Fechar
Publicidade

Domingo, 5 de Dezembro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

internacional@dgabc.com.br | 4435-8301

WWF pede ao G-8 que adotem eficiência energética


Da AFP

28/05/2007 | 18:07


Os países mais industrializados e as principais economias emergentes do mundo precisam trabalhar juntos para implementar políticas de economia energética a fim de combater a mudança climática, afirmou nesta segunda-feira a organização ambientalista WWF (Fundo Mundial para a Natureza).

A implementação da eficiência energética, com a conseqüente redução do custo ecológico das atividades humanas, é particularmente necessária nos setores de construção, transporte e eletricidade, informou o WWF em um relatório técnico.

Divulgado uma semana antes da cúpula do grupo dos oito países mais industrializados do planeta, na Alemanha, o documento instou ao G-8 e aos cinco maiores países emergentes - Brasil, Índia, China, México e África do Sul - que dupliquem suas realizações em eficiência energética a cada ano.

"Não há solução milagrosa para deter a perigosa mudança climática, mas a eficiência energética é a maior e mais acessível solução disponível para combater a crise atual", destacou no relatório o diretor do programa de mudança climática do WWF, Hans Verolme.

O documento "Tornando possível a eficiência energética: da potencialidade à realidade" diz que a indústria do transporte poderia fazer uma economia energética de 25% a 50%, e o setor de construção, de 30% a 45% até 2030.

A economia no setor de eletricidade poderia chegar a 45%, com contenções particularmente altas em China, Índia e Rússia, ressaltou. Para conseguir esta economia, o WWF sugeriu, em particular, a implementação do isolamento em edifícios, o investimento em transporte público com eficiência energética e a adoção de medidas tributárias, como subsídios ou créditos para encorajar a indústria.

O documento afirma que os países do G-8 e os cinco maiores países emergentes deveriam fortalecer a cooperação ecológica no âmbito de fóruns multilaterais e bilaterais.

"No mundo globalizado e industrializado de hoje, os países precisam trabalhar mais diretamente com as economias em desenvolvimento, por exemplo, no desenvolvimento de padrões conjuntos de eficiência energética", disse Verolme. Segundo o relatório, o G-8 e os cinco grandes emergentes são responsáveis por 85% das emissões mundiais de gases causadores do efeito estufa.



Quer receber em primeira mão as notícias das sete cidades do Grande ABC?

Entre no nosso grupo de WhatsApp. 
Clique aqui.
 

Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.


Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;