Fechar
Publicidade

Quarta-Feira, 26 de Janeiro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

internacional@dgabc.com.br | 4435-8301

Médico britânico é acusado de comércio ilegal de órgãos


Da Agência EFE

30/08/2002 | 10:18


Um médico britânico foi considerado nesta sexta-feira culpado de participar de comércio ilegal de órgãos humanos por uma comissão disciplinar do Conselho Geral de Medicina da Grã-Bretanha.

Bhagat Singh Makkar, 62 anos, declarou a um jornalista — que se fazia passar pelo filho de um paciente —que "não tinha problemas" para conseguir um rim de um doador vivo em troca de um pagamento.

A comissão disciplinar analisará agora se Makkar, médico de Lewisham (sul de Londres), terá seu registro cassado.

O profissional, que negou todas as acusações, disse que preferiria se suicidar a ter que se envolver em tráfico de órgãos.

O presidente da comissão médica, Peter Richards, declarou que Makkar atuou de maneira "irresponsável e nada profissional" ao oferecer um rim em troca de dinheiro.

O médico afirmou que nunca fez nenhum mal em 30 anos de carreira profissional e negou que tenha violado a Lei de Transplante de Órgãos Humanos de 1989, que proíbe o tráfico de órgãos. No entanto, confirmou que formou a companhia International Health Services Ltd, dedicada, entre outras coisas, a levar pacientes para o exterior para se submeter a diversos tratamentos médicos, mas insistiu que nunca comercializou órgãos.

A companhia, da qual ele era diretor, nunca esteve envolvida no transplante de rins e se concentrava em cirurgia geral e nos tratamentos de estética, segundo explicou Makkar. O médico lamentou ter dado "respostas estúpidas" ao jornalista e afirmou que quando respondeu estava "cansado, confuso e aborrecido após um dia muito longo de trabalho".



Quer receber em primeira mão as notícias das sete cidades do Grande ABC?

Entre no nosso grupo de WhatsApp. 
Clique aqui.
 

Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.


Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;