Fechar
Publicidade

Quinta-Feira, 21 de Outubro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

|

Copa e a Saúde

O governo não sabe quanto a Copa vai custar? Eles não estão nem um pouco preocupados: o dinheiro não vai sair do bolso deles. Quem...


Dgabc

20/10/2011 | 00:00


Copa e a Saúde

O governo não sabe quanto a Copa vai custar? Eles não estão nem um pouco preocupados: o dinheiro não vai sair do bolso deles. Quem vai pagar a conta dessa misteriosa aventura sou eu, você, nós: os extorquidos diariamente, para os grandes ladrões se locupletarem. Não à toa que já se arma nos subterrâneos do Planalto mais um assalto - sim, assalto - aos nossos bolsos, com a ameaça do retorno da contribuição para a Saúde, nova roupagem para velha desculpa, até porque dizem os entendidos (mentirosos) que a Saúde está quase perfeita. Alguma dúvida?

Aparecida Dileide Gaziolla, São Bernardo

Difícil entender

Por mais que vivamos num País amplamente democrático, é difícil entender como o ex-prefeito, hoje deputado federal Willian Dib, que é o coordenador regional do PSDB no Grande ABC, vai justificar junto à cúpula do partido os motivos que levaram sua mulher, Marilda Dib, e seu filho Murilo filiarem-se ao PPS. Com isso a família Dib nos faz lembrar da democrática família Sarney, que já chegou a ter o patriarca Sarney no PMDB, a filha Roseana no PFL e o filho Fernando no PV.

Marcelo Sarti, São Bernardo

Skate e pebolim

Quero parabenizar os responsáveis pela criação da Associação de Skate de Diadema. Hoje o Brasil é reconhecido mundialmente nesse esporte. O mesmo está acontecendo com o pebolim, ou totó, como é conhecido do Rio e até no Nordeste. Nos dias 29 e 30 haverá o 4º Campeonato Brasileiro de Pebolim 2011 em São Vicente, de onde sairão os melhores jogadores que irão representar o Brasil no campeonato mundial a ser realizado em janeiro na França. O País ocupa atualmente a 33ª posição no ranking da Federação Internacional de Futebol de Mesa. Nossa região possui o tricampeão paulista Edimar Gandine, de São Bernardo, que já defendeu o Brasil no mundial e sem apoio da Prefeitura da cidade.

Charles Gomes de França Jr., São Bernardo

Poetas da região

Duas vezes ao mês, e sempre às terças-feiras, reúnem-se no segundo andar, cedido pelos responsáveis da Biblioteca Nair Lacerda, no Paço Municipal de Santo André, poetas e poetisas que trazem, através de suas escritas, performances e interpretações, verdadeiras maravilhas versadas. São pessoas, moradoras nas sete cidades, com sensibilidades afloradas e que trazem em seus semblantes, subliminares, certo sentimento de descaso por não receberem verbas subsidiadas por patrocínios para com suas publicações, que acabam editadas com muita dificuldade e esforço pessoal. Quem sabe um dia eles poderão nos perdoar, em razão da nossa falta de carinho prático e omissão com essa nossa displicência por torná-los ilustres desconhecidos. E isso porque muitos acreditam que somente Vinicius de Moraes, Oscar Wilde ou Florbela Espanca foram portadores incuráveis desse vírus chamado encantamento.

Cecél Garcia, Santo André

Culpa da mídia

O governo federal precisa urgentemente ‘democratizar a mídia' antes que os partidos da base alugada percam sua principal fonte de renda (o roubo do erário). Denúncias frequentes feitas contra o primeiro escalão do governo têm provocado a demissão de ministros. Na verdade, são meros chefes das quadrilhas. Eles descaradamente assaltam os cofres públicos e alimentam o caixa do PT e de outras facções pertencentes à base alugada. Realmente essa ‘grande mídia' é um transtorno. Acabou de acusar o pobre Orlando Silva de ladrão. Tremenda injustiça! Ele só ajudava as criancinhas carentes de Brasília que queriam praticar algum tipo de esporte. Coitado, dá dó, estou com ele e não abro mão de sua prisão.

Humberto de Luna Freire Filho, Capital

Artigo

A hora e a vez das mulheres

No século 19, as mulheres despertaram para a necessidade de se unir em busca de direitos sociais e legais. Muitos objetivos foram alcançados, embora elas ainda sofram todo tipo de abuso. São consideradas ‘inferiores' por homens que não deveriam receber a classificação de homo sapiens. Hoje, vivemos a era da informação, das redes sociais. O modo de protesto, as movimentações sociais, tudo ganhou contornos outros. E as primeiras a perceber isso foram, é claro, as mulheres. Um exemplo: inspirada pelas cúpulas mundiais com mulheres do peso de Hillary Clinton e Condoleezza Rice, a jornalista Tina Brown, da Newsweek, criou a Women in The World Foundation (Fundação Mulheres no Mundo). Trata-se de série de atividades e portal na internet que reúnem as mulheres em torno de solução dos seus problemas comuns e em questões que abrangem a todos.

Achei a iniciativa interessante. Afinal, passam pela mulher questões de validade global. A solução para as drogas, a obesidade infantil, a gravidez precoce certamente têm de passar pelo engajamento feminino, além de questões como a melhora da qualidade de ensino. O controle da natalidade. Afinal, é a mulher que organiza o lar, a família. Pesquisa do Instituto Data Popular mostrou que as mulheres brasileiras são o voto mais importante nos casais, com ou sem filhos. Ficam nas mãos e olhos sensíveis delas a administração do orçamento doméstico, o planejamento das férias e a compra de bens duráveis.

Estamos no século 21, e é a hora e a vez das mulheres. Não foi por acaso que o binômio prioritário em minhas duas gestões como prefeito, Saúde e Educação, são áreas conduzidas por mulheres. Em nossos programas sociais, como no Mais Renda para o Estudo, é no nome da mãe que é liberado o benefício. Em programas habitacionais, a escritura é lavrada também no nome da mulher.

Não descobri isso há pouco. Minha mãe sempre foi muito presente, e incutiu em mim e nos meus irmãos os valores da família, da religião. Foi graças ao esforço dela, junto ao meu pai, que me decidi a estudar medicina. Mesmo com todas as dificuldades, ela jamais se acovardou. Ela me ensinou o valor da mulher. E com esses conceitos hoje eu equilibro a vida com minha mulher, Denise, e minha filha Isabella. E passo isso desde muito cedo ao meu filho Thiago.

Demos passo importantíssimo ao eleger uma mulher presidente da República - independentemente da cor partidária, é fato expressivo. Se algo pode mudar radicalmente o mundo e transformá-lo em lugar mais justo e melhor de viver, esse algo é a mulher. Certamente, esse é o caminho.

José Auricchio Junior é médico e prefeito de São Caetano.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.


Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;