Fechar
Publicidade

Segunda-Feira, 6 de Dezembro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

automoveis@dgabc.com.br | 4435-8337

Nissan X-Trail - Hora do recreio!


Paulo Bittencourt
Da agência Hp Press

30/06/2005 | 08:51


O Nissan X-Trail, o jipinho moderno que a Nissan está trazendo do Japão para reforçar seu time de produtos no Brasil, tem algo de curioso. O sistema de tração 4WD, que significa tração 4x4 permanente, é parcial. Isso é possível graças a um sofisticado e compacto sistema de transmissão que só entra em funcionamento quando a roda perde aderência repentinamente. O X-Trail chega para defender sua fatia em um segmento de mercado que cresce a cada ano no Brasil. Outro atributo é o elástico motor de 2.5 litros que oferece 180 cv. O preço vai ficar próximo de R$ 130 mil.

Embora seja um off-road, esse Nissan está longe dos modelos mais capacitados para o fora-de-estrada, um departamento em que a marca tem muita propriedade. O X-Trail é recomendado para aqueles usuários que pisam de leve nos terrenos menos aderentes. Embora seja um autêntico crossover (mistura de perua com SUV), o X-Trail consegue ser mais autêntico na proposta de fora-de-estrada do que alguns modelos concorrentes, como o Mitsubishi Airtrek.

Antes de jogar o X-Trail em uma aventura mais radical, é conveniente observar um pouco seu apelo visual e os recursos para seduzir os que estão pensando muito mais no estilo e no conforto do que propriamente em sujar os pneus de lama. Seu design traduz bem a proposta de veículo de "recreação 4x4", estabelecendo uma linha equilibrada entre robustez, consistência e requinte. A frente desse Nissan é a parte que está mais próxima do estilo fora-de-estada. Se correr os olhos pela lateral e traseira vai ficar com a impressão de que esta vendo um perua com dimensões mais avantajadas.

Embora tenha vão livre do solo razoável (200 mm), a altura total não consegue impor respeito. O que salva é o bagageiro no teto, um recurso que a marca usa em quase todos os seus modelos do segmento. Com desenho e confecção caprichados, o acessório reforça a mensagem de "estou pronto para a aventura" e ainda comporta um suplemento de 100 kg de carga, um reforço aos 410 litros do porta-malas que possui treze ganchos para fixação dos volumes.

O belo desenho do painel frontal e os pequenos espaços no interior da cabine são o cartão de visita para quem entra no carro. A boa ergonomia só faz aumentar essa satisfação. Tudo é muito prático e eficiente no momento de lidar com o veículo. Os comandos estão bem visíveis e fáceis de serem manuseados, inclusive o botão giratório que aciona a intensidade da tração que se desejada usar. Outro detalhe que chama a atenção é o quadro de instrumentos na posição central do painel. A facilidade de leitura dos instrumentos é outra virtude da ergonomia.

O motor de 2.5 litros é outra qualidade do carro. Sua manufatura, em alumínio, revela seu bom nível técnico. O sistema de controle contínuo variável de abertura e fechamento das válvulas (CVTC), é outro requinte tecnológico. Esse mecanismo permite que o motor tenha rendimento otimizado em uma ampla faixa de giro. Para o mercado nacional a engenharia e decidiu abusar da eletrônica e extrair dele declarados 180 cv de potência e um torque de 25 mkgf que está pleno a 4.000 rpm.

O câmbio automático atende de forma rápida ao comando do acelerador, o que proporciona boa agilidade. Outro ponto que pareceu favorável foi o consumo do motor em trânsito urbano e rodoviário. Nessas condições fez, respectivamente, 7,4 km e 12,1 km, bons valores para essa cilindra, peso do carro (1,5 mil) e o fato de ter câmbio automático.

Tração permanente parcial - O mais divertido, entretanto, aparece quando se coloca os pneus do X-Trail na terra. O sistema de tração, demoninado All Mode, permite três opções de uso. Embora seja um 4WD (tração 4x4 permanente), quando se coloca a chave giratória no modo 2WD, a tração acontece somente nas rodas dianteiras e só age nas traseiras diante de perde de aderência.

No modo "auto", a tração é distribuída para o eixo traseiro conforme as condições de aderência do terreno com distribuição de torque na proporção de 57% no eixo dianteiro e de 43% no eixo traseiro. Ao girar o botão para a posição "lock", o sistema passa a operar no modo 4x4 continuamente desde que a velocidade não ultrapasse a 30 km/h.

Nesse estágio até que se pode apostar nas investidas mais difíceis, pois o sistema ainda conta com bloqueio, o que aumenta sua eficiência. Mas não exagere. Apesar das boas medidas de off-road, o X-Trail tem pneus péssimos para a terra, quanto mais para as trilhas mais bravas. O modelo ataca bem as rampas (ângulo de entrada de 290) e consegue sair com facilidade (260). O vão livre de 200 mm não é nenhum referência mas empata com a maioria dos modelos com essa proposta. O lado positivo é que não é necessário escalar o carro toda vez que se tem que entrar nele.



Quer receber em primeira mão as notícias das sete cidades do Grande ABC?

Entre no nosso grupo de WhatsApp. 
Clique aqui.
 

Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.


Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;