Fechar
Publicidade

Domingo, 15 de Dezembro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Internacional

internacional@dgabc.com.br | 4435-8301

Exército libanês se prepara para ocupar zona de fronteira com Israel


Da AFP

02/10/2006 | 11:26


Após a retirada quase total dos soldados israelenses concluída no domingo, o Exército libanês, se preparava nesta segunda-feira para ocupar espaços ao longo da fronteira com Israel, uma região da qual esteve ausente durante quase 40 anos.

Durante uma cerimônia na qual foi içada a bandeira libanesa, o comandante-em-chefe do Exército, general Michel Sleimane, pediu que suas tropas "respondam às agressões e às violações israelenses".

"O Exército poderá realizar seu dever de defesa, de segurança e de desenvolvimento com a ajuda das forças da ONU”, disse, reconhecendo o equipamento precário do Exército libanês. Segundo o general Sleimane, a missão do Exército de vigiar as fronteiras no sul, assim como as fronteiras marítimas e territoriais, deverá impedir as agressões e o contrabando de armas.

A retirada de quase 200 soldados israelenses ocorreu na madrugada de domingo sem incidentes. No entanto, Israel anunciou que manterá sua última posição no setor de Ghajar, até a conclusão de um acordo sobre segurança com os capacetes azuis e o Exército. Israel afirmou que continuará a sobrevoar o território libanês para impedir o tráfico de armas para o Hezbollah.


Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Exército libanês se prepara para ocupar zona de fronteira com Israel

Da AFP

02/10/2006 | 11:26


Após a retirada quase total dos soldados israelenses concluída no domingo, o Exército libanês, se preparava nesta segunda-feira para ocupar espaços ao longo da fronteira com Israel, uma região da qual esteve ausente durante quase 40 anos.

Durante uma cerimônia na qual foi içada a bandeira libanesa, o comandante-em-chefe do Exército, general Michel Sleimane, pediu que suas tropas "respondam às agressões e às violações israelenses".

"O Exército poderá realizar seu dever de defesa, de segurança e de desenvolvimento com a ajuda das forças da ONU”, disse, reconhecendo o equipamento precário do Exército libanês. Segundo o general Sleimane, a missão do Exército de vigiar as fronteiras no sul, assim como as fronteiras marítimas e territoriais, deverá impedir as agressões e o contrabando de armas.

A retirada de quase 200 soldados israelenses ocorreu na madrugada de domingo sem incidentes. No entanto, Israel anunciou que manterá sua última posição no setor de Ghajar, até a conclusão de um acordo sobre segurança com os capacetes azuis e o Exército. Israel afirmou que continuará a sobrevoar o território libanês para impedir o tráfico de armas para o Hezbollah.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;