Fechar
Publicidade

Quinta-Feira, 28 de Outubro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Política

politica@dgabc.com.br | 4435-8391

Diadema pede ajuda do Estado para reformar Clara Nunes


Raphael Rocha
Do Diário do Grande ABC

09/10/2013 | 07:00


A Prefeitura de Diadema pediu ao governo do Estado auxílio de custo para reformar o Teatro Clara Nunes, com intuito também de atender exigências para conquistar o AVCB (Auto de Vistoria de Corpo de Bombeiros) e alvará de funcionamento.

A intervenção projetada pelas secretarias de Obras e Cultura está estimada em R$ 1,3 milhão, e servirá para, além de cumprir etapas para a certificação de funcionamento, compra de mobiliários. “Todas as cadeiras do teatro, por exemplo, serão trocadas”, explicou o secretário de Cultura, Gilberto Moura, o Giba.

O pedido oficial foi feito ao secretário adjunto de Cultura do Estado, Sérgio Tiezzi. A resposta é aguarda ainda nesta semana por integrantes do governo do prefeito de Diadema, Lauro Michels (PV).

Outra solicitação feita pela Secretaria de Cultura ao Estado foi o encaminhamento de recursos para revitalização da Casa da Música, no Centro, com custo de R$ 500 mil, e de R$ 800 mil para o Centro Cultural Wladmir Herzog, no bairro Taboão.

FÁBRICA DE CULTURA

O governo Lauro ofereceu a área da Praça Camões, no Centro, para abrigar a Fábrica de Cultura, projeto do governo do Estado para o fomento de atividades culturais a camadas mais pobres. O espaço disponibilizado pelo Executivo fica na Avenida Fábio Eduardo Ramos Esquível, local nobre do município.

Segundo Giba, a Prefeitura já percorreu diversas etapas burocráticas para conquista do equipamento. “Além do terreno, garantimos também espaço para inclusão social. Acredito que nas próximas semanas haja o anúncio oficial do governador (Geraldo Alckmin, PSDB)”, estimou o secretário.

Caso concretizada, a unidade de Diadema da Fábrica de Cultura seria a primeira implementada fora da Capital. 



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.


Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;