Fechar
Publicidade

Sábado, 23 de Outubro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Setecidades

setecidades@dgabc.com.br | 4435-8319

Bando detido é acusado
de crime em Ribeirão

Denis Maciel/DGABC Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra

Seis presos pelo Deic na Capital após assalto
a banco são indiciados por ação que matou vigia


Rafael Ribeiro
Do Diário do Grande ABC

05/09/2013 | 07:00


Seis homens detidos pelo Deic (Departamento Estadual de Investigações Criminais) após assalto a uma agência bancária no Brás, região central da Capital, no fim da tarde de terça-feira, foram acusados pela Polícia Civil de participação em um crime da mesma modalidade ocorrido em 21 de fevereiro em Ribeirão Pires. Na ocasião, uma vigia de 34 anos morreu após ser baleada na cabeça.

Na ocasião, Niedja Márcia de Santana Cordeiro e seu parceiro, que ficou paraplégico, cuidavam da segurança em um banco no Centro da cidade quando entraram em tiroteio com suspeitos, que portavam uma metralhadora. Duas pessoas, sendo uma delas mulher de um integrante da quadrilha, foram presos pela PM (Polícia Militar) da cidade logo após o crime.

A quadrilha é apontada por Wagner Giudice, diretor do Deic, como uma das mais perigosas do Estado.

A prisão foi possível graças à ação conjunta de diversas forças, como a própria PM, além de unidades do GOE (Grupo de Operações Especiais), Garra (Grupo Armado de Repressão a Roubos e Assaltos) e o helicóptero Pelicano da Polícia Civil, que trocou tiros em pleno voo com os acusados.

As investigações levaram a polícia a acreditar que a quadrilha que agiu em Ribeirão era a mesma apontada como responsável por diversos crimes do tipo na Grande São Paulo. Devido à ousadia de voltarem a agir em agências que já tinham sofrido assaltos, a polícia interligou o sistema de alarme dessas unidades ao da corporação, para reação imediata caso fosse dado o sinal de que eles estavam agindo.

Além dos reconhecimentos feitos por vítimas do assalto ocorrido na região, outra evidência que liga o bando ao assassinato da vigia foi o fato de o revólver calibre 38 apreendido e usado por um dos acusados na ação ser o mesmo que havia sido roubado da vítima logo após o crime de fevereiro. 



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.


Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;