Fechar
Publicidade

Terça-Feira, 12 de Novembro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

diarinho@dgabc.com.br | 4435-8396

O que é pedra nos rins?

Cálculo renal pode causar muita dor; beber bastante água é modo de evitar o problema


Caroline Ropero
Do Diário do Grande ABC

19/05/2013 | 07:00


Para entender o que é pedra nos rins, também chamada cálculo renal, é preciso saber que a função dos órgãos (temos dois) é filtrar o excesso de resíduos do sangue - como ureia (sobra de proteínas), minerais e sais de cálcio (que vêm dos ossos) - e juntá-los à água que passa pelos rins. Em seguida, a mistura transforma-se em xixi.


Quando há mais substâncias sólidas (retiradas do sangue) do que água, elas não se dissolvem completamente. Aos poucos, as partículas se unem até virar as pedrinhas.


Podem ficar pequenas ou, com o tempo, aumentar de tamanho. As menores podem fazer o mesmo caminho que o xixi pelo sistema urinário, sendo eliminadas junto dele. Outras, permanecem no órgão.


Caso a pedra não saia com a urina ou esteja muito grande, tem de fazer cirurgia para retirá-la ou quebrá-la em pedaços minúsculos.
Diferentemente do que muitos pensam, não é só o tamanho da pedra que vai determinar o incômodo. Às vezes, uma pequena pode fechar um canal pelo qual a urina passa, ocasionando muita dor. Ao contrário, uma pedra grande pode não provocar dor por não tampar o caminho do xixi.


O forte incômodo nas costas causado pelas pedrinhas é chamado cólica renal. Surge nessa região porque os rins ficam um de cada lado da coluna. Mas se a pessoa não sentir o mal-estar pode não perceber o problema. Por isso, quem tem casos na família, deve ir ao médico e realizar exames com frequência.


Para evitar as pedrinhas, é importante tomar bastante água, pois com o líquido em quantidade suficiente nos rins, elas não se formarão. Também tem de evitar alimentos muito salgados e refrigerante.


O cálculo renal é mais comum em jovens adultos, mas pode surgir em qualquer idade. O número de casos tem crescido nos últimos anos até mesmo entre as crianças. Acredita-se que as principais causas sejam a má alimentação e o aquecimento global, que aumentam a produção de suor, levando menos água para os rins.


Consultoria de Roberto Vaz Juliano, professor de Urologia da Faculdade de Medicina do ABC, e do biólogo Guilherme Domenichelli.


Cães e gatos também podem sofrer com cálculo renal

Assim como os humanos, cães e gatos podem ter as pedrinhas nos rins. Em geral, surgem em animais que costumam segurar o xixi. Por exemplo, quando o dono ensinou a urinar fora de casa, mas não o leva com frequência adequada para passear. Também aparecem por fatores genéticos, algo comum entre os cachorros da raça dálmata.


Nos bichos, os sintomas são dificuldade em urinar, presença de sangue no xixi e dores muito fortes. Para tratar, tem de levar o animal ao veterinário, que irá examiná-lo. Cada caso exige um tratamento com medicação específica. Mas as pedras grandes podem ser removidas apenas com cirurgia. Se não procurar tratamento, o cão ou gato pode ter complicações de saúde e até morrer.


Depois de curado, é importante realizar exames frequentes para confirmar que as pedrinhas não voltaram.


Você sabia?

A dor é sinal de alerta do organismo; serve de aviso para descobrir o que há de errado no corpo.


As pedras nos rins afetam cerca de 12% dos homens e 5% das mulheres.


Calcula-se que de cada 100 pessoas, 12 já tiveram o problema.


Marina Brandão
Enzo Tortelli Savino, 9 anos, de São Caetano, contou que o pai sentiu muita dor quando teve cálculo renal. "Foi direto para o pronto-socorro. Depois, marcou consulta com o médico para tirar a pedra do rim." Para Enzo, uma das causas do problema é a má alimentação. "Não pode comer besteira, como salgadinhos." Mas o garoto nunca viu crianças terem as pedrinhas, só adultos.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

O que é pedra nos rins?

Cálculo renal pode causar muita dor; beber bastante água é modo de evitar o problema

Caroline Ropero
Do Diário do Grande ABC

19/05/2013 | 07:00


Para entender o que é pedra nos rins, também chamada cálculo renal, é preciso saber que a função dos órgãos (temos dois) é filtrar o excesso de resíduos do sangue - como ureia (sobra de proteínas), minerais e sais de cálcio (que vêm dos ossos) - e juntá-los à água que passa pelos rins. Em seguida, a mistura transforma-se em xixi.


Quando há mais substâncias sólidas (retiradas do sangue) do que água, elas não se dissolvem completamente. Aos poucos, as partículas se unem até virar as pedrinhas.


Podem ficar pequenas ou, com o tempo, aumentar de tamanho. As menores podem fazer o mesmo caminho que o xixi pelo sistema urinário, sendo eliminadas junto dele. Outras, permanecem no órgão.


Caso a pedra não saia com a urina ou esteja muito grande, tem de fazer cirurgia para retirá-la ou quebrá-la em pedaços minúsculos.
Diferentemente do que muitos pensam, não é só o tamanho da pedra que vai determinar o incômodo. Às vezes, uma pequena pode fechar um canal pelo qual a urina passa, ocasionando muita dor. Ao contrário, uma pedra grande pode não provocar dor por não tampar o caminho do xixi.


O forte incômodo nas costas causado pelas pedrinhas é chamado cólica renal. Surge nessa região porque os rins ficam um de cada lado da coluna. Mas se a pessoa não sentir o mal-estar pode não perceber o problema. Por isso, quem tem casos na família, deve ir ao médico e realizar exames com frequência.


Para evitar as pedrinhas, é importante tomar bastante água, pois com o líquido em quantidade suficiente nos rins, elas não se formarão. Também tem de evitar alimentos muito salgados e refrigerante.


O cálculo renal é mais comum em jovens adultos, mas pode surgir em qualquer idade. O número de casos tem crescido nos últimos anos até mesmo entre as crianças. Acredita-se que as principais causas sejam a má alimentação e o aquecimento global, que aumentam a produção de suor, levando menos água para os rins.


Consultoria de Roberto Vaz Juliano, professor de Urologia da Faculdade de Medicina do ABC, e do biólogo Guilherme Domenichelli.


Cães e gatos também podem sofrer com cálculo renal

Assim como os humanos, cães e gatos podem ter as pedrinhas nos rins. Em geral, surgem em animais que costumam segurar o xixi. Por exemplo, quando o dono ensinou a urinar fora de casa, mas não o leva com frequência adequada para passear. Também aparecem por fatores genéticos, algo comum entre os cachorros da raça dálmata.


Nos bichos, os sintomas são dificuldade em urinar, presença de sangue no xixi e dores muito fortes. Para tratar, tem de levar o animal ao veterinário, que irá examiná-lo. Cada caso exige um tratamento com medicação específica. Mas as pedras grandes podem ser removidas apenas com cirurgia. Se não procurar tratamento, o cão ou gato pode ter complicações de saúde e até morrer.


Depois de curado, é importante realizar exames frequentes para confirmar que as pedrinhas não voltaram.


Você sabia?

A dor é sinal de alerta do organismo; serve de aviso para descobrir o que há de errado no corpo.


As pedras nos rins afetam cerca de 12% dos homens e 5% das mulheres.


Calcula-se que de cada 100 pessoas, 12 já tiveram o problema.


Marina Brandão
Enzo Tortelli Savino, 9 anos, de São Caetano, contou que o pai sentiu muita dor quando teve cálculo renal. "Foi direto para o pronto-socorro. Depois, marcou consulta com o médico para tirar a pedra do rim." Para Enzo, uma das causas do problema é a má alimentação. "Não pode comer besteira, como salgadinhos." Mas o garoto nunca viu crianças terem as pedrinhas, só adultos.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;