Fechar
Publicidade

Sábado, 27 de Novembro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

|

A noite ficou verde

Palmeiras acaba de ser campeão da segunda mais importante competição brasileira


Especial para o Diário

13/07/2012 | 00:00


Não há o que contestar. Foi conquista merecida. Campanha irrepreensível: oito vitórias e três empates. O Palmeiras acaba de ser campeão da segunda mais importante competição brasileira. A Copa do Brasil é também a mais charmosa. E como teve charme essa campanha.

O elenco tem seus limites, as conquistas estavam rareadas, o técnico era contestado até internamente e a diretoria sofria as insuportáveis cornetadas dos próprios palmeirenses. É a mais burra oposição já vista no futebol.

Carente de títulos, desconfiada dos vários problemas internos e externos, a torcida estava desiludida. Mas nunca perdeu a fé e agora comemora esse grande título.

PISADA DE BOLA
Não se viu nem Marín nem Marco Polo no palco de premiações do gramado do Couto Pereira. Estranha ausência dos homens que mandam na CBF, na final de um torneio promovido pela entidade.

Nenhuma desculpa poderá ser aceita. Nem gripe ou enxaqueca justificam a ausência dos cartolas em Curitiba. Por sinal, Marco Polo é conselheiro vitalício do Palmeiras.

ÁGUA NO CHOPE
Festa no Estádio do Pacaembu. Entrega das faixas aos campeões da Copa Libertadores da América. Time praticamente titular. Não jogaram Leandro Castán, vendido para a Roma e Emerson e Jorge Henrique, machucados.

Quase 30 mil pessoas no estádio e a certeza de que o time sairia da incômoda 19ª posição na tabela. Esqueceram apenas de combinar com o Botafogo, valente adversário que, ao fim do jogo, venceu por 3 a 1, tirando o São Paulo da quarta posição.

Mantendo a tradição, após a fantástica conquista da semana passada, os jogadores estavam indolentes, falhando muito e comprovando que a ressaca ainda não passou.

A festa deve continuar, mas as vitórias no Brasileiro são necessárias.

E AGORA, JOÃO?
O mundo do futebol comentava nos bastidores que Ricardo Teixeira e João Havelange estavam comprometidos até o pescoço com o chamado escândalo da ISL. A empresa de marketing que teve ligações comerciais com a Fifa corrompeu muita gente e agora se confirma também os dois brasileiros.

É lamentável o que viveu o futebol brasileiro nos últimos tempos. Compra e venda de apoios, votos e outros desmandos, inclusive com a Seleção Brasileira.



Quer receber em primeira mão as notícias das sete cidades do Grande ABC?

Entre no nosso grupo de WhatsApp. 
Clique aqui.
 

Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.


Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;