Fechar
Publicidade

Terça-Feira, 22 de Outubro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Nacional

nacional@dgabc.com.br | 4435-8301

Caso PC: Badan Palhares pode ter sigilo bancário quebrado


Do Diário do Grande ABC

10/06/1999 | 10:47


Os delegados Antônio Carlos Lessa e Alcides Andrade, que realizam as novas investigaçoes sobre o caso PC Farias enviarao, nesta quinta-feira, à Justiça de Alagoas um pedido de quebra de sigilo bancário e fiscal do legista Fortunato Badan Palhares, coordenador do primeiro laudo sobre as mortes do empresário Paulo César Farias, o PC, e sua namorada Suzana Marcolino, ocorridas em 1996 em Alagoas.

Segundo os delegados, o laudo do professor da Unicamp é suspeito e tem muitas discrepâncias. Badan Palhares afirmava que Suzana havia matado PC e depois se suicidado. Os delegados também pedirao a quebra de sigilo bancário e fiscal dos quatro seguranças de PC, suspeitos de terem cometido duplo homicídio no dia 23 de junho de 1996.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Caso PC: Badan Palhares pode ter sigilo bancário quebrado

Do Diário do Grande ABC

10/06/1999 | 10:47


Os delegados Antônio Carlos Lessa e Alcides Andrade, que realizam as novas investigaçoes sobre o caso PC Farias enviarao, nesta quinta-feira, à Justiça de Alagoas um pedido de quebra de sigilo bancário e fiscal do legista Fortunato Badan Palhares, coordenador do primeiro laudo sobre as mortes do empresário Paulo César Farias, o PC, e sua namorada Suzana Marcolino, ocorridas em 1996 em Alagoas.

Segundo os delegados, o laudo do professor da Unicamp é suspeito e tem muitas discrepâncias. Badan Palhares afirmava que Suzana havia matado PC e depois se suicidado. Os delegados também pedirao a quebra de sigilo bancário e fiscal dos quatro seguranças de PC, suspeitos de terem cometido duplo homicídio no dia 23 de junho de 1996.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;