Fechar
Publicidade

Terça-Feira, 13 de Abril

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Economia

economia@dgabc.com.br | 4435-8057

Pirelli vai contratar 250
pessoas, diz Carlos Grana

Orlando Filho/DGABC Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra

Informação foi dada após o prefeito andreense
participar ontem de ato que reuniu 1.000 pessoas


Pedro Souza
Do Diário do Grande ABC

31/08/2013 | 07:30


A italiana Pirelli vai ampliar o investimento em sua sede brasileira, em Santo André, onde são fabricados pneus para caminhões, ônibus e tratores, e vai contratar 250 trabalhadores. A informação foi dada ontem pelo prefeito andreense Carlos Grana (PT) durante visita ao Sindicato dos Metalúrgicos de Santo André e Mauá, em comemoração aos 80 anos da entidade.

Grana contou que se reuniu com executivos da Pirelli e que teve boas notícias “no sentido de que (a fábrica) vai ampliar os investimentos em Santo André e com perspectiva de aumentar (o quadro) em 250 trabalhadores.” Segundo o prefeito, a diretoria da companhia está “muito feliz” com a cidade.

Questionada sobre o assunto, a Pirelli informou que “apresentará oficialmente o novo plano industrial mundial da companhia, referente ao período 2014-2017, em novembro deste ano, em Londres, na Inglaterra. Na ocasião, a empresa informará os investimentos que serão realizados no Brasil.”

Grana revelou, também, que Santo André vai ganhar duas escolas federais de qualificação profissional. “Então estamos qualificando nossas escolas profissionalizantes para trazer duas escolas técnicas federais.” Segundo ele, o município tem uma deficiência na oferta de ensino especializado. “Hoje, talvez (as instituições de ensino profissionalizantes) estão dando cursos um pouco fora do mercado.” Procurado, o Ministério da Educação não se manifestou sobre o assunto.

Participaram do encontro representantes da Força Sindical, CUT e UGT de 13 categorias da região.

MAIS CEDO - Antes de ir ao sindicato, Grana discursou para cerca de 1.000 trabalhadores de 15 empresas do bairro Sertãozinho, em Mauá, que se reuniram em manifestação organizada pela entidade em virtude do Dia Nacional de Luta. O prefeito, ex-sindicalista, foi ovacionado ao subir no carro de som e apoiar o protesto (que ocorreu em todo o País) que pediu pelo fim do fator previdenciário, pela equiparação do reajuste da aposentadoria com o salário-mínimo e pelo veto do projeto de lei 4.330, que tramita no Congresso e prevê a ampliação do trabalho terceirizado.

Durante o ato, foi realizada também assembleia para aprovar a pauta de reivindicações e reajuste salarial de 2013. A lista será entregue aos patrões, por meio das federações nacionais trabalhista e patronal, e depois discutida com cada uma das empresas de Santo André e Mauá.

De acordo com o presidente do Sindicato dos Metalúrgicos de Santo André e Mauá, Cícero Firmino, o Martinha, a expectativa é de que a média de reajustes salariais nas duas cidades seja de 2% de aumento real, ou seja, acima da inflação. “Acredito que vamos atingir a mesma linha que conquistamos nos últimos dois anos.”

Além de alta salarial acima da inflação, os principais itens da pauta são a redução da jornada de trabalho de 44 para 40 horas semanais e a valorização do piso. A data-base da categoria é o dia 1º de novembro.

O vice-prefeito de Mauá, Hélcio Silva (PT), e o ex-metalúrgico e atual vereador do município Marcelo Oliveira (PT) também presenciaram a assembleia.
 



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Pirelli vai contratar 250
pessoas, diz Carlos Grana

Informação foi dada após o prefeito andreense
participar ontem de ato que reuniu 1.000 pessoas

Pedro Souza
Do Diário do Grande ABC

31/08/2013 | 07:30


A italiana Pirelli vai ampliar o investimento em sua sede brasileira, em Santo André, onde são fabricados pneus para caminhões, ônibus e tratores, e vai contratar 250 trabalhadores. A informação foi dada ontem pelo prefeito andreense Carlos Grana (PT) durante visita ao Sindicato dos Metalúrgicos de Santo André e Mauá, em comemoração aos 80 anos da entidade.

Grana contou que se reuniu com executivos da Pirelli e que teve boas notícias “no sentido de que (a fábrica) vai ampliar os investimentos em Santo André e com perspectiva de aumentar (o quadro) em 250 trabalhadores.” Segundo o prefeito, a diretoria da companhia está “muito feliz” com a cidade.

Questionada sobre o assunto, a Pirelli informou que “apresentará oficialmente o novo plano industrial mundial da companhia, referente ao período 2014-2017, em novembro deste ano, em Londres, na Inglaterra. Na ocasião, a empresa informará os investimentos que serão realizados no Brasil.”

Grana revelou, também, que Santo André vai ganhar duas escolas federais de qualificação profissional. “Então estamos qualificando nossas escolas profissionalizantes para trazer duas escolas técnicas federais.” Segundo ele, o município tem uma deficiência na oferta de ensino especializado. “Hoje, talvez (as instituições de ensino profissionalizantes) estão dando cursos um pouco fora do mercado.” Procurado, o Ministério da Educação não se manifestou sobre o assunto.

Participaram do encontro representantes da Força Sindical, CUT e UGT de 13 categorias da região.

MAIS CEDO - Antes de ir ao sindicato, Grana discursou para cerca de 1.000 trabalhadores de 15 empresas do bairro Sertãozinho, em Mauá, que se reuniram em manifestação organizada pela entidade em virtude do Dia Nacional de Luta. O prefeito, ex-sindicalista, foi ovacionado ao subir no carro de som e apoiar o protesto (que ocorreu em todo o País) que pediu pelo fim do fator previdenciário, pela equiparação do reajuste da aposentadoria com o salário-mínimo e pelo veto do projeto de lei 4.330, que tramita no Congresso e prevê a ampliação do trabalho terceirizado.

Durante o ato, foi realizada também assembleia para aprovar a pauta de reivindicações e reajuste salarial de 2013. A lista será entregue aos patrões, por meio das federações nacionais trabalhista e patronal, e depois discutida com cada uma das empresas de Santo André e Mauá.

De acordo com o presidente do Sindicato dos Metalúrgicos de Santo André e Mauá, Cícero Firmino, o Martinha, a expectativa é de que a média de reajustes salariais nas duas cidades seja de 2% de aumento real, ou seja, acima da inflação. “Acredito que vamos atingir a mesma linha que conquistamos nos últimos dois anos.”

Além de alta salarial acima da inflação, os principais itens da pauta são a redução da jornada de trabalho de 44 para 40 horas semanais e a valorização do piso. A data-base da categoria é o dia 1º de novembro.

O vice-prefeito de Mauá, Hélcio Silva (PT), e o ex-metalúrgico e atual vereador do município Marcelo Oliveira (PT) também presenciaram a assembleia.
 

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;