Fechar
Publicidade

Sexta-Feira, 18 de Outubro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Turismo

turismo@dgabc.com.br | 4435-8367

Shows, missas, filmes e concertos em Mariana


Heloísa Cestari
Do Diário do Grande ABC

12/05/2004 | 18:40


Cidade mais antiga de Minas Gerais e primeira capital do Estado, Mariana – a 107 km de Belo Horizonte – sempre revelou em suas ruelas, igrejas e construções seculares a reconhecida herança espiritual formada pela mistura de antigas culturas e sagradas tradições. Para celebrar o encontro das mais diferentes manifestações artísticas devocionais, o município iniciará neste sábado o Festival da Vida de Mariana, evento inédito que se estenderá até o dia 22 deste mês aliando missas de religiões variadas, concertos, apresentações folclóricas, exibição de filmes e shows musicais que contarão com a participação de nomes como Milton Nascimento, Família Alcântara, Fortuna, Joanna e o Coro dos Monges Beneditinos do Mosteiro de São Bento em São Paulo.

As apresentações nas praças e igrejas serão gratuitas. Para reforçar o caráter eclético-religioso do programa, o evento também contará com as presenças de padre Antonio Maria, do coral Camerata Lusitana, especializado em música colonial brasileira; da banda evangélica Elyon e do coro Madrigal Saeculorum, cujo repertório contempla a música sacra renascentista.

Outro destaque com um toque de variedade são as missas: haverá missa barroca; missa do Congo do Reinado de Nossa Senhora do Rosário, com a participação do Centro de Tradição Chico Rei na igreja de Nossa Senhora do Carmo; e no último dia, uma missa na Catedral da Sé da cidade embalada pelo som do coral Sesiminas de Belo Horizonte e pela Orquestra da Casa de Cultura de Ouro Branco, que tocará composições sacras dos clássicos Schubert, Bach, Mozart e Handel.

Para completar a lista de atrações do calendário, o Teatro Sesiminas servirá de palco no dia 20, das 14h às 18h, para o Fórum das Águas de Mariana. Nesse mesmo dia, o filme Espelho d’Água, Uma Viagem pelo Rio São Francisco será exibido na praça da Sé, às 19h; e Amaranto e Banda farão um show na praça Minas Gerais a partir das 21h. No dia seguinte, o Sesiminas abrigará palestras sobre o tema História da Religião, e quem for à praça da Sé às 19h assistirá ao filme Maria, mãe do filho de Deus.

Milton Nascimento abrirá a programação de shows neste sábado e o encerramento do festival ficará a cargo da cantora Joanna, que apresentará seu show Orações na praça da Sé, a partir das 22h.

De acordo com Dom Luciano Mendes de Almeida, arcebispo da arquidiocese de Mariana, o evento visa colaborar na difusão e fortalecimento das manifestações de fé, cuja existência seria um ato contra a “pasteurização cultural provocada pela globalização”. Seja lá qual for a lição tirada com o Festival da Vida, de uma coisa o turista que visitar a cidade durante o evento provavelmente não terá dúvidas: lá, a religião, assim como a arte, servia à vida, e ambas se integraram de tal maneira à cultura de Mariana que nada se perdeu.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Shows, missas, filmes e concertos em Mariana

Heloísa Cestari
Do Diário do Grande ABC

12/05/2004 | 18:40


Cidade mais antiga de Minas Gerais e primeira capital do Estado, Mariana – a 107 km de Belo Horizonte – sempre revelou em suas ruelas, igrejas e construções seculares a reconhecida herança espiritual formada pela mistura de antigas culturas e sagradas tradições. Para celebrar o encontro das mais diferentes manifestações artísticas devocionais, o município iniciará neste sábado o Festival da Vida de Mariana, evento inédito que se estenderá até o dia 22 deste mês aliando missas de religiões variadas, concertos, apresentações folclóricas, exibição de filmes e shows musicais que contarão com a participação de nomes como Milton Nascimento, Família Alcântara, Fortuna, Joanna e o Coro dos Monges Beneditinos do Mosteiro de São Bento em São Paulo.

As apresentações nas praças e igrejas serão gratuitas. Para reforçar o caráter eclético-religioso do programa, o evento também contará com as presenças de padre Antonio Maria, do coral Camerata Lusitana, especializado em música colonial brasileira; da banda evangélica Elyon e do coro Madrigal Saeculorum, cujo repertório contempla a música sacra renascentista.

Outro destaque com um toque de variedade são as missas: haverá missa barroca; missa do Congo do Reinado de Nossa Senhora do Rosário, com a participação do Centro de Tradição Chico Rei na igreja de Nossa Senhora do Carmo; e no último dia, uma missa na Catedral da Sé da cidade embalada pelo som do coral Sesiminas de Belo Horizonte e pela Orquestra da Casa de Cultura de Ouro Branco, que tocará composições sacras dos clássicos Schubert, Bach, Mozart e Handel.

Para completar a lista de atrações do calendário, o Teatro Sesiminas servirá de palco no dia 20, das 14h às 18h, para o Fórum das Águas de Mariana. Nesse mesmo dia, o filme Espelho d’Água, Uma Viagem pelo Rio São Francisco será exibido na praça da Sé, às 19h; e Amaranto e Banda farão um show na praça Minas Gerais a partir das 21h. No dia seguinte, o Sesiminas abrigará palestras sobre o tema História da Religião, e quem for à praça da Sé às 19h assistirá ao filme Maria, mãe do filho de Deus.

Milton Nascimento abrirá a programação de shows neste sábado e o encerramento do festival ficará a cargo da cantora Joanna, que apresentará seu show Orações na praça da Sé, a partir das 22h.

De acordo com Dom Luciano Mendes de Almeida, arcebispo da arquidiocese de Mariana, o evento visa colaborar na difusão e fortalecimento das manifestações de fé, cuja existência seria um ato contra a “pasteurização cultural provocada pela globalização”. Seja lá qual for a lição tirada com o Festival da Vida, de uma coisa o turista que visitar a cidade durante o evento provavelmente não terá dúvidas: lá, a religião, assim como a arte, servia à vida, e ambas se integraram de tal maneira à cultura de Mariana que nada se perdeu.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;