Fechar
Publicidade

Segunda-Feira, 29 de Novembro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

economia@dgabc.com.br | 4435-8057

Supermercados crescem acima do esperado em 2013

Andréa Iseki/DGABC Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra

Graças às vendas 10,7% maiores em agosto, previsão de crescimento para o ano foi ampliada


Andréa Ciaffone

27/09/2013 | 07:00


 Com resultados positivos nas vendas acumuladas de janeiro a agosto, que registraram alta de 4,95%, o setor supermercadista acaba de rever para cima suas expectativas de crescimento. Inicialmente, a Abras (Associação Brasileira de Supermercados) previu para 2013 crescimento real para o setor de 3,5%. Mas, o tilintar das registradoras fez a previsão subir para 4%.

“As notícias são boas e o setor está otimista. Vários fatores positivos contribuíram para esse crescimento de vendas em agosto, como a manutenção do nível de emprego e a geração de postos de trabalho. Além disso, o cenário econômico é bom, com a inflação sob controle”, afirma o vice-presidente da Abras, João Sanzovo.

Em agosto, as vendas do setor apresentaram alta de 0,90% na comparação com o mês anterior e crescimento de 10,70% em relação ao mesmo mês do ano de 2012. Esses índices já foram deflacionados pelo IPCA (Índice de Preços ao Consumidor Ampliado) do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística).

REGIÃO - De acordo com pesquisa socioeconômica realizada pelo Inpes (Instituto de Pesquisas) da USCS (Universidade Municipal de São Caetano), as famílias do Grande ABC gastam 25,3% da sua renda em alimentos, higiene pessoal e limpeza. “Não temos os dados do quanto deste montante é efetivamente gasto nos supermercados, mas o que nossas observações indicam é que cada vez mais as famílias vêm concentrando seus gastos nos supermercados”, diz o coordenador do Inpes, Leandro Prearo. “Hoje, as grandes redes oferecem nas suas lojas padaria, açougue, peixaria, feira, farmácia – todos itens que antes eram comercializados por estabelecimentos especializados – e ainda oferecem cartões de crédito próprios, que facilitam o financiamento. Tudo isso atrai mais gente para os supermercados”, analisa.

 NOVOS HÁBITOS - O coordenador lembra que o próprio processo inflacionário faz com que o consumidor busque sempre os melhores preços na tentativa de fazer o seu dinheiro render mais. “Nesse aspecto, os supermercados levam dupla vantagem: eles podem oferecer mais promoções porque compram grandes quantidades e conseguem preços melhores junto aos seus fornecedores, e também porque investem mais em publicidade, o que leva para as suas lojas gente interessada nos preços que viu nos anúncios”, analisa.

Para Prearo, portanto, o aumento das vendas nos supermercados não necessariamente significa que seja reflexo exato de aumento de renda da população.



Quer receber em primeira mão as notícias das sete cidades do Grande ABC?

Entre no nosso grupo de WhatsApp. 
Clique aqui.
 

Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.


Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;