Fechar
Publicidade

Quinta-Feira, 2 de Dezembro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

cultura@dgabc.com.br | 4435-8364

Eva Vilma comemora
80 anos de vida em
cima dos palcos

Divulgação Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra

Eva Wilma volta aos palcos para celebrar 80 anos
de vida, 60 de carreira e discutir o ofício teatral


Thiago Mariano
Do Diário do Grande ABC

16/07/2013 | 07:07


Sessenta anos de carreira, quase 80 de vida, e Eva Wilma, quando faz teatro, costuma dizer: ‘estou indo para a escola’. De volta às aulas, depois de cinco anos longe dos palcos, ela retorna à cena ao lado do diretor Renato Borghi em 'Azul Resplendor', que estreia sábado no Teatro Renaissance, em São Paulo. “Se você fica só na imagem, corre o risco de cristalizar seu trabalho. Eu gosto de televisão, cinema, mas preciso voltar ao exercício teatral, é a escola do ator. No teatro, na hora do vamos ver o ator é absoluto em cena”, conta a atriz.

A peça dentro da peça, além de ser um tributo às efemérides da trajetória da atriz, é uma homenagem ao exercício do ator. O texto do peruano Eduardo Adrianzén se passa nos bastidores de uma produção teatral. Tito (Pedro Paulo Rangel), um velho ator de papéis inexpressivos, depois que a mãe morre, decide escrever um texto em sua homenagem. A ideia é que Blanca Estela (Eva Wilma), grande atriz do passado, afastada há quase 30 anos do palco – e seu grande amor –, o encene.

Para aceitar, ela faz uma exigência: ter a seu lado o maior diretor teatral da atualidade, Antônio Balaguer (Dalton Vigh), um cara acostumado a ouvir que é gênio. Junto deles, e dos personagens de Luciana Borghi, Luciana Brites e Felipe Guerra, que fazem, respectivamente, uma assistente de direção e dois atores, os bastidores da montagem do espetáculo são a peça em questão.

Os dilemas da criação, os jogos de poder de uma cambada de artistas de ego inflado, as carências de cada ser, tudo vem exposto junto, graças a vários apartes, que traduzem a todo instante o que cada um pensa sobre as situações que vivem durante os ensaios. “De um lado caminhamos com certo enredo, de outro, isso é quebrado para o público”, comenta Borghi, que assina a direção ao lado de Elcio Nogueira Seixas.

“Há o choque entre os que entram e saem de cena. Vemos através da peça como eles se espelham. Às vezes você está cheio de ambições, quer fazer, acha que vai chegar ao Olimpo e fica onde está”, diz Seixas, que acredita que o texto é cruel com os atores.

“A minha impressão foi ‘ninguém presta’”, fala Pedro Paulo Rangel sobre a primeira leitura do texto. “Fiquei triste, achei todos uns desgraçados. No dia seguinte, na leitura do texto, tomei uma surra do elenco. O que parecia triste se tornou risível, estamos rindo das nossas próprias deformações. Vamos ganhando máscaras, mas tem alguém no fim da máscara que é ser humano”, diz Luciana Brites.

“A essência desse autor contém muito humor crítico. E também tem poesia. Durante os ensaios, tivemos ataque de risos em algumas cenas, rindo das nossas fragilidades, dos obstáculos todos”, completa Eva, que assume o segredo de estar há tanto tempo trabalhando: “o segredo da persistência é ter sempre mantido minha liberdade de escolha. É uma dureza, mas vale a pena.”

Para Borghi, outra atitude de Eva é essencial para o exercício no teatro. “A gente faz trabalho de mesa. É fundamental que o ator leia, descubra o que está por trás das letras. Depois que eu pedi para que todos decorassem o texto, a Eva disse: ‘eu vou estudar’. Isso é bonito, revela que a atriz tem ciência para criar um personagem, entrar em sua alma e desvendar.”


Azul Resplendor – Teatro. No Teatro Renaissance – Alameda Santos, 2.233, São Paulo. Tel.: 3069-2286. 6ª, às 21h30; sáb., às 21h; e dom., às 18h. Ingr.: R$ 80. Até 6 de outubro.

 



Quer receber em primeira mão as notícias das sete cidades do Grande ABC?

Entre no nosso grupo de WhatsApp. 
Clique aqui.
 

Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.


Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;