Fechar
Publicidade

Quinta-Feira, 21 de Novembro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Internacional

internacional@dgabc.com.br | 4435-8301

China executa 49 envolvidos no tráfico de drogas


Das Agências

26/06/2001 | 09:02


A China executou nas últimas horas pelo menos 49 pessoas envolvidas no tráfico de entorpecentes neste Dia Internacional de Combate às Drogas, informou a imprensa local.

Entre os condenados à morte estavam cinco taiwaneses e um birmanês, segundo informações dos jornais locais. A agência de notícias Xinxua relatou que as autoridades chinesas executaram nesta segunda-feira 18 traficantes de drogas, a maioria de heroína, na cidade de Chongqing (Centro).

Li Shaoju, um cidadão da Birmânia, foi executado na província de Yunnan (Sudoeste) por ter levado para a China mais de 135 quilos de heroína e 12 quilos de ópio entre 1988 e 1998, informou o jornal China Daily.

Na cidade de Zhongshan, situada no província de Guangdong (Sul), nove pessoas foram executadas na segunda-feira por delitos que incluem tráfico de drogas, segundo a China News.

No mesmo dia, outros seis traficantes de drogas foram fuzilados diante de uma multidão no Porto de Xiamen (Sudeste), informou Xinhua. Os seis condenados, entre os quais estavam cinco residentes em Taiwan, foram condenados por fabricar e vender uma droga chamada "gelo", disse a agência.

O registro da polícia informou outras oito execuções de traficantes de drogas na segunda-feira nas cidades de Wuhan (centro) e Ningbo, enquanto outros meios disseram que três pessoas foram executadas em Hunan (Centro).

Esta nova onda de sentenças de morte vem depois de centenas de execuções reveladas no mês de abril, quando o governo lançou o programa "Golpear forte" o crime.

A China executa sozinha mais do que todos os outros países do mundo somados, mas não publica estatísticas sobre as execuções, pois considera estes dados secretos.

Apesar disso, fontes diplomáticas acumulam dados sobre as execuções, com base em informes oficiais. Segundo elas, cerca de 1.100 pessoas foram executadas este ano, desde o começo da campanha "Bater Forte".



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

China executa 49 envolvidos no tráfico de drogas

Das Agências

26/06/2001 | 09:02


A China executou nas últimas horas pelo menos 49 pessoas envolvidas no tráfico de entorpecentes neste Dia Internacional de Combate às Drogas, informou a imprensa local.

Entre os condenados à morte estavam cinco taiwaneses e um birmanês, segundo informações dos jornais locais. A agência de notícias Xinxua relatou que as autoridades chinesas executaram nesta segunda-feira 18 traficantes de drogas, a maioria de heroína, na cidade de Chongqing (Centro).

Li Shaoju, um cidadão da Birmânia, foi executado na província de Yunnan (Sudoeste) por ter levado para a China mais de 135 quilos de heroína e 12 quilos de ópio entre 1988 e 1998, informou o jornal China Daily.

Na cidade de Zhongshan, situada no província de Guangdong (Sul), nove pessoas foram executadas na segunda-feira por delitos que incluem tráfico de drogas, segundo a China News.

No mesmo dia, outros seis traficantes de drogas foram fuzilados diante de uma multidão no Porto de Xiamen (Sudeste), informou Xinhua. Os seis condenados, entre os quais estavam cinco residentes em Taiwan, foram condenados por fabricar e vender uma droga chamada "gelo", disse a agência.

O registro da polícia informou outras oito execuções de traficantes de drogas na segunda-feira nas cidades de Wuhan (centro) e Ningbo, enquanto outros meios disseram que três pessoas foram executadas em Hunan (Centro).

Esta nova onda de sentenças de morte vem depois de centenas de execuções reveladas no mês de abril, quando o governo lançou o programa "Golpear forte" o crime.

A China executa sozinha mais do que todos os outros países do mundo somados, mas não publica estatísticas sobre as execuções, pois considera estes dados secretos.

Apesar disso, fontes diplomáticas acumulam dados sobre as execuções, com base em informes oficiais. Segundo elas, cerca de 1.100 pessoas foram executadas este ano, desde o começo da campanha "Bater Forte".

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;