Fechar
Publicidade

Quarta-Feira, 11 de Dezembro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Política

politica@dgabc.com.br | 4435-8391

Santo André volta a debater o voto secreto


Vinícius Casagrande
Do Diário do Grande ABC

07/08/2001 | 00:25


O fim do voto secreto na Câmara de Santo André voltará a agitar o plenário, terça. O projeto apresentado pelo vereador Fernando Gomes (sem partido) entrará em votação, mas deverá ser rejeitado. Os governistas articulam sua rejeição para aprovar, em primeira discussão, outro projeto de conteúdo idêntico e apresentado em conjunto pelos parlamentares da sustentação.

O que está em jogo não é o mérito do projeto, amplamente aceito pelos 21 vereadores, mas a sua autoria. Os governistas não admitem aprovar o fim do voto secreto tendo Gomes como único autor. Eles alegam que um projeto que mudará os procedimentos da Casa deve ter a assinatura de todos os integrantes do Legislativo.

Mas, para o autor do projeto, o que existe é uma perseguição política. “Vejo como uma grande sacanagem. Isso é uma retaliação. A ordem é que o Fernando não pode aparecer. Os petistas dizem que esse é um projeto do PT, mas digo que é mentira porque tiveram quatro anos para fazer e não fizeram. Isso é conversa fiada”, disse.

O líder do governo, vereador José Montoro Filho (PT), o Montorinho, afirmou que o projeto apresentado na última sessão deverá entrar hoje em regime urgência para ser votado em primeira discussão. Ele negou que haja retaliação política. “Ele cortou o caminho e faltou um pouco de coletividade sobre as coisas que dizem respeito à Câmara. Na época, a gente tentou convencer que teria de ser dos 21, mas ele não aceitou”, afirmou.

LDC – Além das discussões do fim do voto secreto, a sessão de hoje também será marcada pela reunião dos vereadores com o secretário de Desenvolvimento Urbano, Irineu Bagnariolli Júnior, sobre a LDC (Lei de Desenvolvimento Comercial). A proposta é que o secretário faça apenas um detalhamento do projeto para depois voltar ao Legislativo para tirar as dúvidas dos parlamentares. O secretário também irá explicar alguns artigos do projeto que prevê a licitação para 100 novos pontos de bancas de jornal no município.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Santo André volta a debater o voto secreto

Vinícius Casagrande
Do Diário do Grande ABC

07/08/2001 | 00:25


O fim do voto secreto na Câmara de Santo André voltará a agitar o plenário, terça. O projeto apresentado pelo vereador Fernando Gomes (sem partido) entrará em votação, mas deverá ser rejeitado. Os governistas articulam sua rejeição para aprovar, em primeira discussão, outro projeto de conteúdo idêntico e apresentado em conjunto pelos parlamentares da sustentação.

O que está em jogo não é o mérito do projeto, amplamente aceito pelos 21 vereadores, mas a sua autoria. Os governistas não admitem aprovar o fim do voto secreto tendo Gomes como único autor. Eles alegam que um projeto que mudará os procedimentos da Casa deve ter a assinatura de todos os integrantes do Legislativo.

Mas, para o autor do projeto, o que existe é uma perseguição política. “Vejo como uma grande sacanagem. Isso é uma retaliação. A ordem é que o Fernando não pode aparecer. Os petistas dizem que esse é um projeto do PT, mas digo que é mentira porque tiveram quatro anos para fazer e não fizeram. Isso é conversa fiada”, disse.

O líder do governo, vereador José Montoro Filho (PT), o Montorinho, afirmou que o projeto apresentado na última sessão deverá entrar hoje em regime urgência para ser votado em primeira discussão. Ele negou que haja retaliação política. “Ele cortou o caminho e faltou um pouco de coletividade sobre as coisas que dizem respeito à Câmara. Na época, a gente tentou convencer que teria de ser dos 21, mas ele não aceitou”, afirmou.

LDC – Além das discussões do fim do voto secreto, a sessão de hoje também será marcada pela reunião dos vereadores com o secretário de Desenvolvimento Urbano, Irineu Bagnariolli Júnior, sobre a LDC (Lei de Desenvolvimento Comercial). A proposta é que o secretário faça apenas um detalhamento do projeto para depois voltar ao Legislativo para tirar as dúvidas dos parlamentares. O secretário também irá explicar alguns artigos do projeto que prevê a licitação para 100 novos pontos de bancas de jornal no município.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;