Fechar
Publicidade

Segunda-Feira, 25 de Outubro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

|

Os otimistas e os pessimistas

A diferença entre pessimistas e otimistas é que, para os pessimistas, a situação está tão ruim que não pode mais piorar


Carlos Brickmann

12/10/2008 | 00:00


A diferença entre pessimistas e otimistas é que, para os pessimistas, a situação está tão ruim que não pode mais piorar. Os otimistas acham que pode, sim.

O fato é que os especialistas parecem perplexos: EUA e Grã-Bretanha, juntos, prometem injetar no mercado mais de US$ 1,5 trilhão. Em dois dias, o Japão liberou US$ 71 bilhões para salvar bancos em perigo. Os Bancos Centrais da Europa e dos Estados Unidos, em ação coordenada, baixaram a taxa de juros. E as bolsas continuam caindo em altíssima velocidade.

Há especialistas que dizem que o caminho seguido pelos governos está certo - mas, apesar dos valores estonteantes do dinheiro já destinado, o buraco é ainda maior, e seria preciso colocar muito mais dinheiro. Outros especialistas dizem que o pânico hoje é psicológico, sem grande base real, e o mercado tende a se acalmar, à medida que os poupadores se sintam protegidos contra a quebradeira.

E há os que sustentam que o caminho está errado: o mercado quebrou, e quanto mais dinheiro enfiarem nele maior será o problema. Seria melhor realizar os prejuízos, deixar falir quem tiver de falir, e seguir em frente - os sobreviventes, claro. A propósito, já não caem apenas as ações de instituições financeiras: desaba também a cotação de empresas da economia real, aquelas que fabricam coisas de verdade, que as pessoas usam na sua vida diária.

Quem preside o G-20, grupo dos 20 países mais ricos do mundo, é o ministro Guido Mantega. Que os especialistas não nos ouçam, mas está tudo explicado.

LULA LÁ
A guerra do segundo turno vai se travar sem a presença de Lula. Ele embarca hoje para Espanha, Índia e Moçambique. Discute na Espanha um acordo entre a UE e o Mercosul; na Índia, reúne-se com os chefes de governo para firmar acordos; em Moçambique, inaugura um escritório da Fundação Oswaldo Cruz, que trabalhará na área de combate à Aids. Lula volta ao Brasil no dia 19, e só terá para envolver-se na campanha até a quinta-feira, 23. Livrou-se dessa.

TODA ATENÇÃO É POUCA
Amanhã, a OAB-SP decide se o jornalista Antônio Marcos Pimenta Neves pode se registrar como advogado. Pimenta, que matou a namorada Sandra Gomide em agosto de 2000 e foi condenado a 15 anos de prisão, continua em liberdade, já que ainda há recursos pendentes. Pimenta se formou em Direito há mais de 30 anos, quando não havia exame da Ordem; portanto, está isento. Mas o Conselho tem de decidir se ele tem idoneidade moral para ser advogado.

O DÓLAR E OS PREÇOS
Uma coisa é certa: os preços vão subir por causa do dólar alto, já que mesmo os produtos fabricados no Brasil têm peças importadas. Subiu o dólar, sobe tudo. Mas isso só vale quando é para cima. Na época em que o dólar caiu de R$ 4 para R$ 1,60, os preços não caíram, não. É como os impostos: sobe o imposto, sobe o preço. Mas, quando a farinha de trigo foi liberada do ICMS, em São Paulo, exatamente para reduzir o preço do pãozinho, o pãozinho não ficou mais barato, não.

O CASO É OUTRO!
Marcos Valério, apontado como cabeça do Mensalão (cabeça, aliás, calvíssima), foi preso na sexta, na Operação Avalanche da Polícia Federal. Detalhe: não foi por causa do Mensalão. A acusação agora é de participação em fraude fiscal. A situação é séria. Pelo que se comenta, uma cervejaria, cliente de Marcos Valério, está também envolvida. E, na área de bebidas e cigarros, dominada por empresas multinacionais com vocação monopolista, o acompanhamento da vida das concorrentes é permanente e muito duro. Cada ponto percentual no mercado de cerveja equivale a cerca de R$ 100 milhões. Tirar do mercado uma concorrente com fatia de 9% significa avançar em quase um bilhão de reais.

CAMPANHA BRAVA
Não precisa ter saudades: o horário eleitoral, nos municípios que têm segundo turno, recomeça hoje. Mas a guerra do segundo turno já se iniciou, e feroz. 1 - No dia 7, três homens foram presos por roubo de carro, em São Bernardo, SP. Um era bandido de profissão. Dos outros dois, um trabalhava na campanha do ex-ministro Luiz Marinho, do PT (que enfrenta o tucano Orlando Morando, apoiado pelo prefeito William Dib), e um na Prefeitura petista de Santo André, a cidade vizinha. Os petistas de Santo André apóiam Marinho. E os três ocupavam uma Kombi da campanha de Marinho, carregada de material de propaganda de Marinho. Como os bandidos estão na campanha? A Polícia está investigando. 2 - O presidente Lula determinou a seu chefe de Gabinete, Gilberto Carvalho, que se licencie e fique em São Paulo para coordenar a campanha da candidata petista Marta Suplicy, que enfrenta (em desvantagem nas pesquisas) o prefeito Gilberto Kassab, DEM. Lula levou a São Paulo seis ministros para dar apoio a Marta. A equipe de Kassab já se movimenta: quem pagou a viagem eleitoral?



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.


Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;