Fechar
Publicidade

Terça-Feira, 7 de Dezembro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

setecidades@dgabc.com.br | 4435-8319

Defensora de eutanásia é insultada


Luciano Cavenagui
Do Diário do Grande ABC

30/03/2005 | 15:11


Desde que defendeu publicamente posição a favor da eutanásia, a autônoma Milena Bonato Mascaro, 40 anos, moradora de São Bernardo, tem sido chamada de assassina e monstra. Ela recebe e-mails diários de pessoas anônimas que a agridem por ter dito que aprovaria aplicar a eutanásia – caso a Justiça brasileira admitisse – em seu marido, Giovanino Mascaro, 50 anos, que vive em estado vegetativo persistente (sem consciência alguma) há cinco anos.

Mascaro sofreu um infarto e, segundo os médicos, seu quadro clínico é irreversível. Ele está internado na Clínica de Repouso Jardim, no bairro Jardim, em Santo André, e seu caso é semelhante com o drama da americana Terri Schiavo, 41 anos, que deflagrou nas últimas semanas o debate sobre eutanásia no mundo inteiro.

A história do casal da região foi revelada pelo Diário no último sábado. “Desde então, venho recebendo dezenas de mensagens de pessoas que não se identificam e me chamam de assassina, homicida e outros insultos parecidos. Na rua, algumas pessoas que não conheço passam por mim e me xingam. A sociedade brasileira não está preparada para o debate sobre eutanásia”, afirma Milena.

Ela diz que ficou magoada também com a atitude dos três irmãos do marido, únicos familiares da parte dele vivos. “Eles não me telefonaram e não se manifestaram em nada. Já faziam isso depois da doença, mas pensei que pudessem mudar de atitude.” A reportagem não localizou os irmãos para comentarem o assunto.

Milena e Mascaro começaram a namorar há 25 anos. Ela tinha 14 anos e ele, 24. Moravam na Vila Alpina, zona Leste da capital. A cupido foi uma sobrinha de Mascaro, que cursava o 1º grau na mesma escola que Milena. “Logo me cativei pela sua alegria e gentileza”, relembra. Segundo a autônoma, as famílias de ambos não se importaram com a diferença de idade.

Mascaro se formou em Administração pela Fundação Getúlio Vargas e, logo depois, casaram-se e foram morar em São Bernardo. Tudo mudou há cinco anos, numa fatídica terça-feira, quando Mascaro sofreu uma parada cardiorrespiratória durante 20 minutos.

Milena e Mascaro têm dois filhos. A última festa que participou foi o aniversário de 15 anos da filha mais velha. Há cinco anos que não emite uma palavra e a família vive o drama. Milena conta que não tem nenhum arrependimento da sua postura. “Teria o mesmo posicionamento com relação aos meus dois filhos, se eles manifestassem em vida o desejo da eutanásia, como o meu marido o fez.”


Quer receber em primeira mão as notícias das sete cidades do Grande ABC?

Entre no nosso grupo de WhatsApp. 
Clique aqui.
 

Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.


Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;