Fechar
Publicidade

Quarta-Feira, 20 de Outubro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Economia

economia@dgabc.com.br | 4435-8057

Mercado imobiliário inicia recuperação no Grande ABC


Soraia Abreu Pedrozo
Do Diário do Grande ABC

13/11/2009 | 07:01


O mercado imobiliário no Grande ABC começou a se recuperar em setembro. Dados da Acigabc (Associação dos Construtores, Imobiliárias e Administradoras de Condomínios do Grande ABC) apontam que foram vendidos 549 apartamentos na região, ante 528 no mesmo período do ano passado - alta de 4%. Em relação a agosto, quando foram comercializadas 559 unidades, houve ligeira queda de 1,8%.

A Acigabc considera apenas as cidades de São Bernardo, Santo André e São Caetano em seu levantamento.

Na avaliação de Milton Bigucci, presidente da Acigabc e vice-presidente do Interior do Secovi-SP, o mercado da região encontra-se em franca recuperação. "Fomos muito prejudicados no primeiro semestre deste ano e agora estamos começando a reagir à queda. Comercializamos no período apenas 1.029 unidades, enquanto que de janeiro a março de 2008 vendemos 1.699", relata.

Quanto aos novos empreendimentos, foram lançadas 1.368 unidades, alta de 26,7% frente a setembro do ano passado. Em agosto não houve lançamentos nos três municípios.

"Em setembro do ano passado, quando teve início a crise econômica, as construtoras já começaram a segurar os lançamentos. Em agosto não houve anúncio porque é um mês que vem na sequência de férias, então é fraco para novidades. Desde setembro as empresas começaram a confiar mais na economia e anunciar seus lançamentos", explica Bigucci.

Considerando o faturamento das vendas, de R$ 200 milhões, houve crescimento de quase 100% em relação a setembro do ano passado e de 25,7% ante agosto deste ano.

Milton Casari, proprietário da Casari Imóveis, de São Bernardo, revela que os imóveis de até R$ 350 mil estão vendendo muito bem, o que ajuda a justificar o aumento da receita.

O faturamento dos lançamentos também apontou alta. Em comparação ao mesmo mês de 2008, a elevação foi de 121%, para R$ 566 milhões.
Otimista, Bigucci atribui o momento aos juros baixos, prazos de pagamento de até 30 anos e liberação de recursos por parte dos bancos. "O ano que vem deve ser excelente. Temos ótimas perspectivas."

Rosana Carnevalli, proprietária da Construtora Carnevalli, de São Caetano, alerta que a demanda para 2010 estará focada em empreendimentos voltados à classe C, de R$ 100 mil para baixo. "Quanto mais baratinho, maior será a demanda, principalmente por conta do Minha Casa, Minha Vida".

Em São Caetano, entretanto, o metro quadrado não sai por menos de R$ 1.000. Em Mauá e nas regiões periféricas de Santo André e São Bernardo, é possível encontrar o metro quadrado por R$ 200.

"A tendência é que o mercado imobiliário continue progredindo. E isso só acontece graças à oferta de financiamento", diz Rosana.

São Paulo bate recorde histórico de vendas

O ritmo de vendas de imóveis novos residenciais na cidade de São Paulo alcançou recorde histórico em setembro. As informações foram divulgadas ontem pelo Secovi-SP (Sindicato das Empresas de Compra, Venda, Locação e Administração de Imóveis Residenciais e Comerciais de São Paulo). O indicador VSO (Vendas Sobre Oferta) ficou em 30,8% no mês, o que indica que para cada 1.000 unidades ofertadas na cidade paulista, 308 foram vendidas. Em agosto, o VSO foi de 22,7%.

Em setembro, foram vendidas 5.049 unidades, 98,5% acima do mesmo mês do ano passado e 41,1% superior às vendas de agosto. Conforme informações do Secovi-SP, o volume vendido em setembro só não superou as 5.428 unidades registradas em dezembro de 2007.

Ainda segundo dados do sindicato, as vendas somaram R$ 1,3 bilhão, ante R$ 665,3 milhões no mesmo período do ano passado.

De janeiro a setembro, foram vendidas 25.087 moradias, 11,9% a menos que no mesmo período do ano passado. Em nota, a entidade informou que "é grande a possibilidade de fechar este ano com volume escoado de 33 mil a 34 mil unidades, ante 32,8 mil unidades vendidas durante o ano passado".

CRESCIMENTO
Dados divulgados pela Embraesp (Empresa Brasileira de Estudos de Patrimônio) indicam recorde também em lançamentos. De acordo com a empresa, o maior número de novos imóveis mensais do ano também foi registrado em setembro, com 4.286 unidades, 81% a mais que no mesmo mês do ano passado e 25% acima do total de agosto. (Da AE)



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.


Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;