios envolvendo violência escolar em 2012, contra 368 em 2013, o que equivale a um caso por dia.

A partir do contato direto entre os diretores das escolas e as companhias de polícia, o comandante do 30º Batalhão da PM acredita ter condições de organizar melhor as equipes para a execução dos trabalhos. “Apesar de sabermos que temos pouco recurso, a função do gestor é fazer o melhor. Para isso, precisamos dessa parceria”, ressalta o tenente-coronel. Criada em 1988, a Ronda Escolar é o programa responsável por propiciar segurança dentro e no entorno das escolas.

Juntas, as quatro companhias contam com efetivo de 26 policiais para atender escolas nas três cidades. Informações da PM destacam ainda que o tempo médio de permanência das equipes nas escolas tem sido entre seis e dez minutos. “Temos um cronograma de visita, que será adequado conforme as necessidades das escolas, mas o que nos interessa é estreitar esse relacionamento com a direção e fazer com que a equipe consiga identificar os problemas de segurança daquele local”, destaca o comandante, que também reflete sobre a necessidade de ampliar o tempo de permanência nas unidades de ensino.

De iniciativa do vereador José Luiz Cassimiro (PT), o encontro será realizado a cada seis meses para avaliar o cenário escolar das três cidades e traçar metas futuras. “Entendo que hoje demos um primeiro passo para o trabalho em parceria no sentido de reduzir a violência, que está em toda a sociedade e, infelizmente, também nas escolas”, destaca a dirigente regional de ensino de Mauá, Marilene Pinto Ceccon.

PREVENÇÃO

Uma das ações que já vêm dando resultados positivos, segundo o comandante do 30º Batalhão, é o Proerd (Programa Educacional de Resistência às Drogas e à Violência), realizado desde 1992 no País. Segundo ele, são formados cerca de 4.500 alunos por semestre em ação que ajuda a identificar e resistir às pressões e às influências diárias sobre o uso de álcool e outras drogas. 



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

PM e escolas de Mauá
se unem contra crimes

Ronda Escolar do município registra um aumento de
11% no número de casos ocorridos apenas neste ano

Natália Fernandjes
Do Diário do Grande ABC

30/11/2013 | 07:00


A aproximação entre PM (Polícia Militar) e comunidade escolar será o instrumento utilizado na tentativa de diminuir as ocorrências de violência na área de abrangência da Diretoria de Ensino de Mauá, responsável também pelas escolas de Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra. Dados divulgados pelo 30º Batalhão da PM indicam que, entre 2012 e 2013, houve alta de 11% no número de casos como furto de celulares, agressões entre alunos e ameaças a professores nas cerca de 130 unidades de ensino – entre municipais, estaduais e privadas.

Na visão do comandante do 30º Batalhão da PM, o tenente-coronel Paulo Barthasar Junior, o número de ocorrências pode não traduzir a realidade, tendo em vista a existência de casos subnotificados. Entre as quatro companhias de polícia que atendem Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra, foram registrados 331 episódios envolvendo violência escolar em 2012, contra 368 em 2013, o que equivale a um caso por dia.

A partir do contato direto entre os diretores das escolas e as companhias de polícia, o comandante do 30º Batalhão da PM acredita ter condições de organizar melhor as equipes para a execução dos trabalhos. “Apesar de sabermos que temos pouco recurso, a função do gestor é fazer o melhor. Para isso, precisamos dessa parceria”, ressalta o tenente-coronel. Criada em 1988, a Ronda Escolar é o programa responsável por propiciar segurança dentro e no entorno das escolas.

Juntas, as quatro companhias contam com efetivo de 26 policiais para atender escolas nas três cidades. Informações da PM destacam ainda que o tempo médio de permanência das equipes nas escolas tem sido entre seis e dez minutos. “Temos um cronograma de visita, que será adequado conforme as necessidades das escolas, mas o que nos interessa é estreitar esse relacionamento com a direção e fazer com que a equipe consiga identificar os problemas de segurança daquele local”, destaca o comandante, que também reflete sobre a necessidade de ampliar o tempo de permanência nas unidades de ensino.

De iniciativa do vereador José Luiz Cassimiro (PT), o encontro será realizado a cada seis meses para avaliar o cenário escolar das três cidades e traçar metas futuras. “Entendo que hoje demos um primeiro passo para o trabalho em parceria no sentido de reduzir a violência, que está em toda a sociedade e, infelizmente, também nas escolas”, destaca a dirigente regional de ensino de Mauá, Marilene Pinto Ceccon.

PREVENÇÃO

Uma das ações que já vêm dando resultados positivos, segundo o comandante do 30º Batalhão, é o Proerd (Programa Educacional de Resistência às Drogas e à Violência), realizado desde 1992 no País. Segundo ele, são formados cerca de 4.500 alunos por semestre em ação que ajuda a identificar e resistir às pressões e às influências diárias sobre o uso de álcool e outras drogas. 

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;