Fechar
Publicidade

Segunda-Feira, 14 de Outubro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Internacional

internacional@dgabc.com.br | 4435-8301

Ocalan é condenado à morte na Turquia


Do Diário do Grande ABC

29/06/1999 | 08:19


Um tribunal condenou nesta terça-feira à morte o líder rebelde curdo Abdula Ocalan, acusando-o de traiçao por lutar durante 15 anos pela autonomia curda no sudeste da Turquia. A decisao foi tomada por um tribunal de três juízes.

Ocalan observou com expressao sombria o juiz Turgut Okyay quando a sentença foi lida, mas nao mostrou reaçao alguma. A sentença foi divulgada pela emissora de televisao TRT, do governo. As famílias de soldados turcos que morreram combatendo os rebeldes começaram a cantar o hino nacional assim que Okyay finalizou a leitura da sentença.

Quando lhe pediram para dar uma declaraçao final antes do veredicto e da sentença, Ocalan pediu uma vez mais uma oportunidade para obter a paz entre o governo e os rebeldes. "Estou reiterando meu chamado" disse Ocalan, "para uma paz justa e honrada e pela fraternidade com a república democrática. Faço um chamado à humanidade, ao estado e a todas as forças da sociedade para cumprirem com seu dever. O futuro do país reside na paz, nao na guerra".

Em declaraçoes feitas previamente, no decorrer do julgamento, Ocalan advertiu que se fosse executado, "milhares de pessoas ativarao a máquina do terror por mim".

As autoridades da Austria, Holanda, Alemanha e Grécia, onde há grandes comunidades curdas, aumentaram as medidas de segurança, antecipando-se ao veredicto. Quando comandos turcos capturaram Ocalan em fevereiro, no Quênia, os curdos promoveram violentos protestos em toda a Europa. Um porta-voz do Partido dos Trabalhadores do Curdistao, liderado por Ocalan, disse que dirigentes da organizaçao reuniram-se para discutir as medidas a adotar após a condenaçao. "Nosso presidente queria uma soluçao pacífica, uma soluçao para pôr fim à guerra", declarou Selim Zafer, em Bruxelas. "Mas nos enviaram esta mensagem: sem importar o quanto vocês desejam a paz, imporemos a condenaçao à morte" contra Ocalan.

Qualquer sentença de morte é automaticamente alvo de apelaçao na Turquia. Se uma corte de apelaçoes ratifica o veredicto, deve passar ao Parlamento e, depois, ao presidente Suleyman Demirel para sua aprovaçao. O processo pode demorar meses.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Ocalan é condenado à morte na Turquia

Do Diário do Grande ABC

29/06/1999 | 08:19


Um tribunal condenou nesta terça-feira à morte o líder rebelde curdo Abdula Ocalan, acusando-o de traiçao por lutar durante 15 anos pela autonomia curda no sudeste da Turquia. A decisao foi tomada por um tribunal de três juízes.

Ocalan observou com expressao sombria o juiz Turgut Okyay quando a sentença foi lida, mas nao mostrou reaçao alguma. A sentença foi divulgada pela emissora de televisao TRT, do governo. As famílias de soldados turcos que morreram combatendo os rebeldes começaram a cantar o hino nacional assim que Okyay finalizou a leitura da sentença.

Quando lhe pediram para dar uma declaraçao final antes do veredicto e da sentença, Ocalan pediu uma vez mais uma oportunidade para obter a paz entre o governo e os rebeldes. "Estou reiterando meu chamado" disse Ocalan, "para uma paz justa e honrada e pela fraternidade com a república democrática. Faço um chamado à humanidade, ao estado e a todas as forças da sociedade para cumprirem com seu dever. O futuro do país reside na paz, nao na guerra".

Em declaraçoes feitas previamente, no decorrer do julgamento, Ocalan advertiu que se fosse executado, "milhares de pessoas ativarao a máquina do terror por mim".

As autoridades da Austria, Holanda, Alemanha e Grécia, onde há grandes comunidades curdas, aumentaram as medidas de segurança, antecipando-se ao veredicto. Quando comandos turcos capturaram Ocalan em fevereiro, no Quênia, os curdos promoveram violentos protestos em toda a Europa. Um porta-voz do Partido dos Trabalhadores do Curdistao, liderado por Ocalan, disse que dirigentes da organizaçao reuniram-se para discutir as medidas a adotar após a condenaçao. "Nosso presidente queria uma soluçao pacífica, uma soluçao para pôr fim à guerra", declarou Selim Zafer, em Bruxelas. "Mas nos enviaram esta mensagem: sem importar o quanto vocês desejam a paz, imporemos a condenaçao à morte" contra Ocalan.

Qualquer sentença de morte é automaticamente alvo de apelaçao na Turquia. Se uma corte de apelaçoes ratifica o veredicto, deve passar ao Parlamento e, depois, ao presidente Suleyman Demirel para sua aprovaçao. O processo pode demorar meses.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;