Fechar
Publicidade

Sexta-Feira, 3 de Julho

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Internacional

internacional@dgabc.com.br | 4435-8301

Arafat diz que não haverá paz sem fim de assentamentos


Da AFP

15/04/2004 | 09:24


O presidente da Autoridade Nacional Palestina, Yasser Arafat, afirmou nesta quinta-feira que não haverá paz entre Israel e os palestinos sem o fim de todas as colônias judaicas. Ele também reafirmou o direito dos refugiados palestinos de voltarem à sua pátria — contrariando o plano do primeiro-ministro israelense, Ariel Sharon, e do presidente americano, George W. Bush.

“Nosso direito é defender nossa terra, nossos lugares santos, Jerusalém, nosso direito à independência e à liberdade e o direito dos refugiados de voltar para sua pátria”, declarou Arafat.

“A paz não poderá ser instaurada sem o fim total da ocupação e da colonização israelense”, acrescentou Arafat no discurso, pronunciado durante o 16º aniversário do assassinato do número dois da Organização para a Libertação da Palestina, Khalil Al Wazir (Abu Jihad). O líder, primeiro na hierarquia palestina após Arafat, foi morto por um comando israelense na Tunísia.

Os palestinos ficaram revoltados com o apoio de Bush ao plano de Sharon. Os líderes dos Estados Unidos e de Israel se reuniram na quarta, em Washington.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Arafat diz que não haverá paz sem fim de assentamentos

Da AFP

15/04/2004 | 09:24


O presidente da Autoridade Nacional Palestina, Yasser Arafat, afirmou nesta quinta-feira que não haverá paz entre Israel e os palestinos sem o fim de todas as colônias judaicas. Ele também reafirmou o direito dos refugiados palestinos de voltarem à sua pátria — contrariando o plano do primeiro-ministro israelense, Ariel Sharon, e do presidente americano, George W. Bush.

“Nosso direito é defender nossa terra, nossos lugares santos, Jerusalém, nosso direito à independência e à liberdade e o direito dos refugiados de voltar para sua pátria”, declarou Arafat.

“A paz não poderá ser instaurada sem o fim total da ocupação e da colonização israelense”, acrescentou Arafat no discurso, pronunciado durante o 16º aniversário do assassinato do número dois da Organização para a Libertação da Palestina, Khalil Al Wazir (Abu Jihad). O líder, primeiro na hierarquia palestina após Arafat, foi morto por um comando israelense na Tunísia.

Os palestinos ficaram revoltados com o apoio de Bush ao plano de Sharon. Os líderes dos Estados Unidos e de Israel se reuniram na quarta, em Washington.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;