Fechar
Publicidade

Terça-Feira, 10 de Dezembro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Internacional

internacional@dgabc.com.br | 4435-8301

Relatório afirma que a França ainda é um país racista


Da AFP

20/03/2007 | 15:19


A violência de caráter racista na França diminuiu 10% no ano de 2006 em relação a 2005, mas uma grande porcentagem de franceses continua se declarando preconceituosa ou considerando que há estrangeiros demais no país. Os dados foram divulgados num informe que será entregue nesta quarta-feira ao governo.

"O ano de 2006 marcou uma redução de 10% da violência de conotação racista, xenófoba ou anti-semita. Foram contabilizadas 885 ações deste tipo, enquanto em 2005, o número era de 974 de 2005", informa a publicação, realizado por uma comissão especial, que será divulgado no Dia internacional contra o racismo, celebrado nesta quarta-feira.

A pesquisa feita pelos autores do estudo concluiu que 30% das pessoas entrevistadas se declararam racistas, enquanto em 2005, eram 33%. Ao mesmo tempo, 48% consideram que há imigrantes demais na França, 7% a menos que no ano anterior.

Além disso, 58% dos entrevistados afirmaram que "certos comportamentos podem justificar reações racistas em determinadas ocasiões" e 39% consideram que nada justifica este tipo de atitude.

Entretanto, 79% declararam que os trabalhadores imigrantes devem ser tratados bem, pois contribuem para a economia e 64% acreditam que sua presença na França é necessária, porque garantem a sobrevivência de algumas profissões.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Relatório afirma que a França ainda é um país racista

Da AFP

20/03/2007 | 15:19


A violência de caráter racista na França diminuiu 10% no ano de 2006 em relação a 2005, mas uma grande porcentagem de franceses continua se declarando preconceituosa ou considerando que há estrangeiros demais no país. Os dados foram divulgados num informe que será entregue nesta quarta-feira ao governo.

"O ano de 2006 marcou uma redução de 10% da violência de conotação racista, xenófoba ou anti-semita. Foram contabilizadas 885 ações deste tipo, enquanto em 2005, o número era de 974 de 2005", informa a publicação, realizado por uma comissão especial, que será divulgado no Dia internacional contra o racismo, celebrado nesta quarta-feira.

A pesquisa feita pelos autores do estudo concluiu que 30% das pessoas entrevistadas se declararam racistas, enquanto em 2005, eram 33%. Ao mesmo tempo, 48% consideram que há imigrantes demais na França, 7% a menos que no ano anterior.

Além disso, 58% dos entrevistados afirmaram que "certos comportamentos podem justificar reações racistas em determinadas ocasiões" e 39% consideram que nada justifica este tipo de atitude.

Entretanto, 79% declararam que os trabalhadores imigrantes devem ser tratados bem, pois contribuem para a economia e 64% acreditam que sua presença na França é necessária, porque garantem a sobrevivência de algumas profissões.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;