Fechar
Publicidade

Sexta-Feira, 6 de Dezembro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Setecidades

setecidades@dgabc.com.br | 4435-8319

Santo André terá corredor
para ônibus até fim do ano

Claudinei Plaza/DGABC Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra

Primeiro dos 13 espaços exclusivos para
os coletivos beneficiará o Centro da cidade


Natália Fernandjes
Do Diário do Grande ABC

11/10/2013 | 07:00


 A Prefeitura de Santo André prevê implementar o primeiro dos 13 corredores exclusivos para ônibus programados para a cidade até o fim do ano. O primeiro eixo beneficiado será a área central, incluindo as avenidas Cel. Alfredo Flaquer (Perimetral) e General Glicério.

Conforme explica o diretor da SATrans, Leandro Petrin, as intervenções serão realizadas com recursos próprios, tendo em vista a necessidade de melhorar a fluidez viária da cidade para incentivar o uso do transporte coletivo. A administração pleitea R$ 500 milhões do BID (Banco Interamericano de Desenvolvimento) para a construção dos corredores exclusivos.

Atualmente, a cidade conta apenas com faixas preferenciais para ônibus, o que não impede motoristas de veículos de passeio de circular pelo trecho. Com a medida, os carros que invadirem o espaço passam a ser multados. O CBT (Código Brasileiro de Trânsito) estabelece multa de R$ 53,20 e o motorista perde três pontos na carteira de habilitação.

“Nas próximas semanas concluiremos estudo realizado e vamos apresentar cronograma de obras dos corredores”, conta Petrin. Segundo ele, a expectativa é implementar a faixa exclusiva para o transporte público em mais dois pontos da cidade no início de 2014. “As avenidas Carijós e D. Pedro II estão entre as que precisam ser privilegiadas, mas ainda não sabemos se teremos condições de fazer com recurso próprio ou vamos esperar a verba do BID”, destaca.

O diretor da SATrans explica que o corredor definitivo é mais caro do que a simples separação de faixas para os coletivos, mas apresenta eficiência maior, já que o embarque dos passageiros é mais rápido e existe possibilidade de interação entre os semáforos para que o transporte público tenha mais fluidez. “Já estamos fazendo estudo para adaptar os semáforos para dar preferência aos ônibus e melhorar a fluidez”, comenta Petrin.

Os locais escolhidos para acolher os corredores são considerados “intransitáveis” pelo próprio prefeito, Carlos Grana (PT), como as avenidas Industrial e Vieira de Carvalho, Viaduto Castelo Branco, avenidas Príncipe de Gales, José Amazonas e D.Pedro I, e Estrada do Pedroso.

Os únicos corredores definitivos que existem no Grande ABC são o ABD (Jabaquara/Brooklin/São Mateus) e o da Avenida Capitão Mário Toledo de Camargo, em Santo André.

 

Bilhete Único registra 348,7 mil integrações

 

Em três meses de operação, o Bilhete Único Andreense já registrou 348,7 mil integrações tarifárias. O número corresponde a cerca de 7% do total de viagens observadas no período, superando a meta traçada em 2012 para este ano. O sistema de transporte público municipal tem cerca de 100 mil usuários cadastrados.

Desde junho, a SATrans já emitiu 6.600 cartões, além de contabilizar a migração de 93,1 mil usuários do Urban Pass para o novo sistema.

O Bilhete Único permite ao passageiro embarcar em até três ônibus municipais pagando apenas uma passagem. Em dias úteis, a integração gratuita deve ser feita em uma hora e meia. Já aos domingos e feriados, a conexão precisa ser realizada em até duas horas.

De acordo com Leandro Petrin, com a modernização o número de viagens aumentou. Entre setembro de 2012 e 2013, houve alta de 3,2%.

Na visão do gerente geral da Aesa, Luiz Marcondes de Freitas Júnior, a população já entendeu os benefícios da integração. “As pessoas perceberam que podem racionalizar suas viagens e a tendência é que cada vez mais pessoas optem pelo serviço”, diz.

Petrin esclarece que o próximo desafio é aprimorar a confiança dos passageiros em relação aos horários dos ônibus. Serão feitas pequenas intervenções, como proibição de estacionamento próximo dos pontos de ônibus, retirada de espaços que atrapalhem a circulação nos viários, além da implantação dos corredores exclusivos e estudo semafórico.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Santo André terá corredor
para ônibus até fim do ano

Primeiro dos 13 espaços exclusivos para
os coletivos beneficiará o Centro da cidade

Natália Fernandjes
Do Diário do Grande ABC

11/10/2013 | 07:00


 A Prefeitura de Santo André prevê implementar o primeiro dos 13 corredores exclusivos para ônibus programados para a cidade até o fim do ano. O primeiro eixo beneficiado será a área central, incluindo as avenidas Cel. Alfredo Flaquer (Perimetral) e General Glicério.

Conforme explica o diretor da SATrans, Leandro Petrin, as intervenções serão realizadas com recursos próprios, tendo em vista a necessidade de melhorar a fluidez viária da cidade para incentivar o uso do transporte coletivo. A administração pleitea R$ 500 milhões do BID (Banco Interamericano de Desenvolvimento) para a construção dos corredores exclusivos.

Atualmente, a cidade conta apenas com faixas preferenciais para ônibus, o que não impede motoristas de veículos de passeio de circular pelo trecho. Com a medida, os carros que invadirem o espaço passam a ser multados. O CBT (Código Brasileiro de Trânsito) estabelece multa de R$ 53,20 e o motorista perde três pontos na carteira de habilitação.

“Nas próximas semanas concluiremos estudo realizado e vamos apresentar cronograma de obras dos corredores”, conta Petrin. Segundo ele, a expectativa é implementar a faixa exclusiva para o transporte público em mais dois pontos da cidade no início de 2014. “As avenidas Carijós e D. Pedro II estão entre as que precisam ser privilegiadas, mas ainda não sabemos se teremos condições de fazer com recurso próprio ou vamos esperar a verba do BID”, destaca.

O diretor da SATrans explica que o corredor definitivo é mais caro do que a simples separação de faixas para os coletivos, mas apresenta eficiência maior, já que o embarque dos passageiros é mais rápido e existe possibilidade de interação entre os semáforos para que o transporte público tenha mais fluidez. “Já estamos fazendo estudo para adaptar os semáforos para dar preferência aos ônibus e melhorar a fluidez”, comenta Petrin.

Os locais escolhidos para acolher os corredores são considerados “intransitáveis” pelo próprio prefeito, Carlos Grana (PT), como as avenidas Industrial e Vieira de Carvalho, Viaduto Castelo Branco, avenidas Príncipe de Gales, José Amazonas e D.Pedro I, e Estrada do Pedroso.

Os únicos corredores definitivos que existem no Grande ABC são o ABD (Jabaquara/Brooklin/São Mateus) e o da Avenida Capitão Mário Toledo de Camargo, em Santo André.

 

Bilhete Único registra 348,7 mil integrações

 

Em três meses de operação, o Bilhete Único Andreense já registrou 348,7 mil integrações tarifárias. O número corresponde a cerca de 7% do total de viagens observadas no período, superando a meta traçada em 2012 para este ano. O sistema de transporte público municipal tem cerca de 100 mil usuários cadastrados.

Desde junho, a SATrans já emitiu 6.600 cartões, além de contabilizar a migração de 93,1 mil usuários do Urban Pass para o novo sistema.

O Bilhete Único permite ao passageiro embarcar em até três ônibus municipais pagando apenas uma passagem. Em dias úteis, a integração gratuita deve ser feita em uma hora e meia. Já aos domingos e feriados, a conexão precisa ser realizada em até duas horas.

De acordo com Leandro Petrin, com a modernização o número de viagens aumentou. Entre setembro de 2012 e 2013, houve alta de 3,2%.

Na visão do gerente geral da Aesa, Luiz Marcondes de Freitas Júnior, a população já entendeu os benefícios da integração. “As pessoas perceberam que podem racionalizar suas viagens e a tendência é que cada vez mais pessoas optem pelo serviço”, diz.

Petrin esclarece que o próximo desafio é aprimorar a confiança dos passageiros em relação aos horários dos ônibus. Serão feitas pequenas intervenções, como proibição de estacionamento próximo dos pontos de ônibus, retirada de espaços que atrapalhem a circulação nos viários, além da implantação dos corredores exclusivos e estudo semafórico.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;