Fechar
Publicidade

Quarta-Feira, 22 de Setembro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Setecidades

setecidades@dgabc.com.br | 4435-8319

Três escolas de S.Bernardo são finalistas do Reciclar é Show

Alunos aprenderam a fazer instrumentos musicais a partir de material reciclável e compuseram música


Guilherme Monfardini
Do Diário do Grande ABC

01/10/2013 | 07:00


Das cinco escolas finalistas do projeto Reciclar é Show, três são de São Bernardo. As Emebs (Escolas Municipais de Educação Básica) Cassiano Faria, Professor Otílio de Oliveira e Professora Kazue Fuzinaka foram selecionadas entre 100 inscritas de todo o País.

Alunos do 4º ano do Ensino Fundamental aprenderam a produzir instrumentos musicais com material reciclável e, a partir deles, tocaram e cantaram a música composta pelos próprios estudantes. As outras duas finalistas são a Escola Municipal Célida Soares Rocha, de Feira de Santana, na Bahia, e a Escola Municipal Antonio Tereza dos Santos, em Betim, Minas Gerais.

O programa, idealizado pela iniciativa privada e presente em dez cidades brasileiras, contemplou dez unidades em São Bernardo, levando as oficinas a 350 crianças.

“A cidade foi um caso especial. As professoras e diretoras se empenharam muito desde o início e, por isso, conseguiram ter três finalistas”, disse Victor Perez, coordenador pedagógico do projeto.

As cinco melhores músicas, escolhidas por júri de cinco pessoas, que incluía o maestro João Carlos Martins, ganharam R$ 15 mil, para investir em projetos musicais na escola.

A grande vencedora, que será conhecida no dia 20 de novembro, fará apresentação com o maestro. A escolha será por meio de votação popular na internet, no site www.esquadraoverde.com.br, que foi aberta hoje e vai até o dia 25. Os alunos da segunda colocada terão curso com o músico e artista plástico Fernando Sardo, que ensinará como transformar materiais reciclados em instrumentos musicais.

Para concorrer, depois de produzir os instrumentos, os alunos precisavam escrever a letra e desenvolver o ritmo e a melodia. Na Emeb Cassiano Faria, a música surgiu de uma atividade corporal. “Durante uma das ações, os alunos gostaram do ritmo e escreveram a música. Quando um professor do projeto chegou, já estava quase pronto. Ele só deu alguns ajustes”, falou o coordenador Victor.

Professora de uma das turmas, Cássia Helena Samico Fontinhas reforça que as atividades do Reciclar é Show permitiram que as crianças desenvolvessem outras habilidades. “Eles ficaram mais organizados e aprenderam a escutar as ideias dos colegas. Além disso, alguns começaram a fazer aulas de música depois do projeto. Foi um grande incentivo”, garantiu.

Projeto estimula inclusão e cooperação entre crianças

O estudante Pedro Eduardo Poli Afonso, 10 anos, foi diagnosticado com síndrome de Asperger, incluída recentemente no espectro do autismo. Quando as oficinas de reciclagem começaram, ele não se interessou pelo projeto. Ficava na porta da classe, vendo de longe o que os colegas desenvolviam.

Quando percebeu os instrumentos construídos a partir do lixo e da sucata, Pedro se ‘transformou’, segundo os professores. Hoje assumiu papel de destaque no grupo: tocando tambor, é um dos principais ritimistas da Emeb Cassiano Farias. “Foi bem legal. O que eu mais gostei de tocar foi o tambor porque ele faz vários sons diferentes.”

Seu colega de turma, o estudante João Pedro da Silva Alves, 10, pretende continuar tocando os instrumentos. “Gosto muito de música, até faço aulas de guitarra. O que mais gostei foi ter a presença do maestro João Carlos Martins aqui. Sempre quis conhecer alguém famoso da música.”

Na semana passada, os estudantes que participaram das oficinas deram aulas de como fabricar os instrumentos a alunos de outras classes e anos. Foram utilizados tampas de garrafa PET, potes de iogurte, tampas de panela, baldes e cascas de coco.

O projeto durou três meses, com oficinas realizadas uma vez por semana. Segundo os organizadores, a iniciativa foi um sucesso e a edição de 2014 já está sendo preparada. 



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.


Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;